ABC fica no empate diante do Baraúnas e se complica no segundo turno

Edmo Sinedino,

O ABC demonstrou visivelmente que sentiu cansaço no jogo contra o Baraúnas.

A partir da metade do segundo tempo isso começou a ser notado. E é absolutamente normal depois da "odisseia" que a equipe enfrentou na sua estreia na Copa do Brasil.

No final da partida, quase que o Baraúnas sai de Natal com uma vitória, pois as jogadas mais perigosas foram suas.

O jogo começou com o ABC tendo mais posse de bola, criando mais, e levando muito perigo pela direita de seu ataque.

Vanderlei e Tiaguinho faziam as melhores jogadas. E por ali, pelo menos em duas oportunidades, o gol merecia ter saído.

A tática que Baru, que funcionava bem, era o contra-ataque. E o time de Mossoró quase chega ao gol primeiro.

O ABC, que criava boas jogadas, que se limitavam ao lado direito, recompunha-se mal, e muitas vezes os zagueiros, três – Vinícius, Leandro Cardoso e Lino – ficaram no perigoso “mano a mano”.

O retrato do primeiro tempo: o ABC com mais posse de bola, precisando variar bem, é verdade, mas com mais chances, e o Baru, na sua, nos contra-golpes.

Empate.

No segundo tempo, Paulo Porto fez entrar Renato e Jean Carioca, mas perdeu Thiaguinho, desgastado.

E o time, no começo, deu uma ótima resposta. Atacava mais pela esquerda, mas também chegava com Renato pela direita.

Nesta “arrancada”, o ABC criou boas chances, quase marca, e chegou mesmo a marcar um gol, mas que foi anulado.

Foi uma espécie de “blitz”, mas que logo esfriou. Daqui a pouco, o jogo amornou, e de lado a lado parecia um acomodamento.

O ABC, notava-se, o cansaço começava a atrapalhar o rendimento de Hamilton, Júnior Xuxa e Rodrigo Silva, principalmente.

Nos minutos finais, foi o Baru que dominou e teve as melhores chances, mas aí foi o pelo dos jogos sem vitória que tirou a confiança para o time de Samuel Cândido vencer.

E foi assim.

A+ A-