Estaria Henrique desautorizando Garibaldi a falar sobre sua candidatura ao governo?

Carlos Alberto,

Não sei se é uma estratégia esperando uma posição oficial da vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria (PSB), se será candidata ou não novamente a governadora do Rio Grande do Norte, ou se o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB), deseja mesmo ser candidato a reeleição e tentar novamente ser eleito presidente da Câmara. Fato é que Alves desautorizou através do jornalista Ricardo Rosado, qualquer especulação sobre uma eventual candidatura sua à sucessão estadual. Como na foto: Alto lá, "não existe essa possibilidade" (de sair candidato a governador, será?)

Confesso que fico na dúvida, pois que Henrique Alves, como presidente estadual do PMDB, defende candidatura própria do seu partido ao governo nas eleições de 2014.   O seu primo, senador-ministro Garibaldi Alves Filho, que hipoteticamente seria esse nome, já disse que não deseja ser mais candidato a governador, pois que já governou o estado por duas vezes, e acha que agora chegou a vez de Henrique. Garibaldi tem falado isso constantemente. Estaria, então desautorizado pelo primo a falar sobre isso?

Verdade é que Henrique Alves já não diz mais que sobre 2014 só fala em 2014. Sua palavra desautorizando qualquer manifestação neste sentido deixa "claro" que será mesmo candidato a reeleição. Será mesmo? Há controvérsias. Wilma de Faria fez escola sobre deixar as decisões para o último minuto do segundo tempo, às vezes até nos acréscimos, e Henrique aprendeu fácil a lição no tempo em que foi sua aliada. Faz parte do jogo do xadrez político!

Já disse isso em outras ocasiões, mas insisto. Henrique tem mais uma vez o "cavalo selado' passando na sua porta, vez que vive um momento ímpar na política como presidente da Câmara. Se deixar o "cavalo selado' ir embora desta vez não terá mais chances de realizar um desejo do seu pai, o ex-governador e ex-ministro de Estado Aluizio Alves, de ver o filho governando o Rio Grande do Norte.

Quem acompanha o meu blog deve ter lido um comentário que fiz aqui ainda em 2009, às vésperas das eleições de 2010. Com o título "Por que não Henrique", fiz uma análise sobre a possibilidade de Henrique Alves ser o candidato de consenso  nas eleições daquele ano. A situação, me parece, não totalmente igual, mas parecida. Quem não leu clique aqui para ler. A conferir!


A+ A-