Atuações: Kaike e Jean Patric foram os destaques da finalíssima

Edmo Sinedino,

Como sempre faço em jogos importantes, decisivos, e que acompanho totalmente, atentamente, analiso, com notas as atuações dos jogadores de América e ABC, o desempenho no clássico que terminou com a vitória e título dos rubros.

América

Ewerton - Como aconteceu no clássico passado, final do primeiro turno, me pareceu nervoso, mas fez boas defesas. Quase estraga tudo de bom que fez esse ano na agressão infantil sobre atacante Wanderson, do ABC. Lance poderia ter lhe rendido expulsão e custado o título. Nota 5.

Vinícius - Só apareceu em jogo aéreo quando batia laterais sacudindo a bola dentro da área. Conseguiu anular bem o atacante Éder. Nota 4.

Adriano Alves - Seguro, tranquilo, ganhou quase todas para o Rodrigo Rodrigues. Nota 6.

Alison Brand - Cresceu na sequência do campeonato, fez duas boas partidas finais, sentiu e saiu. Nota 6.

Alison Ferreira - o experiente zagueiro potiguar viveu os dois lados de uma moeda, poderia ser vilão, mas acabou herói. Cometeu pênalti claro em Wanderson, mas o árbitro não marcou, e no minuto final da partida fez o gol do título. Nota 5.

Kaike -  nunca pensei que, um dia, escolheria o ala do América o melhor jogador em campo. Incrível. Eu, antes, nem o colocaria de titular. Isso é confiança conquistada e hoje, pelo que fez durante todo o jogo, apoio constante e boa marcação, foi o melhor em campo e logo na decisão. Nota 8.

Leandro Melo - Não foi tão bem hoje, até porque quase todo time do América foi coeso. Fez seu papel de marcador de forma discreta, e sem comprometer. Nota 5.

Roger - No primeiro tempo, surpresa!, mais marcador, quase um segundo volante pelo lado direito. No segundo tempo, o Roger de ótimo passe, de grandes viradas, e foi substituído erradamente. Um bom jogo. Nota 7.

Max - entrou num momento ruim, o ABC reagia, mas foi de valia na hora das disputas finais de bola alçada na área, segurando e preocupando marcadores. Sem nota.

Hiltinho - Como sempre, vertical. Decisivo no primeiro gol e participativo em todas as jogadas de ataque do América. Nota 7.

Adenilson - bem no jogo, um pouco menos que os dois companheiros de armação. Precisa usar mais a boa arma que tem: o chute. Nota 6.

Jean Patric - outro que cresceu muito na reta final. Fez um ótimo jogo hoje, rivalizando com o Kaike em aproveitamente. O segundo melhor em campo na minha avaliação. Nota 7,5.

Pardal - sempre ele. Batalhador incansável, buscando o ataque e gol, infernizando marcadores, voltando para ajudar, hoje, ao contrário de quarta passada, quando foi mal, voltou ser o atacante que a torcida gosta. Nota 7.

ABC

No ABC, perdedor, destaco a boa atuação de Maurício; do Henrique, até de forma surpreendente, não comprometeu. A luta de Rodrigo Rodrigues, o bom futebol de Guedes e a sempre boa participação do goleiro Edson.



Marcelo de Lima Henrique foi o pior nome do clássico decisivo

Edmo Sinedino,

marcelo34_09Eu sei o que vem por aí. 

E não estou aqui, nunca estive nos lugares que trabalhei para agradar ninguém, ou desagradar, mas somente para falar e escrever o que penso.

Dois pênaltis claríssimos, não teria dúvida de maneira nenhuma em marcar. 

O primeiro, o garoto Ewerton deu um pontapé raivoso no Wanderson, penalidade máxima e expulsão do jovem goleiro rubro que poderia ter encerrado o Estadual estragando tudo que fez de bom. 

Tenho a mais absoluta convicção de que levou, ou vai levar, um tremendo puxão de orelhas de Moacir Júnior, se o treinador não o fizer é irresponsável. 

O segundo lance, o mesmo Wanderson finta o Alison, claramente, o zagueiro americano dá um tremendo puxão no pescoço do abcdista tirando-o da jogada. Pênalti. 

O árbitro renomado, super elogiado na transmissão, que levaria o jogo a bom termo, pela experiência, pelo fato de ter dirigido vários e vários grandes jogos do Brasil...balela, balela, balela! 

Esse mesmo Marcelo de Lima Henrique também já fez inúmeras lambanças, mas o nosso complexo de vira-latas vai ser sempre assim, supervalorizar as porcarias que nos empurrams goela abaixo.

 Ele foi mal, muito mal, amarelou, não teve coragem de fazer o que um árbitro precisaria naquele momento e interferiu diretamente no resultado do campeonato.

Independente do fato do América ter jogado melhor, mas aconteceu e teria que ser marcadas as irregularidades dos defensores rubros.

O jogo de hoje, ninguém lá em baixo vai comentar, nós daqui de cima não temos voz mesmo, mas vai marcar mais uma polêmica e erros de Marcelo de Lima Henrique.

PS: na foto acima, lembrei daquele que ficou famoso, e que beijava a medalhinha com uma santa sempre que entrava e campo.


América encerra jejum de três anos e volta a ser campeão potiguar

Edmo Sinedino,

campeoameca_09América campeão estadual de 2019. 2 a 1, gols de Jean Patric e Alison, partida realizada nesta quarta-feira na Arena das Dunas, com quebra de recorde da temporada e dos clássicos entre os rivais. 

Com o resultado, além do título, o rubro garante participação na Copa do Nordeste de 2020 e sua vaga na Série D, caso não consiga o acesso nesta temporada, claro que ninguém cogita isso.

E o jogo?

Como veio o América? Da mesma forma que na primeira partida, mas com uma diferença decisiva. Roger Gaúcho e Adenilson, não só o Hiltinho, participando muito mais das jogadas de ataque. Roger, que ainda se segurava, era compensado por Hiltinho e o lado esquerdo de ataque.

No ABC, Ranielle fez o que, confesso, eu também faria. Trouxe os jogadores de mais qualidade técnica para armar, para começar jogadas - Anderson e Neto -, mas não funcionou. Neto e Anderson sentiram a falta de ritmo e os lados do campo não funcionaram.

Sendo, assim, dado início, Foi sempre do América a proposição da partida. O time rubro, de novo, mostrou mais organização tática e controle da bola, com mais jogadores no meio-campo e uma transposição de setores - defesa, meio-campo e ataque - sempre mais bem feita, principalmente por ter jogadores como Roger Gaúcho, Hiltinho e Adenilson.

Os lado esquerdo do time rubro, com Kaike (finalmente o vi fazer uma partida de bom nível intreira) e Jean Patric, com participação de Hiltinho, sempre levava muito perigo ao gol de Edson. Depois de chutes perigosos de Pardal e Adenilson e boas jogadas de linha de fundo, repito, muito mais pelo lado esquerdo, o rubro abriu o placar. Hiltinho inicia a jogada, Pardal segura, espera, Hiltinho se projeto, recebe, olha e toca com primor para Jean Patric abrir o placar.

1 a 0, final do primeiro tempo em que o ABC teve apenas uma jogada de contra-ataque, mas que o meia Anderson errou o último passe. Ivan ainda pegou o rebote e desperdiçou. Muito mais controlado, entrosado, o América venceu os primeiros 45 minutos com absoluta justiça.

No segundo tempo, as equipes voltaram iguais. Se eu tivesse fichas de apostas jogaria todas no América que sobrava em campo. Hiltinho, Adenilson, Roger Gaúcho, jogando aí sim, do jeito que sabe, dominavam completamente as ações. Mais gols com Pardal e Jean, com passagens de Kaike, parece, seriam só questão de tampo.

Não foi.

Futebol doido. Ranielle fez algumas mudanças, saiu Pedra e Éder, o ABC deu sinais de melhora, arriscou jogadas na área, numa delas, a bola sobrou para Maurício empatar. Neste momento, Moacir Júnior erra, tira Roger Gaúcho do jogo. Foi neste momento que o ABC cresceu, nesse momento que aconteceram os dois pênaltis não marcados sobre o garoto Wanderson, que entrara aceso. Marcelo de Lima Henrique foi decisivo.

O América se reagrupou no finalzinho, o ABC parecia satisfeito em ir para a decisão dos tiros livres, quando numa repetição de escanteios cedidos pela defesa alvinegra, Alison, quase vilão na falta em Wanderson, escora de cabeça e marca o gol do título. Mais tempo para nada. Fim de jogo, América campeão.

Aí tudo ficou feio. Jogadores do ABC cercaram o árbitro, nada mais grave aconteceu, mas aí a invasão de campo da torcida do América, a quebradeira da torcida alvinegra na arquibancada e a festa estragada.

Muito tempo se levou para tirar os torcedores, armar o palco, e fazer a foto (acima) do América campeão, merecido, pelo futebol que apresentou.

O recorde de renda foi quebrado na Arena das Dunas com um público de  21.491 presentes e renda de R$ 343.705.



Árbitro prejudica o ABC, mas o América, de novo, foi melhor em campo

Edmo Sinedino,

O América quebra hegemonia do ABC e depois de três longos anos de espera, em que viu o rival levar os títulos, e faz a festa de campeão estadual de 2019. 2 a 1, gols de Jean Patric e  Alisson, placar final nesta quarta-feira que tinha tudo para ser o registro da mais bela festa de nosso futebol, com quebra de recorde de público e tudo mais, não foi. 

Invasão de campo, brigas, cadeiras quebradas, enfim, uma vergonha que tenha sido assim. Os torcedores, rubros que invadiram o campo, e alvinegros do quebra-quebra, estragaram a final do Campeonato Potiguar.

O árbitro Marcelo de Lima Henrique, master, super experiente, que veio a pedido do América, acabou sendo peça-chave na conquista do América. Não deveria ser. Ele deixou de marcar dois pênaltis claros para o ABC quando a partida caminhava para o final e estava empatada de 1 a 1. 

Devem estar de peito lavado, como se diz, integrantes do Sindicato dos Árbitros do Rio Grande do Norte e os próprios integrantes da CEAF, deixados de lado no melhor da competição, a decisão.

De qualquer forma, jogo jogado, bola rolando, qualidade e busca pela vitória, o América foi quase sempre melhor. Só perdeu um pouco o controle da partida quando tomou o gol de empate, e Moacir Júnior, de forma equivocada, tirou Roger Gaúcho para a entrada de Max. Mas era dia de América.

A invasão de campo foi o fator mais absolutamente negativo, demonstrando a falta de preparo da administração da Arena das Dunas e da Federação Norte-iro-grandense de Futebol.


Qual foi mesmo o plano de segurança da FNF?

Edmo Sinedino,

rfeunefoto_09A reunião houve, a foto mostra, mas qual o plano? E sei que existe, mas foi definido pelos profissionais da Polícia Militar, na da FNF, que nada entende de plano de segurança, ou não?

Até nisso a FNF de José Vanildo tenta somar pontos. Quantos policiais, que área vão atuar, de que forma, os ônibus, entradas, estacionamento, vias de acesso, colaboração da Polícia de Trânsito, enfim, tudo que o torcedor precisa saber e não foi dito pela entidade.

FNF DEFINE PLANO DE SEGURANÇA PARA DECISÃO DO ESTADUAL ENTRE AMÉRICA E ABC

Reunião contou com representantes dos clubes finalistas e entidades da segurança pública, além de torcidas organizadas

Com objetivo de assegurar aos torcedores que irão à decisão do Campeonato Potiguar de 2019 entre América e ABC, a Federação Norte-rio-grandense de Futebol realizou uma reunião com representantes dos dois clubes, além do BPChoque, Polícia Militar, Arena das Dunas, Ministério Público e integrantes de torcidas organizadas na tarde desta terça-feira (23), no auditório da FNF, para pautar o plano de organização e de segurança do jogo. A reunião serviu para discutir os aspectos do cronograma de ação para o Clássico Rei.

A iniciativa do encontro foi para garantir a segurança e o conforto aos torcedores na decisão do Estadual 2019. Na ocasião, ficaram definidos algumas ações, entre elas, a de que o integrante de torcida organizado ficará proibido de ter acesso a Arena com mastros e objetos de sinalização não permitidos na reunião. O jogo final acontece nesta quarta-feira (24), às 21h30, na Arena das Dunas.

Foto: Iuri Seabra / FNF



Comparando os microblogs de ABC e América

Edmo Sinedino,

americafoto_09Comparando os twitters. Coisa de maluco, mas tudo vale em véspera de decisões. O microblog do ABC tem 120 mil seguidores, do América menos, 96,2 mil.

Os responsáveis pelo trabalho do alvinegro já tuitaram 92,6 mil vezes, o do rival rubro também menos, 61 mil.

O ineressante é que o twitter rubro surgiu um mês antes que o rival, em julho de 2009, o do ABC em agosto do mesmo ano.

O ABC também ganha em fotos-vídeos publicados, 15,6 mil contra 11,8 do América.

No visual dos últimos dias, talvez pelo fato do vermelho ser a mais chamativa das cores, o twitter rubro está mais bonito, enfeitado, e até mesmo mais empolgante que o do ABC.

Mas será que isso tem alguma influência no resultado da partida. Como diria o Moacir Júnior: pode até não ganhar jogo, mas ajuda.

Será esse um dos motivos de maior empolgação por parte da torcida do América? Pode ser, mas o futebol nunca foi e nunca será decidido na véspera.

abcfoto_09


Ignácio, da zona rural de Currais Novos para o título de campeão baiano

Edmo Sinedino,

ignacio_09O Ignácio esteve por aqui "dando sopa" como se diz. Poucos prestaram atenção e ele se foi e hoje joga no Bahia, time de ponta do futebol do Nordeste.

Ignácio, que é oriundo da zona Rural de Currais Novos, conquistou neste último final de semana, o título de campeão Baiano de futebol. 

Segundo informa o blog Terra da Xelita, ele,  em 2017, vejam só,  foi campeão amador do futebol Rural, em Currais Novos pelo Beira Rio do Povoado da Cruz. Futebol danado.

Quem imaginaria que, dois anos depois, voltasse a fazer parte de uma conquista, mas desta vez com uma equipe profissional das mais importantes do futebol do Brasil.

O  nosso seridoense é, sem dúvida, uma das boas apostas do tricolor para o Brasileirão que começa. Ignácio não é titular da equipe, mas faz parte do grupo e briga por vaga.

*Foto: terradaxelita.blogspot.com.br


Espero que o Jefinho tenha oportunidades reais de jogar no Fortaleza

Edmo Sinedino,

A carreira do atacante Jefinho é cuidada pelo ex-jogador Márcio Cardoso, o que é muito bom para o rapaz de Triunfo Potiguar. Espero que ele tenha chances reais de atuar no Fortaleza, mas sei que vai enfrentar sim problemas, antigos, repetidos, de discriminação. 

Ele acertou por duas temporadas com o Leão do Pici por empréstimo remunerado, cabendo ao Potiguar 20% da multa rescisória (valores não divulgados), com prioridade de compra dos direitos econômicos do atleta pelo clube cearense ao final do período.

Caso o atacante seja negociado com algum clube do futebol do exterior no meio do ano, como vem sendo cotado (Marítimo, de Portugal, estaria interessado), quando se abre a janela de transferências internacionais, o Potiguar receberá 75% e o Fortaleza os outros 25%.

Boa sorte!



Judô potiguar volta ao tatame no dia 27

Edmo Sinedino,

Judô potiguar volta ao tatame no dia 27

Depois da conquista do pentacampeonato Brasileiro Regional, o judô potiguar volta ao tatame no próximo sábado (27) para a disputa do Torneio Bruno Tarcísio, válido pela segunda etapa do Campeonato Estadual. A competição será realizada no ginásio do Colégio Boa Viagem nas classes Sub-13, Sub-15, Sub-18 e Sub-21.

As inscrições dos judocas encerram-se no dia 25, exclusivamente pela plataforma ZEMPO, e a pesagem está marcada para a próxima sexta-feira (26), no horário das 10h às 14h, no ginásio do Colégio Boa Viagem. De acordo com o presidente da Federação de Judô do Estado do Rio Grande do Norte (FJERN), Tibério Maribondo, a previsão é de ginásio lotado. 

"O judô potiguar vive um grande momento, voltamos de uma brilhante conquista no Campeonato Brasileiro Regional com o quinto título consecutivo na categoria masculino e o terceiro no feminino, e a expectativa para o Torneio Bruno Tarcísio é a melhor possível. Nossos atletas estão empolgados e a previsão é de casa cheia e uma competição bastante equilibrada", revelou.

A FJERN comemora 25 anos de fundação neste ano e o principal foco para a celebração de aniversário é a preparação dos atletas para os campeonatos brasileiros promovidos pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ) que começam a partir de maio. "Teremos a Taça Brasil Sub-21 em Belo Horizonte, os brasileiros Sub-13, Sub-15, Sub-18 e Sub-21 em Lauro de Freitas na Bahia e a nossa meta é chegar forte para subir no pódio", encerrou Tibério.

*Fábio Pacheco/Assessoria de Imprensa


Jefinho contratado pelo Fortaleza, diz o twitter oficial do Leão do Pici

Edmo Sinedino,

O atacante Jefinho, que estava no Potiguar de Mossoró é mais uma contratação oficializada pelo Leão. O clube agora detém 25% dos direitos do jogador, com cláusula de compra. O contrato terá vigência até o final de 2020. Em breve mais informações. 

A notícia acima está no twitter do Fortaleza. Logo abaixo, como sempre acontece, uma torrente de comentários. Poucos, infelizmente, dando boas vindas, acreditando no potencial do atleta potiguar, claro,  porque ele veio do Rio Grande do Norte.

Sobrou até para Romarinho, adquirido junto ao Globo e, parece, não agradou à maioria da torcida e adivinhem o motivo? Evidente que é porque veio de cá. Esses babacas são iguais em todos os lugares, preconceituosos contra os próprios conterrâneos regionais.

Por certo nunca ouviram falar em Dequinha, Marinho Chagas, Souza, Nonato, Sandro, Wallyson, Rodriguinho, Ayrton Lucas, Edson, Judson e outros tantos potiguares brilhando no Brasil e no mundo.

Que o Jefinho tenha chance de dar uma resposta.

PS: num dos comentários a publicação de uma matéria postada aqui no blog.



Caio Max entre sete árbitros Fifa na rodada de abertura da Série A

Edmo Sinedino,

"Muito feliz e honrado em fazer o jogo de estreia do VAR na Série A, São Paulo x Botafogo, jogo que entrará para a história do futebol brasileiro. Na rodada de estreia teve 7 árbitros FIFA e o nosso nome entre eles, isso demonstra que nosso trabalho é bem quisto a nível nacional". Retirei esse texto do microblog do árbitro Caio Max Augusto Vieira.

Viram o que ele destacou? Sete árbitros Fifa na estreia do Brasileirão e o nome dele entre os caras. Mas, para a final, preferiam Marcelo de Lima Henrique, Master, reconduzido depois de ultrapassar a idade, pela CBF.

Boa sorte ao Caio, pois sabemos que, se ele sofre discriminação em seu próprio Estado, certamente vai aparecer alguns debilóides questionando sua escalação sem nunca tê-lo visto atuando e muito menos acompanhado seu crescimento como árbitro nos últimos anos.



Sou do time do 50% x 50% na Arena e não abro mão de minha opinião

Edmo Sinedino,

Não passa de uma tremenda bobagem essa briga boba de se achar maior torcida, afirmando que que vai encher o estádio, e que não precisa do rival.

E o pior que isso parte dos próprios dirigentes num acirramento de ânimos sem a mínima necessidade, com total falta de fair play.

E aws justificativas da posição tomadas? Sem levar, minimamente, em consideração, as diferenças entre um clássico no Frasqueirão e Arena das Dunas. Eles sempre perdem dinheiro e vão continuar perdendo. 

No dia que a Arena das Dunas registrou o recorde de público, lembrem, não foi o feito de uma torcida única. Ficou evidente a maior presença dos rubros, mas os espaços alvinegros foram determinantes. 

Quando será que vão entender que um clube precisa, e muito, do outro? Acho que, infelizmente, por aqui, não vai acontecer nunca.

E o pior é que as pessoas que, como eu, têm essa opinião passam, de imediato, a serem tratadas como inimigos.

E são desqualificados nas redes sociais, sem que se tenha um mínimo de repeito pela opinião divergente que é a coisa mais salutar numa democracia.

Diria a mesma coisa se fosse o contrário. Por exemplo, quando a Arena América estiver pronta já não dá para ser a mesma coisa, simples assim. O limite de 10% é lógico.

Aliás, jogos nos estádios próprios, pelos problemas tantas vezes repetidos, e localização, deslocamento e tudo mais, passarei a defender torcida única.

A não ser que, dentro dos próximos meses, e quando chegar o ano vindouro, aconteça o milagre da resolução total desse entrave maior que parece insolúvel das organizadas em guerra, ou dos bandidos infiltrados.



Moacir Júnior, entrevistado no "Prorrogação", me pareceu confiante

Edmo Sinedino,

Moacir Júnior, técnico do América, foi o entrevistado especial nesta segunda-feira, do programa Prorrogação, da tevê Assembleia. Uma ótima conversa, diga-se, com a participação enorme de torcedores rubros.

E digo uma coisa. Não estou sendo leviano, achei o treinador rubro muito, mas muito confiante. Não diria empolgado, isso não, ele tem experiência bastante para não se dar esse luxo, mas senti que ele confia demais num resultado positivo na quarta.

E até deixou sim escapar um pouquinho de exagero na afirmação quando disse que está preparado para todas as mudanças que o Ranilelle possa fazer. Claro, não creio que ele pudesse fazer tal afirmação.

Moacir falou de vários assuntos, respondeu questionamentos e afirmou categoricamente que sua equipe cresceu muito desde sua chegada, melhorando inclusive o condicionamento físico, correndo mais e por mais tempo.

Afiançou que o principal fator foi a melhoria do ambiente,  do convívio com todos que fazem o dia a dia do clube, desde as tias da cozinha, passando pelo pessoal da limpeza e e responsáveis pelo corte da grama. Juntos para o sucesso do clube.

Não foi econômico na importância de um bom treinamento, de bons valores contratados, da parte técnica, física e fisiológica e elogiou também o cumprimento de todos os deveres e apoio total da diretoria.

Sobre a primeira partida da decisão, discordou de quem afirmou ser sido ruim o primeiro duelo da decisão, eu incluído. Mas concordou que faltou precisão nas jogadas finais, de arremate, de último passe.

 Fez comparações com finais de outros estados, coisa que sempre faço aqui no blog, e por isso crê que não estamos tão mal como muito disseram.

Falou de Everton, do grande momento que o garoto atravessa. Deixou escapar que ficou assustado quando se viu em sua estreia numa partida de Copa do Brasil, fora de Natal, com dois garotos para o gol. E falou do papo que teve com os dois, e com o Everton em especial.

Elogiou jogadores que eu não vi render ainda, como o Kaike, Roger Gaúcho e o Vinícius; destacou a importância do Allison Ferreira, valorizou seu elenco, como deve um comandante fazer.

Sobre a bases, repetiu e a oportunidade que deu a Everton, questionei que só tinha ele, mas é isso, foi ele que lançou. Elogiou Judson, Juninho, e justificou o dia a dia não tão bom de alguns não aproveitados.

Esse dia a dia , esqueci de o questionar na hora, o programa já estava no fim, teria que ter um acompanhamento e ação dos dirigentes, para não perdermos tantos bons valores para os descaminhos da vida.

Série D também esteve em pauta. Certamente, se ficar, com moral, não tenho dúvidas, Moacir Júnior vai trazer alguns indicados seus,  já que o "indicado" Leandro Melo deu muito certo.

Ele deixou escapar que nem todos os jogadores do plantel atual têm o perfil ideal para a disputa da quarta divisão, que é muito mais transpiração que inspiração, coisa que todos concordam.

Ficou sem resposta, normal, a escalação que inicia, pergunta de um torcedor-telespectador; Joazi dificilmente começa, e permanece a dúvida sobre a definição no meio-campo e ataque, que terá a volta de Max.

Assim como do lado do ABC, com Ranielle, teremos que esperar o prazo de uma hora antes da partida se iniciar para saber.



As "mudanças drásticas" de Ranielle Ribeiro

Edmo Sinedino,

Ranielle Ribeiro não gostou nenhum pouco da atuação de seu time na primeira partida da decisão. Ele deixou claro que pretende fazer "mudanças drásticas" para o segundo duelo, nesta quarta-feira, 24, na Arena das Dunas.

Discordo. E concordo se ele estiver apenas querendo confundir o adversário. Não dá tempo, uma semana apenas, de fazer tais alterações tão profundas, ou dá? O que será que ele pensa fazer diferente?

A gente pode especular, conjecturar. Em primeiro lugar, imagino, mudança no jeito de seu meio-campo atuar. melhoria na sua recomposição, que precisa ser mais rápida e mais "cheia", com mais gente.

Esse modelo dois volantes, um meia que não é tão meia (Xavier) e três atacantes...Sim, Éder recompõe, mas já Wanderson, que iniciou jogando, nem tanto. 

O reserva Anderson sim, aliás, modelo de jogo que o atrapalha demais, pois sempre o vi como meia de aproximação do último passe, enfim.

Será que ele volta com Neto? Escala Anderson Pedra? Escala mais um meia? São questionamentos sem resposta, por enquanto.

Como critico, sugiro, mesmo sabendo que o treinador não vai copiar ou fazer nada do que escrevo aqui, não tenho essa petulância, mas vejo um ABC precisando principalmente de mais criação.

Aliás, criação, verticalização, melhoria técnica, é quase uma fixação minha. Jogaria com mais Evandro no meio-campo, do lado de um volante que, acho, acaba tendo que ser o Pedra.

Mas, se fosse eu mesmo o poder de escolha, começaria com Guedes, primeiro volante; Evandro, segundo; Neto ou Anderson e Xavier, ou ainda o Éder, com Rodrigo e Wanderson na frente.

Seria uma mudança drástica? Acho que sim. E se fosse com Pedra iria com Evandro e Guedes, um de cada lado, com um losango, na ponta desse desenho geométrico o Neto ou Anderson, jogadores de melhor passe.

Penderia até mais para o Anderson, se ele não tiver ficado muito sem confiança por conta do gol incrível que perdeu na primeira partida, espero que não.

Com relação ao gol, uma frase que define, muito repetida pelo Ticão, zagueirão avô de Matheus Matias: "só perde quem tá lá dentro". E fim.

Bom, só podemos esperar.



Marcelo de Lima Henrique, master, apita a decisão potiguar

Edmo Sinedino,

Não é grande coisa, já se enrolou em muitos jogos, mas pelo menos dos masters é o menos "metido", vamos dizer assim.

Marcelo de Lima Henrique, carioca, comanda o clássico.

Veja abaixo:

MARCELO DE LIMA HENRIQUE APITA DECISÃO DO ESTADUAL 2019 NA ARENA DAS DUNAS

Experiente árbitro comanda a final do Campeonato Potiguar entre América e ABC

O carioca Marcelo de Lima Henrique, do quadro master da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), será o árbitro principal da decisão do Campeonato Potiguar 2019 entre América e ABC, que acontece nesta quarta-feira (24), às 21h30, na Arena das Dunas, em Natal.

Marcelo terá o auxílio de Márcio Eustáquio e Fábio Pereira, ambos do quadro de master de Minas Gerais e Tocantins, respectivamente. O anúncio foi feito pelo presidente da Comissão de Arbitragem do Rio Grande do Norte, cel. Ricardo  Albuquerque, na tarde desta segunda-feira (22), na sede da Federação Norte-rio-grandense de Futebol.

Curiosidade

Árbitro master da CBF é o profissional que já atuou pelo quadro da FIFA por um determinado tempo, mas, que por algum motivo retornou ao quadro da Confederação Brasileira de Futebol. Neste grupo estão por exemplo, Heber Roberto Lopes, Péricles Bassols e muito mais.

Confira a escala de arbitragem:

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique – (Master-RJ)

Árbitro Assistente 1: Márcio Eustáquio Sousa Santiago – (Master-MG)

Árbitro Assistente 2: Fábio Pereira – (Master-TO)

4ª Árbitro: Zandick Gondim Alves Júnior – (CBF-RN)

5ª Árbitro: Carlos Alberto de Beto – (CEAF-RN)



O Globo para a disputa da Série C

Edmo Sinedino,

Me valendo de meu colega-amigo da tevê Assembleia, Alysson Bala, o "Balístico" de Ceará-Mirim, atualizando o torcedor do Globo em relação ao plantel que terminou o Estadual.

Foram dispensados Geison, Cosme, Moisés, André, Gabriel Palito e Rafael. O ala direita/volante Edson, já havia noticiado no meu blog, foi negociado com o Bahia e vai disputar o Brasileiro Sub 23 pelo tricolor.

O Hígor César não vai poder contar com Felipe Moreira. O atacante rompeu o ligamento do joelho e só volta a jogar próximo ano.

E os reforços: o Globo já fechou com Robinho , Cristiano Sergipano e Lauder, atacantes, o volante Araújo, cria do ABC e dos laterais direitos Glaubinho, velho conhecido de nosso futebol, muito bom jogador e Luiz Renan.

Espero que Wadson, goleiro,  Ramon, Alexandre, Eduardo, Negueda, Jardel, Cícero Matheus, Nininho e Chiclete sejam atletas que permaneçam para a disputa da Série C.



Seria uma festa dividir a Arena das Dunas 50/50 no clássico final

Edmo Sinedino,

Concordo com Mállyk Nagib e nem me importa o que vão dizer torcedores do América. Falei isso na decisão passada e repito. A maior jogada da direção rubra seria liberar a Arena das Dunas 50% x 50%.

Casa cheia, e outro motivo legal de disputa. Qual a maior torcida da decisão? Qual a maior torcida do Estado? Isso para quem tem dúvida.

No visual, na venda, na força da festa, veríamos tudo isso e, no final, um lucro de verdade para o clube e para o futebol do RN.

Essa decisão serviria também para amenizar as críticas sobre a permuta que foi feita com a TV.

Se a capacidade é de 30 mil, vamos à disputa. E pelo que acompanho a direção rubra vai cedendo mais espaços ao ABC, inteligentemente.

Por razões óbvias, justificando aos torcedores rubros que se posicionarem contra, no Frasqueirão, localização, espaço e tudo mais, não dá para pensar da mesma forma.

Seguir o exemplo do Vasco não dá.

E por falar em venda de ingresso, disse em postagem anterior que não sabia da fonte que informou o número de ingressos já vendidos. Agora sei: a direção do América.

Pelos meus cálculos os dez mil já foram ultrapassados bem.



A final paulista de futebol pobre

Edmo Sinedino,

Fazia tempo, tempo mesmo que não via uma final de Carioca melhor, tecnicamente, que a Paulista. E neste domingo aconteceu.

Um Flamengo e Vasco elétrico, bons lances de lado a lado, boas jogadas, técnica em campo, plasticidade de lances, vi sim.

Em São Paulo? Lástima. Jogadores de Corinthians, campeão, e São Paulo, apanhando da bola, apostando no jogo aéreo, no se "livrar da bola".

Incrível como equipes de ponta do futebol do Brasil ainda repetem os lances, vergonhosos,de saída de bola na base da "ligação direta".

Como admitir que zagueiros tenham verdadeiro pavor de passar, com a bola, da linha divisória.

Será possível que esses caras nunca viram falar de Luís "Chevrolet" Pereira, Luizinho, Marinho Perez, Joel, Djalma Dias...

O Corinthians levou, 2 a 1, mas foi feio, e triste.

O que fazem esses treinadores do futebol do Brasil? Trabalham contra, sem dúvida, o que, um dia, foi o melhor do mundo.



Flamengo é campeão carioca, mas o Vasco perde de cabeça erguida

Edmo Sinedino,

Lá vou eu encher o saco dos flamenguistas. Nem de longe sou antiFlamengo, não sou mesmo. Mas fico irritado com os comentários idiotas, juro, não sei baseados em que,

O jogo. Sim, todo mundo sabe da supremacia do Fla, mas nem é tanto assim. Se os treineiros que passaram pelo time da Cruz de Malta soubessem valorizar e aproveitar seus valores...

Alguns jogos vi o Pikachu no banco, vê se pode uma coisa dessas? E esse Alberto Valentim é uma piada como treinador. Aliás, da escola do Parreira...

O Vasco perdeu de cabeça erguida, tentando, criando chances de gols, jogando, a maior parte do tempo de igual para igual.

Se esses babacas enxergassem obviedades, como a de que o Vasco não precisa de Maxi Lopez, Raul Cáceres, Bruno César e etc, e muito mais de Pikachu, Lucas Santos, Marrony, a coisa seria bem diferente, mas nunca é assim.

O primeiro gol do Flamengo: irregular em seu nascedouro - Gabiperdegol estava impedido antes da falta. Balde de água fria, logo aos 15 minutos, para quem já estava perdendo de 2 a 0 do primeiro jogo.

Mesmo assim, o Vasco continuou a luta e mereceu sim empatar antes do fim do primeiro tempo.

O Valentim ajuda com sua mudanças erradas e não consegue fazer o Vasco encontrar o gol, caminho do gol.

E o Flamengo? O Airão que sempre defendo foi o autor do primeiro gol. Lá atrás, o intocável Cuellar. Juro, eu não vi, hoje, esse cara participar de nenhum lance decisivo também na defesa.

Incrível! É seleção do Carioca, Airão, não. Futebol de cegos e loucos. Nem mesmo no acompanhamento em tempo real uma vez sequer foi citado o nome de Cuellar, só na hora que recebeu cartão amarelo por reclamar.

Outro monstro do Fla quase sempre ignorado: Renê, ala esquerda. Diante da seca de alas na seleção, acho que a vez é dele.

Como também acho que chegou a vez de Gilberto, ala do Flu, ser testado, pelo menos. Talvez seja proibido, jogam no Brasil.

Sim, na seleção do carioca, o Marcos Júnior, lembram dele? Jogou em América e ABC, bom menino, joga muita bola. O Vasco já contratou. Fez bem.

A FERJ - Federação de Futebol do Rio de Janeiro, por intermédio de todos os seus "grandes" conhecedores  divulga seleção do Carioca com Jefferson Paulino (Bangu), Gilberto (Flu), Castan (Vasco), Rodrigo Caio e Renê; Cuellar (Flamengo), Lucas Mineiro (Vasco), Marcos Júnior (Bangu); Everton Ribeiro, Bruno Henrique e Gabigol (Flamengo). Técnico: Fernando Diniz (Flu) 



Estimativa de público para a decisão na Arena das Dunas

Edmo Sinedino,

Qual a explicação plausível para o fato de, até o final da tarde deste domingo de Páscoa, um número maior de ingressos já ter sido vendido, superando o total da primeira partida no Frasqueirão?

Confiança da torcida do América? Baseado em quê? No futebol apresentado na última partida?

Lembrem que o América, com um homem a mais durante mais de 25 minutos, não conseguiu ser superior ao rival.

O interessante é que, a partir da expulsão, as  melhores chances ainda foram do ABC, mesmo com a clareza de que o América foi melhor no todo da partida.

Pesa o fato de ser a última partida do campeonato, sem dúvida. Assim como o conforto e glamour da Arena atrair à praça até mesmo pessoas que normalmente não frequentam futebol.

Não se sabe, procurei e não achei, qual a fonte da informação desta venda antecipada, assim como acho totalmente exagerada a expectativa da direção do América, que espera 25 mil pessoas.

O horário, dia, tevê, certamente, vão contribuir para que essa projeção não se concretize. Prefiro ficar na estimativa de 15 mil, se muito.


1-20 de 9064