Com Oliveira Canindé, o Santa Cruz bate o Vasco e já é sétimo

Edmo Sinedino,

oliveira_09Oliveira Canindé foi injustiçado no América.

Muita gente concorda.

O treinador cearense de Sobral não merecia ter sido demitido depois de tantos bons resultados.

Depois que deixou o América, de imediato ele foi procurado pela diretoria do Santa Cruz, e assumiu o lugar de Sérgio Guedes.

Sob o comando do ex-América, o Santa Cruz perdeu apenas uma partida das seis disputadas, e já está na sétima posição, com 45 pontos.

Quando ele assumiu, o tricolor do Arruda estava correndo risco e já perto da zona de risco.

A estreia de Oliveira Canindé aconteceu na vitória de 3 a 0 sobre o Oeste. Depois, saiu para jogar em Minas, contra o América/MG.

Perdeu de 1 a 0, partida em que o Santinha foi melhor, disseram os analistas.

Na sequência, bateu o Boa Esporte Clube de 3 a 0, em casa, conseguiu dois empates fora de casa contra equipes que estavam no G4 – 1 a 1 diante de Joinville e Ponte Preta.

Na última rodada, voltando a jogar diante de seu torcedor, bateu o Vasco da Gama de 1 a 0.

O presidente Gustavo de Carvalho, acho, deve estar arrependido do que fez.



Atuações: Ronaldo Mendes ainda foi o melhor jogador do ABC

Edmo Sinedino,

penalti_09Analiso, com nota, as atuações dos jogadores do ABC na derrota de 1 a 0 para a Luverdense.

Gilvan – Não teve culpa no gol que tomou, falhou em lance de bola alçada, em que o jogador Misael quase marca o segundo. No mais, foi bem. Nota 5.

Madson – Sem a mesma disposição de linha de fundo, de jogadas individuais. Claro, todos os adversários conhecem seu potencial e se defendem melhor por ali. Nota 6.

Suéliton – Um dos destaques do ABC, Rápido no desarme, na cobertura, e também imprime bom ritmo na saída de jogo. Não é tão bom por cima, mas compensa na qualidade técnica nos outros quesitos. Nota 7.

Samuel – Não comprometeu, marcou, mas insistiu muito, acho que por não confiar na ligação de meio-campo, nas bolas lançadas. Jogada improdutiva. Nota 6.

Michel – Poderia ser outra alternativa de jogada, não foi. E não por sua culpa, acho. Faltou quem dele se aproximasse. Nota 5.

Daniel Amora – Fez bem a sua função de marcação, mas o ABC precisava de muito mais hoje, jogando em casa. Nota 5.

Fábio Bahia – A mesma atuação do companheiro. Marca, corre, batalha, mas na hora de levar o time para a frente é um “atraso”. Nota 4.

Xuxa – Não fez nada o jogo todo, e ainda perdeu um pênalti. Nota 1.

Ronaldo Mendes (foto) – Escalado errado, jogando na frente, de costas para a defesa, mesmo assim ainda teve um bom rendimento. Nota 7,5.

Alvinho – Começou bem, mas depois, estranhamente, foi jogar quase centralizado, quando seu forte é os lados do campo. Será que o treinador achou que toda partida o cara pode fazer um golaço. Nota 5.

Rodrigo Silva – Se mexer menos que nas partidas anteriores, mas mesmo assim abriu espaços, e brigou muito na área. Não deveria ter saído. Nota 6.

Patrick – Entrou, de novo, sem função. Sem nota.

Zambi – Entrou para ser mais um atacante de beirada, e até que preocupou a defesa. Mas o ABC estava muito desorganizado. Nota 4.

Beto – Entrou para consertar um primeiro erro. Nada fez. Sem nota.



Clubes do RN continuam fazendo o papel de "ressuscitadores"

Edmo Sinedino,

xuxa_09Quer ganhar?

Quer vencer, sair da crise? Venha para Natal.

E de novo, ABC e América fazem o papel de “ressuscitadores” na Série B do Brasileiro.

O Bragantino não vencia a cinco rodada, mas enfrentou o América e, claro, venceu.

Foi assim com o Santa Cruz, Paraná, Oeste, e outros.

O ABC não poderia ficar atrás do rival e ainda fez melhor.

Jogando em casa, o alvinegro, que vinha todo prosa de uma vitória sobre o Cruzeiro, não jogou nada e deu nova vida ao Luverdense.

O clube de Lucas do Rio Verde vinha “descendo a ladeira” com tudo, e havia perdido sete das últimas dez partidas disputadas.

Graças ao ABC, respira aliviado na 12ª posição, com 40 pontos.

O ABC perdeu a chance de ultrapassá-lo, e ser ele a está nesta confortável colocação.

O América, na 17ª, primeiro na zona de risco, se tivesse vencido passaria ao próprio Bragantino e deixaria o “inferno”.

Perdeu, continua em enorme risco e ainda fez o ABC cair mais uma casa.

Uma jornada de envergonhar.

*Foto: Frankie Marcone


ABC perde em casa e fica em situação de risco na 15ª posição

Edmo Sinedino,

bahia_09Mais um inaceitável resultado negativo, e dentro de casa. ABC 0 x 1 Luverdense.

Uma outra derrota para uma equipe inferior, que, justamente, volta a se recuperar em Natal.

O ABC foi medíocre, sem criatividade e ficou durante quase toda a partida numa jogada só.

Numa malhada, ultrapassada e malfadada ligação direta.

De que adianta escalar dois meias e fazer com que o melhor- Ronaldo Mendes – vá jogar de costas para a defesa, lá na frente, sem função?

Dois meias, ficando apenas um na ligação, justamente o Xuxa que, desde que chegou ao ABC, nunca fez bem essa função.

Aliás, ele nunca fez bem função nenhuma.

No final da partida, ainda ouvi de um narrador esportivo a crítica ao rendimento do Alvinho.

Como um atacante de velocidade vai render, se o seu forte, a velocidade, o drible, em momento nenhum deram oportunidade para esse tipo de jogada?

Alvinho, não sei se por ordem do treinador, jogou mais centralizado que o próprio Rodrigo Silva.

E com o Madson, claro, fazendo as ultrapassagens pelo lado direito, o certo seria formar sempre a dupla na jogada, e também fazer o Alvinho cair do lado oposto.

Simples assim.

E o ABC jogou bem nos minutos iniciais, mas inexplicavelmente, a sua defesa, principalmente o Samuel, Daniel e Suéliton começaram a fazer o antijogo da ligação direta.

Fim do ABC.

E à medida que o tempo foi passando, salvo uma ou outra jogada individual ou de falha da defesa fraca da Luverdense, o time da casa não conseguia fazer nada.

Perdeu o pênalti que certamente mudaria a história do jogo e todo o resto se resumiu ao que já escrevi acima.

O treinador Moacir Júnior, de novo, de novo, e de novo, se complica todo quando vai mudar.

Erra na primeira, volta a errar na tentativa de consertar o primeiro engano, e tudo se transforma num festival de troca-troca sem efeito nenhum.

Uma mediocridade que, certamente, assusta o torcedor.

Agora, correr atrás e tentar, de novo, recuperar fora os pontos perdidos em casa.

Nem sempre dá certo.

Foto: Frankie Marcone



Wagner Benazzi, um dos piores técnicos do Brasil, entrega cargo na Lusa

Edmo Sinedino,

benazzi_09Caiu mais um treinador da Série B.

Wagner Benazzi desistiu, se acovardou e pediu o boné, somente para não colocar em seu currículo mais um rebaixamento.

Benazzi é, de longe, um dos piores treinadores do futebol do Brasil.

Por duas vezes, quando esteve em Natal, dirigindo Bragantino e outra equipe que não recordo bem, acho que a própria Lusa, fiquei observando.

O cara nada sabe de futebol, e ainda fica evidente que, no Bragantino, quem dava as ordens era um gordão, talvez o médico.

O treinador, no entanto, elogiado por parte da mídia, não sei o motivo, já deve ter passado por uns seis clubes nessa Série B 2014.

E podem escrever: já, já está empregado de novo.

O Wagner Benazzi é mais uma piada desse futebol brasileiro de tantos absurdos.

Sempre com apoio de seus "amigos" da imprensa.



UFRN é vice-campeã da Liga Nacional de Futebol Universitário

Edmo Sinedino,

Está de parabéns o futebol da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Os meninos potiguares ficaram com o vice-campeonato brasileiro da Liga Universitária de Futebol, melhor entre as universidades federais, perdendo a final, nos pênaltis, para a Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) da Bahia.

O nosso selecionado teve o goleiro, seu maior destaque, expulso ainda no primeiro tempo, mesmo assim, perdendo de 1 a 0 foi buscar o empate, levando a decisão para os tiros livres diretos.

No final, 4 a 3 para os baianos.

A final aconteceu na manhã deste sábado (18), no Centro de Treinamento do Clube Atlético Porto de Caruaru.

Campanha

Os representantes potiguares após a classificação no Grupo C, eliminando adversários como Universidade Federal do Ceará (UFC) e Universidade Federal de Alagoas (UFAL), passou nas quartas de final pelo IBGM de Pernambuco, e na semifinal bateu a FATE do Ceará.

*Com informações do assessor Renan Meira



América volta a perder e permanece na zona de rebaixamento

Edmo Sinedino,

Uma nova decepção.

Uma derrota que pode custar, sem exagero, o rebaixamento.

O América perdeu para o Bragantino, em confronto direto, e joga fora a chance de sair da zona de rebaixamento.

Mais uma vez, na Série B, o América foi um time apático, sem garra, assistindo ao fraco adversário tomar conta do jogo.

Apesar de saber quer as arbitragens são determinantes na reta final, sempre, em jogos no Estádio Nabi Abi Chedid, nem essa justificativa o rubro pode dar.

O gaúcho anulou gol legal do Bragantino, “se redimiu” marcando um pênalti duvidoso, mas em Bragança já vi coisa muito pior.

A opção da formação não funcionou. De novo, o meia Jéferson deixou a desejar na criação, e os alas, pouco acionados, foram meros expectadores da partida.

Uma via crucis se inicia agora até o final da competição.

O América se obriga a vencer o Vasco, terça-feira, em casa, e também ao América Mineiro, em Minas. seus próximos adversários.

O treinador Roberto Fernandes, em entrevista após a partida, chateado, falou sobre a necessidade de mudança de comportamento de alguns jogadores.

Deixou claro que, nessas horas, vale muito a transpiração e garra que a técnica.

E acho que, a partir de agora, a cobrança maior vai ser nesse sentido.



Futebol da UFRN disputa título inédito na Liga Universitária Brasileira.

Edmo Sinedino,

Que maravilha!

Ano passado, no programa Esporte Fino, da 96 FM, entrevistei a rapaziada que ia para as disputas da Liga.

Infelizmente, eles ficaram nas quartas de final. Esse ano, no entanto, já somos vice-campeões brasileiros.

Quem sabe não vem o ouro.

A partida é na manhã deste sábado.

Boa sorte!

Futebol da UFRN disputa título inédito na Liga Unviversitária Brasileira.

Equipe de futebol da UFRN irá disputar título universitário inédito na Liga Universitária Brasileira na cidade de Caruaru-PE, onde participaram 17 universidades de todo Brasil e em sua maioria Universidades particulares que dão bolsas a atletas muitas vezes profissionais.

Nos outros anos o máximo que conseguimos foi disputar as quartas de finais. Esse resultado é muito importante para nossa universidade que através da Magnífica Reitora Ângela Paiva vem dando bastante apoio ao esporte sendo resultado de um grande trabalho feito pela comissão técnica e empenho dos atletas.

Ressaltamos que atualmente a equipe treina em um campo padrão FIFA que a Copa nos deixou como legado. A Divisão de Atividades Desportivas através de sua diretora Suzet Cabral, assim como a Pro reitoria de Assuntos Estudantis sentem-se muito honrados com esse resultado.A classificação aconteceu em partida contra a

FATE-CE, na manhã desta sexta-feira. Após empate de 0X0 no tempo normal, o goleiro Yuri brilhou e defendeu duas cobranças da equipe adversária, garantindo a vitória de 4X1 na disputa de pênaltis. 

Após se classificar no grupo C, eliminando adversários como a Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e a Universidade Federal do Ceará (UFC), a seleção da UFRN eliminou a equipe do Instituto Brasileiro de Gestão e Marketing (IBGM-PE) nas quartas-de-final.

A final da Liga do Desporto Universitário acontece neste sábado, 18, às 9h, no Centro de Treinamento do Clube Atlético Porto de Caruaru. A seleção da UFRN enfrenta a Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC), da Bahia.

A Liga do Desporto Universitário de Futebol acontece todo ano e é a competição mais importante da categoria. A disputa é realizada pela Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU).




Resultados desta sexta-feira ajudam América e ABC

Edmo Sinedino,

Na continuação da rodada de número 30 do Brasileiro da Série B, os resultados não poderiam ser melhores.

ABC e América festejam.

O empate sem gols entre Icasa e Oeste de Itápolis foi comemorado em dose dupla.

O resultado tanto ajudou ao América quanto ao ABC.

O Icasa continuou na 18ª posição, abaixo do time rubro, agora com 29 pontos, e o Oeste de Itápolis permaneceu uma posição abaixo do ABC, 15ª colocação, com os mesmos 35 pontos.

O ABC tem duas vitórias de vantagem sobre o time de Itápolis – 10 a 8 – e melhor saldo de gols também.

Em outro confronto de ótimo resultado para a dupla potiguar, a Ponte Preta bateu a Portuguesa de 3 a 0, no Canidé.

A Lusa é lanterna com 21 pontos, e está virtualmente rebaixada. A Macaca segue líder, agora com 57 pontos.

Agora, os nossos representantes precisam fazer sua parte nos jogos de amanhã.



Ronaldo Fenêmeno, de novo, faz papel ridículo ao tentar ajudar Aécio

Edmo Sinedino,

ronaldo_01Não existe um sujeito mais ridículo que o Ronaldo, ex-jogador e hoje cabo eleitoral de Aécio Neves.

Absolutamente ignorante, repetidor de gafes e prova de sua ignorância, o ex-fenômeno, aquele mesmo do escândalo dos travestis se superou.

O débil mental comentou em seu Twitter sobre o desaparecimento de relatórios do Tribunal de Contas de Minas Gerais, que teriam provas contra o membro do PSDB.

E usou isso como crítica a Dilma, claro, virou motivo de chacota na rede social.

Um asno desses ainda vai embaixador de nossa Copa do Mundo.



Seleção UFRN está entre as quatro melhores do Brasil

Edmo Sinedino,

Vejam o resultado de um bom trabalho.

A rapaziada da UFRN tem uma dedicação toda especial com essa equipe.

E eu desejo sorte nessa fase.

Seleção UFRN está entre as quatro melhores do Brasil

No último domingo (12) teve inicio a Liga do Desporto Universitário de Futebol de Campo, que neste ano acontece na cidade de Caruaru/PE. Após se classificar no grupo C, eliminando adversários como a UFAL/AL e a UFC/CE, os potiguares chegaram às quartas-de-final passando pela forte equipe da IBGM/PE. Nesta sexta-feira (17), acontece as semi-finais, e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte já é uma das quatro melhores equipes do país. O próximo compromisso será diante da FATE/CE, às 9 horas, com transmissão lance a lance na página oficial da Seleção no facebook.

A Liga do Desporto Universitário de Futebol acontece todo ano e é a competição mais importante em se tratando de futebol universitário. A competição é uma realização da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU).

Fonte:Renan Meira/assessor de imprensa


Roberto Fernandes ganha reforços importantes

Edmo Sinedino,

O técnico Roberto Fernandes vai contar com reforços importantes para a partida contra o Bragantino, jogo decisivo deste sábado.

A partir de agora, nem precisa dizer, todos são.

Wanderson, Neto, Arthur Maia, Márcio Passos, Pimpão e Jean Cléber, que embarcou depois, podem atuar.

Roberto Dias, ao contrário do que foi divulgado, não viajou.

Falei com Gilmar dos Santos, supervisor do time rubro, por telefone, e ele me esclareceu a condição normal de jogo do zagueiro Lázaro, que foi expulso contra o Flamengo.

Ele não tem que cumprir “Lei do Cão”, pois é outra competição.

Sem dúvida, o treinador ganha ótimas opções.

O América enfrenta o Bragantino, neste sábado, às 16h20, e se vencer sai da zona de risco.



Alvinho dá presente de golaço no aniversário de seu pai

Edmo Sinedino,

alvinho1_09Quando Alvinho marcou o golaço,  um dos mais bonitos da Arena das Dunas, festejou fazendo gesto de um bigode.

Por um momento pensei que ele tivesse tirando onda com o William, que também festeja seus gols nesse estilo.

Mas não. Alvinho estava homenageando o seu pai, que tinha estado internado na UTI e, recuperado, fazia aniversário.

Um presente e tanto.

Espero que Alvinho possa, agora, ter uma chance de verdade no time.

O técnico Moacir Júnior sinalizou com a possibilidade.


Atuações: defesa do América e o atacante Isac merecem destaque

Edmo Sinedino,

Análise, com nota, das atuações dos jogadores do América na partida contra o Flamengo, no Maracanã.

Time rubro perdeu de 1 a 0, e se despediu da Copa do Brasil de cabeça erguida.

Andrey – Como sempre, um goleiro que dispensa comentários. Seguro, de ótimo reflexo e que passa confiança e tranqüilidade ao time. Fez belas defesas e não teve culpa no gol.Nota 8.

Wálber – Boa atuação do ala. Esteve sempre bem no quesito marcação, quase conseguindo anular a forte jogada pelo lado esquerdo do Flamengo. Nota 7.

Cléber – Boa atuação. Seguro, sem ser envolvido pelos atacantes do Flamengo. Seguro, apenas pecando na sua “velha” saída de “ligação direta”. Nota 7.

Edson Rocha – Mostrou porque é o eterno capitão do América. Fazia meses que não jogava, assumiu os riscos e foi para o jogo e deu conta do recado. Nota 7.

Thiago Cristian – Fez um bom jogo, não comprometendo e ainda saindo, de vez em quando, ao ataque, claro, dentro de suas limitações. Nota 6.

Judson – Ativo, pegador, rápido na cobertura e bem na saída de bola. Nos jogos que fez contra o Flamengo acho que ganhou espaço no grupo. Nota 7.

Lázaro – Para mim outra boa figura do América. Jogando como meiocampista de contensão, conseguiu realizar bom jogo, marcar e sair com bom passe. Foi expulso injustamente. Nota 7,5.

Andrezinho – Uma atuação apenas regular. Precisava ter se apresentado e participado mais. Nota 4.

Jéferson – Também deixou a desejar no quesito participação, mas ainda foi melhor que o companheiro de criação. Nota 6.

Paulinho – Altos e baixos. Claro, também foi prejudicado pela falta de quem o acionasse melhor na partida. Nota 5.

Isac – Bem no jogo. Se movimentou o tempo todo, abriu espaço, veio buscar jogo, finalizou e quase marca. Está voltando a ser o atacante que conquistou a torcida do América. Está merecendo continuar como titular. Nota 7.

Pimpão – Entrou para pôr fogo no jogo, mas foi prejudicado pelo gol do Flamengo e expulsão do Lázaro. Mesmo assim teve boa atuação. Nota 6.

Paulo Henrique – Entrou para fechar, barrar a boa jogada do Fla pelo lado direito. Nota 4.

Rivaldo – Entrou e mostrou muita disposição, mesmo no pouco tempo que esteve em campo. Arriscou finalização e quase marca. Nota 5.


Atuações: Madson, Rodrigo Silva e Alvinho em destaque

Edmo Sinedino,

madson_091Análise, com nota, das atuações dos jogadores do ABC na vitória, histórica, de 3 a 2, sobre o Cruzeiro.

A partida, pela quartas de final da Copa do Brasil, foi realizada na Arena das Dunas.

Gilvan – Foi bem em quase todo o jogo, mas acho que demorou a sair e falhou no lance do segundo gol. Nota 5.

Madson (foto) – Um jogador que vem fazendo a diferença, e sempre realizando atuações que merecem elogio. Hoje, mesmo sem ser tão acionado como deveria, e merecia, foi destaque do time do ABC com jogadas importantes. Nota 8.

Suéliton – O defensor alvinegro teve boa atuação, e pouca culpa ou nenhuma nos gols do Cruzeiro. O ABC vem repetindo erros de marcação nas bolas alçadas, erros coletivos. Foi bem. Nota 7.

Marlon – Um pouco abaixo do nível do companheiro, mas sem compromete. Nota 6.

Samuel – Entrou e fez exatamente o que eu imaginava que faria. Marcou bem, fechou os espaços pelo lado direito, e não foi ala. Nota 6.

Daniel Amora – Bem na marcação, regular na distribuição, e pecando na chegada na frente, mas, como sempre, merecendo registro a sua luta incansável e procura do jogo todo o tempo. Nota 6.

Fábio Bahia – Corre e marca. Se esforça, pode parecer importante para alguns, mas eu continuo sem enxergar sua função em campo. Quando o ABC estava perdendo seria o jogador a ser sacado, e não Patrick. Nota 4.

Patrick – Um jogador importante, lutador e de boa qualidade na bola parada. Estava bem no jogo e não deveria ter saído. Nota 6.

Xuxa – Marcou, com categoria, o gol de penalidade máxima. Fez muito pouco além disso, e como sempre digo, pouco para quem joga na ligação. Nota 4.

João Paulo – Realizou duas boas jogadas, mas sentiu e saiu. Sem nota.

João Henrique – Talvez o jogador mais criticado ao final da partida. A torcida ficou irritada com os gols desperdiçados. Sua atuação pode ter definido a desclassificação do ABC. Nota 2.

Rodrigo Silva – Estão, me parece, aos poucos recuperando a vontade de jogar. Ou será que é tão somente uma melhor condição física. Marcou um gol, e não foi só isso. Se mexeu como centroavante e incomodou a defesa do Cruzeiro. Nota 8.

Alvinho – Assim que entrou já mostrou que estava querendo jogo, de verdade. Foi participativo em quase todos os lances de ataque do ABC. Marcou um golaço. Nota 8.

Beto – Não teve tempo para nada. Sem nota.



América sai de cabeça erguida no Maracanã

Edmo Sinedino,

FLA-H2O América também sai de cabeça erguida da Copa do Brasil.

O time rubro com muitos desfalques, de jogadores importantes como Arthur Maia, Wanderson, Arthur Henrique, Márcio Passos, Pimpão (entrou depois), Marcelinho e Fabinho, não se curvou ao Flamengo.

Tomou um gol somente no segundo tempo, e depois, prejudicado pelo árbitro Elmo Resende, que expulsou Lázaro em lance de, no máximo, cartão amarelo, segurou-se até o final e ainda criou sim algumas dores de cabeça para a defesa do Flamengo.

Tanto incomodou que o intragável Vanderlei Luxemburgo, o “boca podre”, não parava de ferir os ouvidos dos telespectadores com seus horrorosos e repetitivos palavrões.

Um treinador de Flamengo que nunca vai deixar de agir como se fosse da várzea.

Acho que ele estava tremendo de medo do América, pois não parava de berrar com seus comandados.

O primeiro tempo, claro, mais posse de bola do Flamengo. Mas nenhuma ação de domínio, poucas ou nenhuma grande chance de gol.

Uma partida que se resume como morna, com o time da cada com mais posse de bola, mas sem empolgação.

O América jogou bem, dentro de suas limitações de plantel, e até criou boas situações de ataque.

No segundo tempo, o Flamengo veio com méis pressão. Evidente que o irritado Luxemburgo deve ter gritado e esbravejado no vestiário.

Mas as coisas não mudaram tanto.

Talvez um pouco mais de sorte. E descuido na recomposição dos homens de meio-campo e defesa do América.

Gabriel, já havia falando sobre esse jogador em outras partidas – sempre que entra o Flamengo cresce – acabou pegando uma sobra e abrindo o placar.

Acho que faltou somente ao Roberto, e ele tentou consertar isso depois, fechar a porta assim que o Gabriel entrou em campo.

Só depois, com a expulsão injusta de Lázaro é que Roberto fez entrar o Paulo Henrique, e justo quando tinha feito entrar o Pimpão para arriscar mais na frente.

Pouco depois, felizmente, o jogador Marcelo esmurra o chão e também  é expulso. A velha e sempre aplicada “lei da compensação”.

Tudo igual, o América sai para o jogo e quase empata com Isac. Volta a incomodar mesmo e a mostrar o quanto é pequena a diferença entre os times “grandes” e “pequenos” do futebol do Brasil.

Sentindo que dava – até acho que ele demorou – Roberto Fernandes faz entrar o garoto Rivaldo no lugar de Andrezinho.

O América criaria duas boas situações de gols, com Rivaldo e Pimpão, e o Flamengo com Luís Antônio a Canteros.

Final de partida.

Acho que Vanderlei Luxemburgo respirou aliviado. Não sei, acho que ele teve algum sonho ruim sobre essa partida.

Estava com muito medo.

Vai ver foi alguma cigana que o enganou.

Está de parabéns o futebol do RN.


O ABC enche de orgulho o povo potiguar, o povo do Nordeste

Edmo Sinedino,

alvinho_09Mais um jogo para ficar na memória e registro na nossa Arena das Dunas.

No primeiro tempo, assim como foi em Minas, o ABC conseguia parar o líder do Brasileirão.

E nem era tarefa assim tão difícil.

Sem alguns de seus principais valores – Everton Ribeiro, Marcelo Moreno, Mayke, Ricardo Goulart e Lucas – o time celeste é comum.

Mas é comum mesmo.

Pode ser derrotado por qualquer clube que disputar a Série A.

O gol de abertura do placar saiu de bola parada. Escanteio cobrado – antes em lance igual o Niton havia acertado a trave – a bola protegida pelo Dedé, sobrou para Willian, que soltou um chutaço sem defesa para Gilvan.

O jogo seguiu igual. Exatamente como se fossem dois times de uma mesma série, com a mesma folha salarial, inclusive.

Antes do Cruzeiro fazer seu segundo gol, numa falha da defesa e morosidade do goleiro Gilvan, o atacante João Henrique perdera dois gols incríveis.

Incríveis! Incríveis.

Depois de ser disputada por Rodrigo Silva, acordado no jogo, a bola sobrou livre para ele. Quicando. Ele deu uma “catôta” no peito de Fábio, goleiro.

A bola, de tão em cima, mesmo fraquíssima, bateu no goleiro cruzeirense e voltou para ele. Dormindo, ele deixou Manuel travar, ganhar a bola e sair jogando.

Inadmissível.

Depois do 2 a 0. A torcida fez um silêncio sepulcral.

O segundo tempo começou da mesma forma do primeiro. O Cruzeiro tentando impor seu ritmo, mas sem se achar, e o ABC querendo despertar.

Aos 14 minutos, Rodrigo Silva, bem no jogo, acordado, sobe mais que a defesa titubeante do Cruzeiro e diminui.

O gol provoca um frisson na Arena das Dunas.

O torcedor do ABC, um dos melhores “jogadores” em campo acorda e vai para cima do Cruzeiro.

Em lance ilegal, o jogador Marlon é seguro, o árbitro marca pênalti – Marlon estava adiantado.

Xuxa cobra, com categoria, uma de suas poucas boas ações no jogo, e empata a partida.

A torcida enlouquece. A Arena se transforma sim, por que não? É um “caldeirão” tão efervescente quanto o Frasqueirão.

“Eu acredito! Eu acredito! Um grito só nos quatro cantos do estádio.

O Cruzeiro sente o jogo. Fica evidente que, se o ABC tivesse um meio-campo de mais qualidade, de melhor passe, de chegada na frente, conseguiria tirar proveito.

A partida segue muito pegada, os visitantes se assustam, eles temem o inacreditável.

O terceiro gol sai. Um golaço de Alvinho (foto), que domina, e, de voleio, marca. A festa explode com mais intensidade.

Pena que é tarde. Pena que Alvinho entrou muito tarde no jogo. Pena que João Paulo saiu logo no começo. Pena que João Henrique perdeu tão boas chances.

Que pena!

Que pena, nada! Parabéns ABC! Você deu uma lição no futebol do Brasil.

Em tempos de tantos ataques aos nordestinos, você encheu de orgulho o povo potiguar, o povo do Nordeste.

E com esse resultado, já escrevi sobre isso em outra postagem, o ABC pode ter mudado a história do Brasileirão 2014.



ABC pode ajudar a mudar a história do Brasileirão

Edmo Sinedino,

cruzeiro_09O que é o futebol.

Em nenhum momento do jogo, o Cruzeiro mostrou a supremacia que todos cantavam antes dos confrontos.

Assim como na partida em Minas Gerais, o ABC conseguia equilibrar as ações, até porque, o líder da Série A está, claramente, em queda livre em seu rendimento.

Podem ter certeza, a confiança do Cruzeiro está abalada, e outro time potiguar pode ser o responsável por uma nova mexida no Brasileirão.

Quando perdeu para o América de 5 a 2, em pleno Maraca, o Flu era a equipe do futebol mais bonito e brilhante do Brasileiro.

Contando inclusive com o Cruzeiro.

Era meu favorito ao título. Depois da derrota, nunca mais se encontrou, e hoje luta somente para chegar à Libertadores.

Eu já falei sobre o poder, a influência do psicológico sobre as atuações.

E Dedé, Manoel, Nilton e todo o escrete celeste sentiram demais a cobrança.

Dava para ver, bem claro, o assombro nas feiões dos atletas cruzeirenses.

Tenho certeza que eles se lembraram do Fluminense.

E quase acontece uma nova virada histórica de uma equipe potiguar, acho que faltou muito pouco.

Se o ABC estivesse mais tempo em campo com atacantes como Alvinho, e não é só pelo golaço, mas pela disposição que demonstrou assim que entrou, poderia sim ter classificado.

Sem falar nas chances incríveis, desperdiçadas pelo atacante João Henrique.

Mas é disso que é feito o futebol. Valeu por mais essa linda festa do futebol em nosso estádio.

A torcida aplaudiu a virada.

Merecidos aplausos pela vitória, também, histórica na Arena das Dunas.


Aquele gostinho de que podia mais...

Edmo Sinedino,

alvinho3_09Minha nossa!

O Alvinho (foto) e Felipe Alves de fora vendo o João Henrique, o Beto, o Lúcio Flávio, os caras de fora com todas as chances do mundo.

Como é que um atacante pode ser tão improdutivo quanto esse João Henrique?

E como é que um treinador pode esperar tanto para sacar, trocar esse mesmo falível atacante?

Patrick ficava em campo, é claro, saía o João Henrique.

Continuava liberando o Madson a todo vapor.

Mesmo o Cruzeiro, viram só? Treme. Não tem jeito.

Não tem bicho, o que falta é coragem.

O ABC se despede de cabeça erguida, com muito orgulho por sua participação, mas não fica aquele gostinho de saber que podia mais?

E que golaço de Alvinho!

Será que vai servir para alguma coisa?



Santa bate o Bragantino e América tem chance de sair do Z4

Edmo Sinedino,

O América recebeu mais uma boa ajuda dos resultados na Série B do Brasileiro.

Equipes que estão abaixo, como Vila Nova, e um pouco acima, como o Bragantino, perderam na noite de hoje.

O Braga realizou partida atrasada da 18ª rodada, enquanto que Boa 3 x 0 Vila Nova valeu pela abertura da 30ª rodada.

Com o resultado, o time de Bragança Paulista completa sua quinta partida sem vitória, o que significa que vai enfrentar o América atravessando uma grave crise.

O jogo, chamado de seis pontos, é decisivo para ambos.

O time rubro natalense ocupa 17ª colocação, com 30 pontos, enquanto que o Braga está uma posição acima, com 33.

Uma vitória simples tira o América do Z4.

O confronto acontece sábado, no estádio Nabi Abi Chedid, às 16h20.

No outro jogo válido pela 30ª rodada, o Atlético/GO bateu o Avaí de 2 a 0.

Ponte Preta, Vasco, Joinville e, principalmente, Ceará, agradecem.


21-40 de 3039