As velhas especulações repetidas; Náutico quer levar Roberto Fernandes

Edmo Sinedino,

O Náutico está querendo levar Roberto Fernandes.

Isso havia se tornado comum, mas tinha dado uma parada, e agora recomeça.

O treinador do América estaria no topo da lista de pretendidos, ao lado de Hélio dos Anjos.

Waldemar Lemos, atual treinador do Boavista, adversário do ABC hoje pela Copa do Brasil, também seria um dos cotados.

Quanta bagaceira treinando futebol.

Até mesmo o Martelotte, aquele mesmo entregador de camisas que afundou o América, ano passado, faz parte da lista.

A matéria diz, no entanto, que a direção do clube de Natal deve dificultar a saída de RF.

O Náutico demitiu Moacir Júnior, outro, sem futuro, que também passou por aqui, só que treinando o ABC.

A direção do clube pernambucano não confirma o interesse em Roberto Fernandes.



Todo mundo afirma que Sandro vai ser titular contra o Boavista

Edmo Sinedino,

abc3_09Nesse momento, o ABC, claro, já está hospedado em um hotel do Rio de Janeiro.

O time alvinegro enfrenta o Boavista, nesta quarta-feira (4), em Saquarema, no estádio Euci Resende.

O treinador Roberto Fonseca só deve fazer uma mudança para a partida: Sandro no lugar de Clebinho.

Engraçado, me parece que ele não disse isso, o time não treinou, mas toda imprensa dá essa mudança como absolutamente certa e natural.

Clebinho nada fez, e Sandro quando entrou quase marca e, pelo menos, se mexeu. Por isso.

O time deve ser: Saulo, Reginaldo, Suéliton, Leandro Amaro e Lima; Bahia, Amora, Michel e Sandro; Kayke e Fabinho.

Confira a relação completa:

Goleiros: Saulo e Gilvan;

Laterais: Reginaldo e Lima;

Zagueiros: Suéliton, Leandro Amaro e Luizão;

Volantes: Fábio Lima, Daniel Amora, Michel e Marcel;

Meias: Clebinho, Sandro, Anderson Paraíba e Chiclete;

Atacantes: Fabinho Alves, Kayke e Júlio César.



Sem ala da direita, Roberto Fernandes deve improvisar garoto da base

Edmo Sinedino,

merica_09Mesmo de posse da relação não dá para saber qual vai ser o time do América.

O principal problema está na ala direita. Não acho que um dos alas possa ser escalado por ali.

Provavelmente, vai sobrar para o garoto da base, João Victor ou Yago.

Veja matéria

O técnico Roberto Fernandes relacionou 21 jogadores para o jogo contra o Vitória-BA amanhã (4), às 22h, na Arena das Dunas, pelo returno da primeira fase da Copa do Nordeste.

Entregues ao departamento médico, o comandante rubro não contará com o lateral Arthur Henrique, com os volantes Tiago Dutra e Zé Antônio Paulista, além do meia Cascata.

Após os exames realizados neste terça-feira (4), o técnico Roberto Fernandes teve a confirmação dos desfalques do lateral-direito Walber e do meia Cascata para o jogo de amanhã (4) contra o Vitória-BA pela Copa do Nordeste.

Enquanto que Cascata teve confirmada uma lesão de grau 1 no bíceps femural esquerdo - ou posterior da coxa esquerda - e deve ficar de fora, em média, dez dias, Walber teve uma lesão de grau 2 no adutor e a previsão de retorno é de duas semanas. 

Os relacionados:

Goleiros: Busatto e Pantera;

Alas: Julinho e Magalhães;

Zagueiros: Flávio Boaventura, Zé Antônio Potiguar, Edson Rocha e Cléber;

Volantes: Yago, João Victor e Judson;

Meias: Daniel Costa, Júnior Timbó, Álvaro, Mateus e Thiago Potiguar;

Atacantes: Gilmar, Emerson, Max, Alfredo e Gláucio.



América contrata outro volante

Edmo Sinedino,

fabiano2_09Ainda de volante, e de América, o clube contratou o garoto Fabiano, 20 anos, que vem do Flamengo de Guarulhos.

Como vem de fora, deve jogar logo.

Veja:

O volante Fabiano, de 20 anos, é o mais novo reforço do Orgulho do RN.  O atleta, que tem vínculo com o Corinthians-SP, estava atuando no Flamengo de Guarulhos-SP, por empréstimo.O atleta já chegou e iniciou os treinamentos.

Confira a ficha do jogador:

Nome completo: Fabiano Donato Alves

Natural: São Felipe-BA

Data nascimento: 01/12/1994

Idade: 20 anos

Altura:1,86m

Posição: Volante

Clubes que defendeu: CFC, Categoria de base do Botafogo, Figueirense, Palmeiras e Corinthians, Flamengo/SP.

Fonte: site do América

Foto: site do América

PS: vocês viram aí. Alto forte, da base do Corinthians Paulista, vai ser chamado de supercraque pelos nossos colegas da imprensa (maioria).



Os muitos desfalques do América para enfrentar o Vitória

Edmo Sinedino,

zeantonio_09Pelo que ando vendo, o América, parece, contratou outro atleta sem estar clinicamente 100%.

O volante Zé Antônio.

A tal da fascite patelar.

Para o jogo contra o Vitória, amanhã, o time não terá Maguinho, suspenso, Cascata e Tiago Dutra, contundidos, o ala Wálber, além do volante que veio do futebol paraense.

Cinco desfalques.

América e Vitória se enfrentam amanhã, às 22h, diante do Vitória.

Esse horário infame para torcedores, imprensa e todo mundo.

Ainda de volante, e de América, o clube contratou o garoto Fabiano, 20 anos, que vem do Flamengo de Guarulhos.

Como vem de fora, deve jogar logo.



Julinho, parece, não agradou; ou está "morto" fisicamente

Edmo Sinedino,

julinho_09Pelo visto, o ala Julinho, parece, não agradou.

Explico.

O time tem Magalhães, decepção até agora, e o menino Artur machucado.

Contra o América, até mesmo Gilmar que não jogava tem mais de ano entrou, Julinho não.

E mesmo para o próximo compromisso, em casa, diante do Vitória, ainda persiste a dúvida.

Eita danado! Que falta que fazem Wanderson e mesmo o garoto Bruno, que foi dispensado.

Quando um atleta chega e agrada, ganha a confiança do treinador, e sendo de fora, evidente, é logo escalado.

O que não aconteceu com o Julinho.

A não ser que esteja “morto” fisicamente.



Wassil Mendes está de volta ao Santa Cruz; já se esperava

Edmo Sinedino,

Como adiantei em postagens anteriores, e tudo mundo já esperava, Wassil Mendes está de volta ao Santa Cruz.

O treinador iniciou a temporada no comando do Potiguar de Mossoró, mas foi demitido na terceira rodada.

O treinador pernambucano radicado em Natal desde que parou de jogar futebol assume a vaga aberta com a demissão de Hígor César.

Até agora, seis treinadores deixaram as equipes do Estadual até a sexta rodada - Roderlei Pachani  e Rodrigo Alexandre (Palmeira), Rogério Augusto (Coríntians), Wassil Mendes (Potiguar), Hígor César (Santa Cruz) e Paulo Moroni (Baraúnas).


Cenas que se repetem a cada ABC xAmérica - relato de um torcedor

Edmo Sinedino,

Caro Edmo,

Amigo mais uma vez peço o espaço de sua coluna para tratar de um assunto antigo em se tratando de grandes jogos no estado, o despreparo da nossa força policial para trabalhar nestes eventos. Ontem a caminho do Frasqueirão pude presenciar um fato triste, lamentável, algo que chamou a minha atenção a ponto de pedir este espaço.

Por volta das 17:45 minutos estávamos chegando as imediações do estádio Frasqueirão e como de costume em dias de grandes jogos nós deixamos os carros dentro do conjunto Ponta Negra, nas imediações do posto da CAERN e seguimos caminhando até o campo.

Bom, nesse trajeto íamos em um grupo de 05 pessoas e mais a frente um casal vestidos com camisas do ABC e mais atrás de nós 02 torcedores do América também seguiam pelo mesmo caminho. Ao chegarmos a margem da rota do sol nos deparamos com o “comboio” da torcida organizada do América, que vinha acompanhada por batedores e da cavalaria da policia militar como infelizmente virou um costume.

Devido ao histórico de problemas originados por esses pseudos torcedores, cidadãos que não possuem um comportamento sociável e nem pensam no próximo, alertei aos demais para aguardar um pouco e deixá-los chegar ao ponto de acesso deles ao estádio. Como o pessoal estava preocupado pelo tamanho da fila que estava formada para entrar no estádio resolvemos seguir, e foi ai que ocorreu o fato lamentável: a torcida organizada como já imaginávamos iria nos insultar e provocar, até então nenhuma novidade, mas, o casal que ia a nossa frente foi ameaçado por alguns desses marginais e temendo algo pior pediu aos policiais militares que faziam a escolta que os ajudassem a passar pelo comboio, numa atitude coerente por parte deles. Para surpresa de todos, o policial com quem eles falaram deu a seguinte resposta: “vaza... vaza... vaza... porr..”, pasme amigo, a resposta do policial que acima de tudo deveria proteger o cidadão de bem foi essa!

Nisso outros 02 policiais encostaram no colega e ao que parece não entendem ou não estão minimamente orientados para agir numa situação simples como essa, segurar um pouco o comboio e fazer um casal passar na frente. Os outros policiais que encostaram foram na mesma linha e falaram: “Caralh..., vazem..., PQP, vão lá pro outro lado...” e o outro ainda disse: “Deixa essas porr... se fud..., quem mandou vir”.  Nisso o torcedor desesperado alegou que não tinha como atravessar para o outro lado e reforçou que eles tinham sido ameaçados. Por sorte e acima de tudo por um bom senso gigantesco, os torcedores do América que vinham mais atrás de nós correram junto ao casal e um deles gritou para os policiais militares:

- “pode deixar, pode deixar, eles estão conosco”;

- “Que isso pessoal, aqui é todo mundo é  torcedor”;

Daí virou para os policiais e falou que o comportamento da torcida estava errado, que eles não tinham feito nada para gerar uma agressão e que isso era covardia. 

Daí encostamos neles e reforçamos que ali estavam torcedores de ABC e América, que nenhum deles era de organizada, que todos eram torcedores comuns e que por conta deste tipo de situação não frequentam estádios. Ai apareceram mais uns 03 ou 04 Americanos e juntaram-se ao grupo e um deles ainda falou aos policiais: “Oficial é por causa deste tipo de coisa, dessa falta de segurança que vocês estão tendo trabalho, dá uma segurada aí para o pessoal poder passar...”.

Isso ocorreu em um tempo estimado de 10 minutos, algo que deixa triste e mostra como são tratados os torcedores que gostam e vão aos estádios, especialmente nos grandes jogos, nos clássicos. Amigo foi algo lamentável a atitude do policial militar, que mostrou todo o despreparo e descaso com que tratam os torcedores que gostam de futebol e vão aos estádios ou que iam, pois duvido muito que esse casal volte a frequentar um estádio de futebol depois disto. E o comando da PM faz o quê? Muda o comando e o problema continua!

Fica o exemplo dos torcedores que correram e intercederam pelo casal, e olhe que falamos com eles e nos falaram que nem os conhecia, mais vendo a situação pensaram em tirá-los de perto dos marginais.

Esse sim é um exemplo a ser seguido.

Abraço.



Flávio Anselmo nega, veementemente, concorrer a qualquer cargo no ABC

Edmo Sinedino,

flavio_09O empresário Flávio Anselmo não está mais interessado em futebol,  ou em concorrer a qualquer cargo no ABC.

O diretor de futebol que armou, justiça seja feita, os melhores planteis do ABC nas últimas décadas, inclusive o do título brasileiro, está "cuidando de seus negócios, e só", como faz questão de dizer.

O ex-dirigente se posicionou contra as especulações, no estádio, colocando-o numa suposta lista de candidatos da oposição junto com Leonardo Arruda e Judas Tadeu.

De agora em diante, segundo garante, Flávio acompanha o ABC apenas como torcedor que nunca vai deixar de ser.



Os virulentos discriminadores na luta contra os jogadores da terra

Edmo Sinedino,

O que alguns têm contra os meninos da casa?

Será porque eu me posiciono sempre em defesa deles?

Vai ver é isso.

É tanta a mediocridade.

Já ouvi um dizer que "Gláucio não tem sangue no olho"...

Até parece que lhe foi dado um mínimo de conhecimento de futebol.

Outro, caquético, recalcado até a medula, com todas as frustrações do mundo no cangote, diz que o mesmo Gláucio não é jogador para o América.

O mesmo caquético que afirmou ser Mateus uma aposta, e “o América não é lugar para aposta”...

E que Judson não mereceria ser titular do América.

São tantos os absurdos.

No jogo deste domingo, clássico, um conselheiro do ABC, meu amigo, me ligou indignado para dizer que um repórter de rádio votou em Chiclete (Jandson) como pior jogador do clássico.

O menino jogou 15 minutos, lutou, ganhou uma bola e deu passe para um quase gol de Sandro...

Não pode ser uma análise do jogo, só pode ser coisa pessoal.

Enquanto isso, Gilmar entrou, colocou a mão na bola, recebeu cartão amarelo, deu três passes errados...

Enquanto isso, o bom Max passou a partida toda sem faxer nada, recebeu um passe maravilhoso de Judson e perdeu gol feito...




Seis treinadores caíram em seis rodadas do Estadual

Edmo Sinedino,

moroni_09Uma rodada danada essa sexta.

Caíram mais dois treinadores.

Sinceramente, não sei o que dirigentes esperam mudar trocando de técnico como quem troca de roupa.

O exemplo do Potiguar de Mossoró está aí.

Hígor César foi demitido do Santa Cruz. Muito provavelmente deve assumir Wassil Mendes.

No Baraúnas, a exemplo do rival da cidade, deve ser contratado um nomão de fora para trazer mais reforços e seguir esse lugar comum.

O treinador do ABC, Roberto Fonseca também estava ameaçado, e acho até que escapou por conta do empate.

Vejam só que absurdo: seis rodadas e seis treinadores saíram. Desses, Paulo Moroni e Roderlei Pachani pediram para sair.

O gaúcho Moroni recebeu uma ótima proposta para dirigir o Piauí na Copa do Nordeste e já embarcou para Recife, onde a equipe já se encontra para jogar.

Eita futebol!



Alecrim bate o Santa Cruz e ultrapassa o ABC na classificação

Edmo Sinedino,

O Alecrim supera o ABC na classificação. Quem diria. O Verdão aparecia até, na conta de alguns, como candidato ao descenso.

Claro, os problemas existem, e com o treinador Anthoni Santoro, são expostos.

O time sofre jogando fora de casa e com um plantel reduzido.

Neste domingo, mais uma surpresa. O Alecrim bateu o Santa Cruz no Iberezão, 2 a 1, e de virada.

Os gols da partida foram marcados por Eduardo Rato, para o Santa; o empate veio com Yguinho e a virada com o garoto Diego Maia.

Na próxima rodada, contra o Palmeira, o Alecrim tem a chance de chegar à liderança. O jogo será domingo, no Nazarenão, a “casa” do time verde.



Baraúnas vence clássico e ainda sonha com o título do turno

Edmo Sinedino,

O Potiguar contratou demais, não precisava.

Essa primeira crítica eu fiz quando o Wassil Mendes ainda era treinador do Time Príncipe.

Pelo belo trabalho de base que realiza pensei, claro, que o alviurrubro iria mostrar uma meninada danada neste Estadual.

E com Wassil  no comando, achei a receita ideal.

Mas á medida que se aproximava a estreia, jogadores chegando. Depois, garotos sendo emprestados.

O Potiguar começou sem agradar. Na terceira rodada, Wassil caiu. Veio Edson Porto e mais cinco reforços.

Me desculpem, mas os reforços que vi em ação, minha nossa! Os meninos, tenho certeza, se sairiam muito melhores.

O Edson Porto estreou com  vitória sobre o fraco Palmeira. Depois, em jogo ruim, empatou com o ABC.

Neste domingo, perdeu o clássico. E pelo relato dos gols perdidos pelos comandados de Paulo Moroni, do Baru, deveria ter sido goleada.

Infelizmente, o futebol do RN na contramão.

Já vi alguns meninos do Potiguar em ação e, acreditem, eles não podem ficar de fora para os enganadores que tenho visto.

Os gols do jogo foram marcados por Daniel, para o Potiguar; André Tavares empatou e Emerson marcou o da virada.

Todos no segundo tempo.

Com o resultado positivo, o Leão do Oeste chega aos 10 pontos ganhos e ocupa a quinta colocação neste turno.

No próximo domingo, 8, a equipe enfrenta o Corintians de Caicó, em Macau, pela 7ª rodada da competição estadual.

Já o Potiguar, permanece com os sete pontos na 7ª posição. O próximo adversário será o Globo, também no domingo, 8, no estádio Barretão, em Ceará-Mirim.



Atuações: Kayke, Amora, Amaro e Busato, destaques do clássico

Edmo Sinedino,

kayke2_09Clássico é jogo especial. E por isso trago a análise, com nota, do desempenho dos jogadores.

A partida, de bom nível, acabou empatada de 1 a 1.

Faço o registro geral de que gostei bem mais da atuação do ABC, que foi o time que criou as melhores oportunidades de gols.

O alvinegro fez sua única boa partida até agora no Estadual, e merecia, sim, vencer.

ABC

Saulo – Foi bem no jogo. Pouco testado, acionado, diria, salvou o alvinegro do mal maior, a derrota, nos últimos minutos em lance que Max entrou de cara. Nota 7,5.

Reginaldo – Fez um bom primeiro tempo. Achei que ele, a exemplo de outros alas – Renato e Madson – começaria a brilhar. Caiu no segundo tempo, justamente quando tinha mais espaço para jogar. Nota 7.

Suéliton – Não comprometeu e se apresenta sempre muito bem levando o time à frente quase como volante. O ataque do América não “se criou”. Nota 7.

Leandro Amaro – Uma boa atuação. Diria que ele foi um dos melhores em campo. Bem por cima, sem faltas desnecessárias, jogando sério e ainda quase marca um gol em cabeçada. Nota 8.

Lima – Esperava muito mais do ala que estreou bem contra o Potiguar. Mas ficou muito preso, não arriscou tanto. Na marcação, porém, não comprometeu. Nota 6.

Fábio Bahia – A mesma coisa de sempre. Correria, alguns desarmes e pouca atividade positiva do meio para a frente. Nota 6,5.

Daniel Amora – Muito bem na partida, e posso dizer que nos dois tempos. Por incrível que possa parecer, com Reginaldo e pelo meio, foi criador de boas jogadas de ataque. Nota 8.

Michel – Na parceria com o Lima esperei mais. Teve uma atuação comum, sem brilho, com pouca passagem e quase nenhuma chegada na frente. Nota 6.

Clebinho – Alguns pouco lances no primeiro tempo. Pouca coisa para quem seria responsável pelas jogadas de criação. Jogou menos ainda no segundo tempo. Saiu. Nota 5.

Kayke (foto) – O tempo todo levando perigo à defesa do América, de um lado ou de outro. Marcou o gol e criou outras tantas boas jogadas de ataque. Nota 8.

Fabinho – Teve boa atuação, Foi menos efetivo que o companheiro, mas mesmo assim causou muito desgaste à defesa do América. Nota 7.

Sandro – Entrou bem, fez bem mais que o Clebinho. Nota 7.

Júlio César – Tentou. Mas ficou só nisso. Não conseguiu jogar. Sem nota.

Chiclete – Entrou e tentou, buscou realizar boas jogadas e até conseguiu. Nota 6.

América

Busato – Realizou defesas importantes que salvaram o América de uma derrota. Nota 8.

Wálber – Continua sendo a pricipal jogada de ataque do América, só que no clássico a única. Nota 7,5.

Flávio Boaventura – Não cometeu falhas que comprometessem, mas sentiu a falta de uma proteção maior. Esteve sempre muito vulnerável. Nota 6.

Zé Antônio – Passou pelo mesmo problema do companheiro de defesa. Nota 6.

Tiago Dutra – Não tão mal na marcação, mas pecou muito com erros de passes na saída de bola. Nota 5.

Judson – Foi bem no jogo, mas muito só na proteção à defesa. Nota 6.

Maguinho – Hoje fez um jogo na sua posição e foi bem. Conseguiu imprimir velocidade às jogadas de contra-ataque do América. Nota 7.

Daniel Costa – Bons momentos, principalmente na bola parada. Peca por participar pouco e não recompor. Nota 6.

Cascata – Começou bem, mas saiu machucado. Sem nota.

Tiago Potiguar – Tem tido atuações prejudicadas por se fixar de um lado de campo e não tem um companheiro para trabalhar as triangulações e ultrapassagens. Nota 6.

Max – Um dia de atuação muito apagada. Não se mexeu dentro da área, além de ter sido muito pouco acionado. No fim, ainda perdeu a chance do jogo. Nota 5.

Emerson – Correu, tentou, marcou o gol, mas, de novo, errou muitas jogadas simples e pouco realizou como atacante de beirada. Nota 5.

Gilmar – Uma ou duas tentativas de correr com a bola, depois apagou-se e nada fez. Sem nota.

Álvaro – Sem tempo. Sem nota.

*Foto: Frankie Marcone


Os motivos da crise

Edmo Sinedino,

torcida1_09Apenas  6.554 torcedores no clássico do centenário.

Triste.

E para completar, em campo, e entre “torcedores” do ABC mais uma demonstração de violência.

Vários foram presos, e só Deus sabe o que ainda vai acontecer neste resto de domingo em vários pontos de Natal.

Televisão, falta de investimento, divulgação, promoção e a violência, pois demora uma cão efetiva contra torcidas, ditas, organizadas, tudo isso, acrescido ao futebol de baixa qualidade técnica (não foi caso de hoje) vai tirando os verdadeiros torcedores dos estádios.

O nosso futebol precisa ser repensado.

A FNF precisa agir como verdadeira gestora e se juntar aos dirigentes dos principais clubes para tentar encontrar soluções efetivas.

O futebol do RN está caminhando para o fundo do poço.

Menos de sete mil torcedores em um clássico.

O que acontece?

O povo do RN, tenho absoluta convicção, não deixou de gostar de futebol.

*Foto: Frankie Marcone


Favorito era o América, mas o ABC joga mais e merecia vencer clássico

Edmo Sinedino,

kayke_09Futebol é mesmo uma matéria muito impressionante. Por isso que tão poucos dominam.

Na única , podemos até dizer, realmente boa partida que fez no campeonato até agora, e que merecia vencer, o ABC ficou no empate de 1 a 1 diante do, até então, favoritíssimo América.

Um bom jogo de futebol. Não foi brilhante, mas foi disputado, foi empolgante.

Os treinadores, principalmente Roberto Fonseca, do alvinegro, correu riscos, tentou vencer e armou o time para isso.

Final, 1 a 1, injusto, para o que fez o ABC na partida, sempre melhor que o adversário.

A partida começou pegada, de poucos espaços, como sempre acontece em clássicos decisivos.

No comecinho da partida, por conta de ter mais criadores, jogadores de bom passe em campo, o América levava ligeira vantagem.

O ABC, no entanto, aos poucos foi tomando conta da partida, fechando os espaços, e utilizando Reginaldo e Daniel Amora como sua melhor jogada, pela direita, criava embaraços para a marcação do América.

Pelo lado esquerdo, com Lima e Michel, que deveria ser o lado mais forte, a coisa não funcionava tão bem.

Outro diferencial do ABC na jogo deste domingo foi a maior, bem maior movimentação dos atacantes Fabinho Alves e Kayke, principalmente o segundo.

O América, somente com Judson mais fixo na marcação, e Tiago Dutra, meio torto como lateral, passava apertos.

Claro, perdia na recomposição, pois tinha três jogadores sem a característica de marcar, fechar espaços – Cascata, Daniel Costa e Tiago Potiguar.

E quando Cascata sente lesão na coxa e deixa o jogo pouco antes dos 25 minutos, o time rubro se perde em campo.

Entra Emerson que é atacante de beirada. O time perde na criação e não ganha na marcação.

Para complicar, o gol do ABC sai logo depois.

Fabinho passa a Kayke (foto), a marcação não acompanha, a bola vai escapando de seu domínio, mas ele bate de bico, antes, e abre o placar.

Depois do tento assinalado, como naturalmente acontece, e não devia, o ABC se fecha e tenta garantir o placar favorável.

Por alguns minutos, o confronto ganha em movimentação, mas o time do América se abate, demonstra ter sentido o jogo.

Fim do primeiro tempo com o ABC merecendo a vantagem e novamente melhor.

Na volta para o segundo tempo nenhuma mudança nas equipes.

E logo no primeiro minuto, Daniel Costa cobra falta na lateral de área, o atacante Max empurra o zagueiro Suéliton, ele bate com a cabeça na bola, que desvia na trave e sobra livre para o atacante Emerson (foto) só empurrar, de cabeça, para dentro do gol livre.

Empate.

A partir daí, o retrato do jogo foi um só: o ABC comandando as ações, tentando pressionar, e o América jogando nos contra-ataques.

Os lances de maior perigo foram do ABC, duas defesas de Busato em chutes de Kayke e Fabinho, e uma bola no travessão, cabeçada de Leandro Amaro.

O ABC bem postado em campo, roubava na intermediária e saiu com velocidade pelos lados do campo, principalmente o direito, ou triangulando com Sandro que entrou bem na partida.

O ABC controlava sim o jogo, pressionava, mas correu o risco de tomar o gol da virada em contra-ataque que Judson lançou Max com perfeição.

Saulo salvou com o pé o chute no se lado direito.

No América entraram Emerson, autor do gol; Gilmar e Álvaro.

O atacante Gilmar, no primeiro lance, foi lançado em velocidade, levou a bola com a mão e tomou cartão amarelo.

No ABC,  entraram Sandro no lugar de Clebinho, Júlio César para Michel e Chiclete no lugar de Fabinho Alves.

Com o empate, o América permanece na liderança, com 14 pontos, seguido do Globo, 12 pontos; Alecrim, 12 pontos; ABC, 12 pontos; Baraúnas, 10 pontos; Santa Cruz, 9 pontos; e Potiguar, 7 pontos.


emerson1_09

Fotos: Frankie Marcone


Um desmotivado clássico do centenário

Edmo Sinedino,

aboa_09Clássico do centenário.

Estadual do centenário.

De muitas falhas, enganos, atrasos, mudanças, desrespeito ao torcedor.

Uma FNF omissa, mas madrasta na hora de punir os filiados por faltas que, muitas vezes, tem a parcela de culpa da entidade.

Domingo, Fraqueirão, clássico-rei sem promoções, sem emulação.

Nem vi mais o Cajulino ou as meninas, não se fala mais nas musas.

Não temos o Futebol em Tom Maior, o presidente deve culpar a falta de apoio.

Falta, acho eu, uma campanha de marketing, pequenina que seja, em defesa da paz, do futebol bem jogado.

Uma propagada ação pela segurança...

Conheço muitas pessoas que não vão ao clássico por medo da violência. E isso não é de hoje.

O presidente José Vanildo fala em um torneio do Centenário, mas já coloca a desculpa da falta de datas.

Minha gente, pelo amor de Deus! O Campeonato Estadual do Centenário seria a grande competição de homenagens aos clubes.

Ou não?

Com prêmios, sorteios, participações de torcedores. Escolha da musa do centenário, do craque do Campeonato do Centenário.

Usando rádio, internet, tevês, faces, twitters, tanta coisa poderia ser feita.

Mas precisaria de uma FNF que pelo menos procurasse copiar algo de bom de suas pares do Ceará, Bahia e Pernambuco...

E a CBF?

Busca de apoio sim, nesse caso especial, da CBF, a “madrasta” que vai pedir o voto de Vanildo, será que não atenderia?

Enfim, infelizmente, não sei de quem é a culpa, mas esse campeonato do centenário está sendo um verdadeiro fracasso.

Uma pena, mas é isso. Fracasso de renda, de público, de motivação, e de organização, principalmente, além de tecnicamente muito fraco.

O presidente da FNF, José Vanildo da Silva, claro, já elegeu seus culpados: o governo, a prefeitura, o empresariado e parte da imprensa que o critica.

Essa é a triste realidade.

Espero que pelo menos ele compareça ao Frasqueirão, domingo.


O maior trunfo do ABC é justamente o "favoritismo" do América

Edmo Sinedino,

roberto1_09Já falei do América, agora, o ABC.

O menos favorito no clássico. Mesmo jogando no Frasqueirão.

O time do povo ainda não realizou uma partida sequer convincente. Nem mesmo aquele enganoso 3 a 0 no fraco Palmeira.

A vitória magra na estreia, 1 a 0 no Força e Luz iniciaria o rosário de desconfianças.

Nenhum dos setores do ABC consegue unanimidade elogiosa.

A defesa, apesar de Suéliton, Leandro Amaro e Reginaldo ainda não foram aprovados.

Salvam-se o goleiro Saulo e o ala Lima, esse chegou e já estreou contra o Potiguar de Mossoró. Foram dele, as melhores jogadas de ataque.

O meio-campo só marca – sempre três volantes – não se sabe ainda qual o meia de ligação ideal, o titular.

O ataque agradou no começo, mas de forma até surpreendente foi caindo de produção e, claro, no conceito da torcida.

O último jogo foi terrível.

O maior aliado do ABC é justamente o “favoritismo” do América.

As opiniões de radialistas, comentaristas, pitaqueiros, todos afirmando o favoritismo, óbvio, do América, mesmo que a maioria não explique o porquê.

Outro fator favorável ao alvinegro pode ser, também, as declarações do treinador Roberto Fernandes, e me refiro ao que ele falou em desempenho nos clássicos.

A situação do alvinegro é complicada, no entanto, porque a equipe que ainda não se encontrou vai ter que fazer isso justamente no clássico.

E os atletas entram em campo sabendo que, não só eles, mas seu treinador está pressionado, e, claro, não resiste a uma derrota.

Se não fosso o fato de ser uma partida de futebol, pouquíssimo torcedores iriam para campo acreditando no triunfo do ABC.

Mas é futebol.

Para esse confronto, decisivo para ele, o treinador Roberto Fonseca, acho eu, só tem uma dúvida: quem vai fazer a ligação?

O time provável, portanto, deve ter: Saulo, Reginaldo, Suéliton, Leandro Amaro e Lima; Fabio Bahia, Daniel Amora, Michel e Clebinho (Sandro); Kayke e Fabinho Alves.

Os relacionados:

Goleiros: Saulo e Gilvan;

Laterais: Reginaldo, Lima e Jussandro;

Zagueiros: Suéliton, Leandro Amaro e Luizão;

Volantes: Fábio Bahia, Daniel Amora, Michel e Marcel;

Meias: Sandro, Anderson Paraíba, Clebinho, Erivélton e Jandson;

Atacantes: Fabinho Alves, Kayke e Júlio César. 


América é favorito sim, mas tem muita coisa para acertar

Edmo Sinedino,

municao_09Não me lembro de um clássico em que uma das equipes se apresentasse com tamanho favoritismo.

O América, pelo que apresentou até agora, e olha que não foi tanto assim, pode sim ser apontado como favorito.

Na verdade, na verdade, eu vi um grande jogo do América esse ano: os 45 minutos finais na partida contra o Serrano, pela Copa do Nordeste.

Não gostei da atuação do América contra o fraco Potiguar de Mossoró. Os 3 a 0 no Coríntians muito menos, foram gols em lances especiais; depois veio o empate com o Baru em que o goleiro Busato, assim como Érico, teve que trabalhar.

O jogo contra o Globo, na sequência, que esperava ser o teste definitivo, também não foi. Aos cinco minutos, o time de Leandro Sena já fazia “cera”.

Depois, os 5 a 0 no Palmeira. Esse então...

Deu para saber sim que o América tem um goleiro, de verdade, sem firulas (claro que pode falhar e os defensores de FH vão malhar), uma ótima defesa em que falta somente o ala esquerdo.

O meio-campo é consistente, mas ainda indefinido a forma que rende mais. Dois jogadores têm mantido um bom nível em todos os jogos – Judson e Cascata.

No ataque, Max, sempre Mas, ainda sem o companheiro ideal, e esperando por Pardal. Agora, certamente, o torcedor e mesmo o Roberto Fernandes devem acreditar mais no Gilmar.

É assim que vejo o América.

Volto a dizer que é favorito, mas não tem nada de tão especial assim.

E do jeito que o futebol está nivelado, por baixo, infelizmente, nada me surpreende.

E tenho certeza que Roberto Fonseca está usando o noticiário em favor do seu time.

O América deve entrar em campo com: Busato, Wálber, Boaventura, Zé Antônio e Julinho; Judson, Zé Antônio Paulista, Maguinho e Cascata; Gilmar (Tiago Potiguar) e Max.

Os relacionados:

Goleiros: Busatto e Pantera;

Laterais: Walber, Julinho e Magalhães;

Zagueiros: Flávio Boaventura, Zé Antônio Potiguar e Cléber;

Volantes: Zé Antônio, Judson e Maguinho;

Meias: Daniel Costa, Júnior Timbó, Cascata e Thiago Potiguar;

Atacantes: Gilmar, Emerson, Max, Alfredo e Gláucio.



Tião Medonho, outro ex-ABC, enterrado no mesmo dia de Jorge Demolidor

Edmo Sinedino,

No mesmo dia do enterro do ídolo Jorge Demolidor, por ironia do destino, era enterrado outro ex-jogador.

Esse de um passado um pouco mais distante, mas também inesquecível.

Minha querida amiga Fabíola Santana liga para me dar a triste notícia: morreu Sebastião, atacante que brilhou em ABC e Alecrim, e depois no Força e Luz e outros clubes.

Ele era conhecido por Tião Medonho.

Atuou também ao lado de Alberi, foi jogador somente da época do JL.

Me lembro de Tião Medonho, em meados dos anos 1990, ainda editor de esportes do Diário de Natal/O Poti fiz matéria especial com ele.

Já naquela época, abandonado, sem emprego.

Tião Medonho tinha 72 anos e residia, sempre, no bairro das Quintas.

Minhas condolências.


1-20 de 3662