A arbitragem de Wagner Reway

Edmo Sinedino,

wagner123_09A direção do América pediu arbitragem de fora para a partida desta quarta-feira, final do primeiro turno, entre ABC x América, no Frasqueirão.

Árbitro do clássico Wagner Reway - da Paraíba (já foi de Santa Catarina), assistentes Cleriston Rios, de Sergipe, e Fábio Pereira, do Tocantins, todos eles Master. Mais uma vez me pergunto: para que arbitragem "estrangeira". Nosso Alciney Santos será o quarto.

Hoje, durante o programa Prorrogação, da Tevê Assembleia, um torcedor fez uma pergunta inteligente, no mínimo inquietante, e que nos coloca para pensar:  o árbitro que vem de fora não se sente pelo menos na obrigação de ser menos duro com quem pediu, e pagou, sua escalação?

A gente sabe que não pode, não deve, mas estamos falando de Brasil. Estamos falando de um futebol cuja a sua Confederação é chamada de "Casa Bandida" repetidamente por um jornalista dos mais influentes do Brasil.

Futebol de uma entidade que já teve Ricardo Teixeira, perseguido pela Lei, José Maria Marín, preso nos EUA, e Marco Pólo Del Nero, ex-presidente, impedido de sair do Brasil para não ser preso.

A gente não tem o direito de questionar arbitragens, atletas, imprensa, dirigentes sem apresentar provas ou um fato que desabone a pessoa em questão, mas a pergunta do torcedor, repito, inquieta.

Me lembro de uma arbitragem desastrosa do senhor Wagner Reway aqui em Natal. Acho que foi Série B do Brasileiro, ABC x Vitória (ou Sport) em que ele errou todas, todas, mas sempre em favor do time visitante.

Tomara que a arbitragem do senhor Reway e seus assistentes seja coberta de êxito e o jogo transcorra dentro da normalidade, vencendo aquele que seja mais merecedor.

Fotomontagem: twitter oficial da FNF

Tags: alciney santos america assistentes wagner reway
A+ A-