As patranhas contra a saúde

Carlos Alberto,

Primeiro disseram que o Hospital Ruy Pereira especializado no tratamento vascular no estado iria fechar. Não fechou! Depois disseram que o convênio com o Hospital Infantil Varela Santiago não iria ser mais renovado. Não é isso que está ocorrendo. Agora estão dizendo que o Hospital Regional Deoclécio Marques, em Parnamirim, vai fechar porque o convênio com a Coopmed não foi renovado.

Vamos aos fatos sem hipocrisia, devaneio e sem jogar para a platéia ou usar de má fé. No caso do Ruy, dizer que o hospital vai fechar e que o estado deixará de oferecer aos usuários do SUS o tratamento vascular a quem precisa é uma falácia. O que ocorre, na verdade, é que o prédio onde funciona a unidade hospitalar apresenta um conjunto de problemas estruturais não atendendo, inclusive, as normais sanitárias atuais, objeto de pedido de intervenção do Conselho Estadual de Saúde, e que há muito deixou de ser referência no tratamento vascular no estado, como alguns ainda insistem em dizer.

Ressalte-se que o Corpo de Bombeiros Militar já solicitou que o proprietário do imóvel providenciasse uma reforma no prédio dentro das normais exigidas, para questão de segurança dos pacientes e dos funcionários que ali estão internados e trabalham, e nada foi feito. Observe-se que como o prédio é particular não cabe ao estado fazer a reforma.

Esforços têm sido feitos para a transferência dos pacientes para outras unidades hospitalares como o Hospital da Polícia Militar e o HUOL (Hospital Universitário Onofre Lopes), sem nenhum prejuízo ao tratamento vascular dos pacientes lá internados ou que venham a precisar dele. Portanto, trata-se de uma narração mentirosa de que os serviços prestados pelo SUS (Sistema Único de Saúde) no que diz respeito ao atendimento dos pacientes do Hospital Ruy Pereira, sofrerá solução de continuidade.

Quanto ao Hospital Infantil Varela Santiago a Secretaria de Estado da Saúde Pública está propondo estabelecer um novo Termo de Fomento, sendo já estabelecida entre as partes uma Comissão de Trabalho que vem definindo metas qualitativas e quantitativas e incluindo novas ações de apoio a serem inseridas no termo e para dar celeridade ao processo a Sesap encaminhou à Procuradoria Geral do Estado o Termo de Fomento para avaliação e parecer. Ressalta-se ainda que a celebração da nova parceria deverá ocorrer quando for encerrada a prestação de contas dos serviços prestados pelo Varela Santiago referentes ao ano de 2018 e que, no momento, estão em avaliação na secretaria.

Sobre o Deoclécio Marques, o hospital não vai fechar, como falou um deputado para a platéia. A Sesap também informa que o hospital não deixará de fazer cirurgias ortopédicas. O que ocorreu é que no último dia 31 foi encerrado o contrato com a cooperativa não havendo, portanto, possibilidade de renovação, tendo em vista que já se encontrava em excepcionalidade. Para suprir a lacuna deixada pela cooperativa, está em tramitação uma chamada pública para contratação de empresa para realização de procedimentos cirúrgicos, incluindo ortopedia e serão chamados ainda médicos ortopedistas que passaram no último concurso da Saúde.

A bem da verdade, é preciso acabar com as lorotas que se criam sobre a saúde pública!

Acesse o blogdobarbosa, 12 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br

A+ A-