Henrique pretende votar "refis" dos clubes de futebol só depois das eleições

Diógenes Dantas,

henrique_campanha_370O deputado federal Henrique Eduardo Alves, candidato ao governo pelo PMDB, defendeu hoje (24) a votação do projeto da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de refinanciamento das dívidas dos clubes de futebol com a Previdência Social e a Receita Federal. O débito soma R$ 4,7 bilhões, quase a metade da receita anual do Estado do Rio Grande do Norte. "O projeto é amplo, prevê investimentos em vários setores do futebol e faz exigências aos clubes. Não trata apenas do refinanciamento das dívidas, é muito mais amplo", disse o parlamentar em entrevista ao Jornal 96, da 96 FM.

Henrique disse que a proposta não é só do interesse da CBF. Ele informou que foi procurado pelo ministro dos Esportes, Aldo Rebelo (PCdoB), e pelo deputado federal e ex-jogador Romário (PSB), crítico das ações da CBF, para que o projeto seja colocado em discussão da maneira mais rápida possível. Se depender de Henrique Alves, a matéria só será votada após as eleições. "Ela pode ser votada no esforço concentrado da Câmara em agosto ou em setembro, mas eu prefiro que ela seja apreciada após as eleições para não ser contaminada pela paixão política do momento", declarou Henrique.

O candidato do PMDB disse que vai usar todo seu poder de articulação política e a experiências de ex-governadores como José Agripino (DEM), Garibaldi Alves Filho (PMDB) e Wilma de Faria (PSB) para livrar o RN do caos financeiro e institucional no qual se encontra hoje. "Eu sou um privilegiado de contar com o apoio dos ex-governadores, coisa que outros candidatos não contam. Eles vão poder dizer: 'Henrique, por aí não que eu já tentei e não consegui'. Eu não vou governar olhando para o retrovisor. Nós temos de olhar para frente. Eventuais mágoas e divergências políticas ficaram no passado. Elas precisam ficar no passado", declarou.

Henrique Eduardo Alves falou que vai ampliar o sistema de adutoras do Estado, iniciado na gestão do primo e ex-governador Garibaldi Filho. "Já estamos cuidado de uma solução para o abastecimento d'água em Currais Novos. Falei com o ministro da Integração Nacional (Francisco José Teixeira) para agilizar a implantação de uma adutora de engate rápido, trazendo água da barragem Armando Ribeiro Gonçalves", informou o candidato.

O candidato do PMDB disse que o RN possui uma rede de 27 hospitais regionais que precisa de reestruturação urgente. "Proporcionalmente, o nosso Estado é um dos que possui maior número de hospitais. Pode até ser um exagero. Não vamos fechar hospitais, mas é preciso reestruturar toda rede para garantir médico, enfermeiro, medicamento e o pleno funcionamento", comentou.

Segundo dados repassados pelo secretário estadual de saúde, Luiz Roberto Fonseca, o Estado precisa de R$ 40 milhões mensais para custear a saúde, dos quais R$ 10 milhões para pagar dívidas e R$ 30 milhões para bancar os custos da máquina. "Hoje, o Estado não está repassando os R$ 30 milhões. Está repassando R$ 16 milhões", informou.

Henrique Eduardo Alves falou também sobre as propostas para educação e segurança pública.


Manchetes da quinta-feira

Diógenes Dantas,

Locais: 

jc_24_7_14Tribuna do Norte: MPE calcula gastar R$ 379 mil com auxílio este mês

Novo Jornal: R$ 0,15 por 50 ônibus novos

Jornal de Fato: Francisco José terá de provar filiação

Gazeta do Oeste: MP não abre mão de vagas para deficientes

Ariano Suassuna: "Tudo o que é vivo morre"


Nacionais:

O Globo: TCU isenta Dilma e culpa ex-diretores da Petrobras

O Estado de São Paulo: TCU responsabiliza Gabrielli e mais 10 por perda de Pasadena

Folha de São Paulo: TCU condena 11 executivos da Petrobras por refinaria

Correio Braziliense: O Quixote brasileiro

O Povo: Fortaleza: Seis avenidas vão ganhar faixa exclusiva até outubro

Jornal do Commercio: Ariano Suassuna: Só sei que foi assim

A Tarde: Tribunal condena 11 diretores da Petrobras

Jornal da Paraíba: Acabou-se o grilo mais inteligente do mundo


Robério Paulino diz que não vai reprimir manifestações num eventual governo

Diógenes Dantas,
Frankie Marcone/Nominuto
Robério Paulino disse que vai trabalhar em parceria com os sindicatos e que não teme as paralisações.

O candidato do PSOL ao governo estadual, Robério Paulino, disse hoje (23) que prefere ser "deposto" a ter de reprimir os movimentos sociais em manifestações caso seja eleito governador. Ele disse que vai governar em parceria com os movimentos e que a melhoria dos indicadores sociais vai diminuir a raiva dos jovens que estão na rua.

Paulino garantiu que seu partido, o PSOL, não financia a ação de grupos radicais e que não concorda com a ação violenta dos 'black blocs'. "Sou a favor das manifestações, mas é preciso atentar para criminalização dos movimentos sociais por parte da grande mídia e de setores do judiciário", declarou Robério Paulino em entrevista a mim no Jornal 96, da 96 FM.

Sobre as greves num eventual governo, Robério Paulino disse que vai trabalhar em parceria com os sindicatos e que não teme as paralisações. O candidato do PSOL estará em permanente negociação com as categorias dos servidores estaduais.

roberio_dd_radio_770

O professor disse que o combate à violência depende mais de investimentos nas áreas sociais. O foco do PSOL será na área de educação e investimentos em cultura e esportes. Ele pretende melhorar as condições salariais dos policiais militares e civis. "O PSOL, ao lado do PSTU, tem marcado presença nas lutas salariais das categorias militares", ressaltou.

Robério Paulino prometeu acabar com o analfabetismo em quatro anos. "Eu sou o único que mostrei no programa de governo como fazer isso (atacar o analfabetismo). O senhor Henrique Alves ouviu a minha proposta e está falando a mesma coisa, mas ele apoiou os governos passados e não mudou este cenário", atacou Robério.

O candidato do PSOL disse que uma de suas maiores preocupações é o combate à seca. Ele acredita que as experiências de países como Israel podem ser adaptadas ao Rio Grande do Norte. A ideia dele é espalhar cisternas em todas as residências do semi-árido.

Além do programa de combate à seca, Robério Paulino defende a duplicação da BR 304.

Confira a entrevista com Robério Paulino. Amanhã (24), eu vou entrevistar Henrique Eduardo Alves (PMDB), e na sexta-feira (25), Simone Dutra (PSTU).


Manchetes da quarta-feira

Diógenes Dantas,

Locais: 

folha_23_7_14Tribuna do Norte: Empresas já fecharam 22 linhas intermunicipais

Novo Jornal: Câmara Federal tem disputa de doze por 1 no RN

Gazeta do Oeste: Suspeito de assaltar bancos são presos em Mossoró

O Mossoroense: Jovem preso com um quilo de cocaína

Jornal de Fato: Terrenos do distrito deverão ser devolvidos


Nacionais:

O Globo: Mais brasileiros trocam de emprego em até 1 ano

O Estado de São Paulo: Ibope aponta quadro estável; Dilma lidera no 1º e 2º turnos

Folha de São Paulo: Deputado relata propina por apoio a aliado de Campos

Estado de Minas: Outra alça do viaduto tem alto risco de cair

Correio Braziliense: Cargo de deputado no DF é o mais cobiçado do país

O Povo: Vítimas da violência: A história de quem não consegue ter seu caso investigado

Jornal do Commercio: Tubarões vigiados online

A Tarde: Programa beneficiará 53 mil crianças

Jornal da Paraíba: Dom Aldo alerta para uso eleitoral da Igreja


Robinson Faria diz que não vai rejeitar o voto de Rosalba Ciarlini

Diógenes Dantas,
G.Lima/Nominuto
Robinson falou na instalação de um novo porto no litoral do Estado, mas revelou que não está convencido sobre a localização em Porto do Mangue.

O candidato do PSD ao governo, Robinson Faria, disse hoje (22) que não vai rejeitar o voto da governadora Rosalba Ciarlini nas eleições deste ano. "Rosalba é uma cidadã, é uma mulher. Ela, ou Maria, ou Marisa ou qualquer pessoa tem o livre arbítrio para votar em quem quiser. Eu não sou prepotente ou arrogante para rejeitar o voto de ninguém", disse o candidato em entrevista a mim no Jornal 96.

Robinson Faria lembrou que emprestou seu capital político para eleger Rosalba em 2010 e saiu do governo por divergir. "O candidato do acordão não votou em Rosalba, aderiu e indicou nomes para 7 secretarias do governo. Passou quatro anos no governo e, de maneira oportunista, rompeu para apresentar um discurso de oposição", alfinetou o candidato.

Na entrevista que me concedeu hoje, Robinson Faria falou sobre suas propostas para segurança pública, educação e saúde. "Vou criar um serviço de entrega de medicamentos, via correio, para idosos e portadores de doenças que não podem enfrentar as longas filas da Unicat", prometeu.

Robinson Faria prometeu dar prioridade ao turismo norte-rio-grandense. "Vou baixar a alíquota do querosene de aviação para atrair novos voos para o Estado, como fizeram estados vizinhos", também prometeu.

robinson_radio_microfone_770

O candidato do PSD falou na instalação de um novo porto no litoral do Estado, mas revelou que não está convencido sobre a localização em Porto do Mangue. Robinson Faria quer dar atenção especial aos investimentos no setor de energia eólica.

Faria disse que não se arrepende de ter apoiado a aprovação de quase 30 planos de cargos e salários do serviço público estadual. "Vou governar em sintonia com o servidor público", disse. Robinson prometeu aumentar os efetivos das polícias militar e civil.


Manchetes da terça-feira

Diógenes Dantas,

Locais: 

tn_22_7_14Tribuna do Norte: TCE/RN convoca procurador geral para explicar auxílio

Novo Jornal: Só falta o turista

Jornal de Fato: RN supera a marca dos mil assassinatos

Gazeta do Oeste: Comerciante pode ter sido assassinado por ato de vingança

O Mossoroense: Mandante da morte de Roberto do Detran é assassinado em Grossos


Nacionais:

O Globo: Governo já vê economia brasileira em recessão

O Estado de São Paulo: Hamas e Israel rejeitam trégua; 600 já morreram

Folha de São Paulo: Projeção do PIB cai, e governo não prevê melhora até eleição

Estado de Minas: Sonhos adiados

Correio Braziliense: Projeção indica que país crescerá apenas 0,97%

O Povo: Seleção Brasileira: O que esperar de uma segunda era Dunga

Jornal do Commercio: Inflação já sufoca classe C

A Tarde: Preço do litro de gasolina tem variação de 28% em Salvador

Jornal da Paraíba: Após tarifa de R$ 2,35, AECT quer novo reajuste


Contribuinte vai pagar dívida bilionária dos clubes de futebol com aval de Henrique

Diógenes Dantas,
Reprodução/Época
Programa de refinanciamento das dívidas dos clubes de futebol vai custar R$ 4,7 bilhões ao bolso do contribuinte.

No dia 16 de maio, eu postei aqui neste espaço a seguinte notícia:

O deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB), presidente da Câmara dos Deputados, se reuniu hoje (16) com dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol, em São Paulo. O técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, participou do encontro.

O parlamentar discutiu a proposta de refinanciamento das dívidas dos clubes. O chamado "Proforte", projeto de reestruturação dos times brasileiros, pretende gerar renda, empregos e qualificar jovens atletas.

O assunto será levado ao ministro da Fazenda, Guido Mantega.

ha_cbf_770

Pois bem. O tal do Proforte, programa de refinanciamento das dívidas dos clubes de futebol com a Previdência e a Receita Federal, tem um número, informa o jornalista Felipe Patury, em sua prestigiada coluna em Época. Aliás, um baita número: R$ 4,7 bilhões.

Só para o caro leitor ter uma ideia, trata-se de quase a metade dos R$ 10,7 bilhões da receita anual estimada para o Estado do Rio Grande do Norte, conforme valores aprovados recentemente na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2015.

A renegociação conta com o aval do presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves. Segundo Patury, o parlamentar potiguar pretende colocar o refinanciamento das dívidas dos clubes na pauta ainda em agosto.

É bom lembrar que a conta do refinanciamento vai pesar no bolso do contribuinte brasileiro. O futebol no Brasil é negócio privado - rende milhões aos cofres das CBF, da maioria das federações e de alguns clubes, mas as dívidas dos clubes é partilhada pelo cidadão brasileiro. Isso é um tremenda injustiça, para não dizer sacanagem.


Araken Farias promete hospital de trauma na região central do Estado

Diógenes Dantas,
G.Lima/Nominuto
Na saúde, Araken Farias falou que pretende construir um hospital de traumas na região central, provavelmente no vale do Assu.

Eu comecei hoje (21) uma série de entrevistas com os candidatos ao governo estadual no Jornal 96, da 96 FM. Meu primeiro convidado foi o advogado Araken Farias, candidato do PSL - Partido Social Liberal.

A legenda de Araken tem apenas 28 diretórios municipais no Estado. Mesmo assim, ele acredita que tem boas chances de levar as propostas do PSL aos recantos do Rio Grande do Norte.

O ex-diretor estadual do Procon falou sobre sua experiência no Governo Rosalba. Araken destacou que economizou no custeio do órgão para investir na melhoria do atendimento ao público.

Ele aposta numa reforma administrativa para melhorar a eficiência do serviço público, valorizando as carreiras dos servidores. Araken Farias prometeu pagar a folha dos servidores em dia e também a de fornecedores do Estado.

Na saúde, Araken falou que pretende construir um hospital de traumas na região central, provavelmente no vale do Assu. Se for eleito, ele pretende também criar um hospital exclusivo para idosos, a exemplo do que ocorre para mulheres.

Araken Farias discorreu também suas propostas para eduação, energias renováveis e segurança pública. O candidato do PSL falou na criação de um novo ramal ferroviário ligando as principais cidades do RN, e prometeu um porto seco. Ele acha importante a duplicação da BR-304. "Há candidato dizendo que essa obra já começou. Ainda não começou. Nem a presidente Dilma assinou a ordem de serviço", comentou.

Araken Farias falou por 25 minutos, mesmo tempo que será concedido aos demais candidatos ao governo. Amanhã (22) será a vez de Robinson Faria (PSD); na quarta-feira (23), Robério Paulino (PSOL); Henrique Eduardo Alves (PMDB) na quinta-feira (24); e Simone Dutra (PSTU) na sexta-feira (25).


Manchetes da segunda-feira

Diógenes Dantas,

Nacionais:

veja_21_7_14O Globo: Indústria reduz produção e vende energia

O Estado de São Paulo: PT e PMDB são adversários em Estados com 75% dos eleitores

Folha de São Paulo: Conflito na faixa de Gaza cresce e tem o dia mais violento

Estado de Minas: Álcool e drogas estão matando mais em BH

Zero Hora: Muitos planos, pouco dinheiro

O Povo: Fortaleza: O que você pode fazer para tornar sua cidade melhor

A Tarde: Licitação reduzirá trajeto das linhas de ônibus

Jornal do Commercio: Família é resgatada, mas bebê morre


Revistas:

Veja: A culpa de Putin

Época: Quem sairá bem na foto?

Istoé: Os limites da rivalidade

Carta Capital: Gaza: Tensão no limite


Araken Farias e Silvio Torquato são meus entrevistados na segunda-feira

Diógenes Dantas,

Meus entrevistados na segunda-feira (21): o candidato ao governo pelo PSL, Araken Farias, iniciando a série de entrevistas com os governadoráveis no Jornal 96. O programa começa às 7h30, na 96 FM.

Na Band, meu convidado é o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Silvio Torquato. O RN Acontece começa às 13h10, na Band Natal.

Eu conto com sua audiência.


Candidato do PMDB se aborrece com cerimonial do Mais RN

Diógenes Dantas,

MaisRN_henrique_370Quem viu a cena não entendeu bem. Ao chegar na solenidade do Mais RN na Fiern, sexta-feira (18), o deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB) pediu ao cerimonial do evento que fosse apresentado apenas como presidente da Câmara dos Deputados. Nada de candidato ao governo.

Na hora da apresentação, o cerimonialista esqueceu o combinado e sapecou o "candidato ao governo pelo PMDB" na hora de apresentar Henrique Alves.

O deputado olhou com cara de poucos amigos para o palco e para o presidente da Fiern, Amaro Sales. Resultado: Henrique não demorou 15 minutos na cerimônia. 

O engenheiro Jaime Mariz ficou encarregado de receber os dados do Mais RN em nome do candidato do PMDB.


Henrique Eduardo Alves conta sua trajetória em vídeos da campanha

Diógenes Dantas,
Diulgação
Henrique Alves conta momentos de sua vida pública em mini-documentários disponíveis no site de campanha.

Histórias, curiosidades e momentos marcantes da vida pública e pessoal do candidato do PMDB ao governo são contados no programa ‘Henrique por ele mesmo’, uma série de mini-documentários disponíveis no site www.henriquegovernador.com.br.

Orgulhoso, Henrique se gaba da época em que foi campeão de futebol de salão pelo Aeroclube. Saudoso, relembra a figura do pai dedicado à política e da mãe que lhe deu força nos momentos difíceis. Emocionado, relata o comício que não esqueceu.

Os filmes misturam o depoimento de Henrique, apresentado sempre de forma descontraída, algumas vezes com emoção, e imagens antigas e recentes dos fatos relacionados ao tema exibido. A série já conta com seis episódios.

Mais programas serão exibidos ao longo da campanha.


Manchetes do domingo

Diógenes Dantas,

Locais:

estadao_20_7_14Tribuna do Norte: Variação de preços chega a 87%

Novo Jornal: A máfia mata em Natal

Jornal de Fato: A volta às aulas e os cuidados no transporte

Gazeta do Oeste: Ex-funcionário da LDM não se arrepende de processo

O Mossoroense: História ameaçada


Nacionais:

O Globo: Um quarto dos conselheiros de TCEs enfrentam processos

O Estado de São Paulo: Governo vai licitar linhas de transmissão antes de usinas

Folha de São Paulo: Minas fez aeroporto em fazenda de tio de Aécio

Estado de Minas: BH de bike

Correio Braziliense: Por que o Brasil está a um passo da recessão

Zero Hora: Direto na escola

O Povo: Seleção Brasileira: Como reconquistar o prestígio. E os títulos

Jornal do Commercio: Felipão: A culpa foi dele

A Tarde: TRE notifica partidos por descumprir cota feminina

Jornal da Paraíba: PB faz adoção ilegal com bebês de mães viciadas


Revistas:

Veja: A culpa de Putin

Época: Quem sairá bem na foto?

Istoé: Os limites da rivalidade

Carta Capital: Gaza: Tensão no limite


Conselho de Mobilidade Urbana em João Pessoa aprovou tarifa de R$ 2,40 para ônibus

Diógenes Dantas,

roletaco_370O Conselho Municipal de Mobilidade Urbana de João Pessoa (PB) aprovou ontem (18) o reajuste da passagem de ônibus R$ 2,40. 

O valor é R$ 0,08 a menos do que o solicitado pela Associação das Empresas de Transportes Coletivos Urbanos (AETC-JP). 

A decisão agora segue para o prefeito da capital paraibana Luciano Cartaxo (PT) que pode ou não autorizar o reajuste.

Em Natal, a Prefeitura e o Seturn não se entendem. O impasse está estabelecido. A Semob (Secretaria de Mobilidade Urbana) fala em tarifa de R$ 2,30. 

Já os empresários reunidos no Seturn reivindicam o reajuste entre R$ 2,56 e R$ 2,76.


Manchetes do sábado

Diógenes Dantas,

Locais:

novo_19_7_14Tribuna do Norte: Mais RN propõe incentivos, educação e infraestrutura

Novo Jornal: Fiern propõe a candidatos que usem o 'Mais RN'

Jornal de Fato: Comissão vai discutir PCCR dos servidores

Gazeta do Oeste: Justiça determina aumento do efetivo da PM em Baraúna

O Mossoroense: Balas perdidas ferem agricultores na Cobal


Nacionais:

O Globo: EUA acusam rebeldes apoiados pela Rússia

O Estado de São Paulo: Obama liga Rússia a disparo de míssil que derrubou avião

Folha de São Paulo: Obama liga derrubada de avião a rebeldes pró-Rússia

Estado de Minas: Quando o bolso adoece

Correio Braziliense: Guerra abate avião com 298 inocentes

Zero Hora: Busca por respostas eleva tensão

O Povo: Queda de avião na Ucrânia: A tragédia atinge a ciência

Diário de Pernambuco: Cuidado com as fraudes no consignado

A Tarde: Jovens aquecem mercado de imóveis

Jornal da Paraíba: Conselho aprova tarifa de R$ 2,40 para ônibus


MAIS RN deve servir de bússola para políticos que só pensam nas eleições

Diógenes Dantas,
FD/RN
O MAIS RN reúne informações para dar rumo e servir de bússola para o destino do nosso Estado pelos próximos 20 anos.

Os políticos de todas as bandeiras e de todas as matizes deveriam prestar atenção hoje (18) à divulgação do estudo MAIS RN, o maior banco de dados da economia do Rio Grande do Norte, sob a coordenação da Federação das Indústrias do Rio Grande, com o investimento de 12 empresas, com o apoio do governo estadual, e com a consultoria da Macroplan, uma das mais respeitadas do país.

O MAIS RN reúne informações para dar rumo e servir de bússola para o destino do nosso Estado pelos próximos 20 anos. É uma peça para planejamento, algo raro em diversas áreas da política e da economia do Rio Grande do Norte.

Eu digo isso porque os políticos geralmente estão preocupados com as eleições. Nem bem acaba uma, eles já estão "planejando" as que vem pela frente, e fazem isso sem se preocupar com o planejamento de suas ações nos mandatos que conquistam. Só pensam a eleição como fim e não como meio.

Nossos governantes, os de outrora e os de plantão, também não evoluíram. Se perderam no tempo e gastaram esse tempo com os arranjos eleitorais. Resultado: nosso Estado está falido, sem rumo, sem perspectivas, resumido ao mais do mesmo.

Pois bem. Como ressaltou ontem (17) em entrevista a mim, o presidente da Fiern, Amaro Sales, o MAIS RN não é o "gênio da lâmpada", o "remédio para todos os males" ou a "salvação da pátria".

O Mais RN planeja o futuro econômico do estado com a sistematização e análise de todas as informações necessárias para investimentos e negócios. É um verdadeiro diagnóstico da economia do Estado, constatando potencialidades - e o RN é viável, me dizia Amaro Sales -, mostrando os gargalos e apontando um rumo.

Se for para o bem do Rio Grande do Norte, vamos aproveitar todas as informações do MAIS RN.

E os senhores Henrique Eduardo Alves, Robinson Faria, Araken Farias, Robério Paulino e a senhora Simone Dutra, postulantes ao governo, deveriam tratar o estudo com seriedade. Não é preciso concordar com tudo que for apresentado. Mas considerar as informações como ponto de partida em busca de estratégias que garantam um "norte" a ser seguido por este Rio Grande.

Pernambuco, Ceará e Paraíba estão vários passos adiante de nós. Nós precisamos andar para frente.

O MAIS RN será lançado hoje na Casa da Indústria. Todo mundo terá acesso aos dados por meio de um portal na internet.


Manchetes da sexta-feira

Diógenes Dantas,

Locais:

folha_18_7_14Tribuna do Norte: Procurador quer fim do benefício para MPE e TJRN

Novo Jornal: Fiern propõe pacto para fazer Estado crescer

Jornal de Fato: Degepol diz que viaturas podem ser utilizadas

O Mossoroense: Mossoró fecha semestre com balanço negativo na geração de empregos


Nacionais:

O Globo: EUA e Ucrânia afirmam que míssil derrubou avião

O Estado de São Paulo: Avião cai na Ucrânia; para EUA, míssil derrubou aeronave

Folha de São Paulo: Míssil derrubou avião com 298 na Ucrânia, dizem EUA

Estado de Minas: Medo volta a assombrar o mundo

Correio Braziliense: Guerra abate avião com 298 inocentes

O Povo: Tensão mundial: 298 mortos e uma guerra de versões

Jornal do Commercio: Israel invade Gaza

A Tarde: Abatido por míssil

Jornal da Paraíba: PEC do FPM reserva mais de R$ 220 milhões à PB


Henrique Alves passou o rodo na Câmara Municipal de Natal

Diógenes Dantas,
Divulgação
Henrique Alves e Wilma de Faria receberam o apoio de 20 dos 29 vereadores da Câmara Municipal de Natal.

Quase não sobra nada para Robinson Faria (PSD) e os demais candidatos ao governo - Araken Farias (PSL), Robério Paulino (PSOL) e Simone Dutra (PSTU).

Dos 29 vereadores de Natal, 20 anunciaram hoje (17) apoio ao candidato Henrique Eduardo Alves (PMDB). Ou seja, o deputado "passou o rodo" na CMN. A turma prometeu apoio também a Wilma de Faria (PSB), candidato ao Senado.

Veja a lista:

Felipe Alves (PMDB), Júlia Arruda (PSB), Rafael Motta (PP), Júnior Grafith (PRB), Bispo Francisco de Assis (PSB), Aquino Neto (PV), Adão Eridan (PR), Jacó Jácome (PMN), Júlio Protásio (PSB), Luiz Almir (PV), Eudiane Macedo (PHS), Bertone Marinho (PMDB), Dickson Júnior (PSDB), Franklin Capistrano (PSB), Dagô (DEM), Ubaldo Fernandes (PMDB), Aroldo Alves (PSDB), Chagas Catarino (PP) e o presidente da Câmara, Albert Dickson (PP) e Paulinho Freire (PROS).

Raniere Barbosa (sem partido), que está secretário de Carlos Eduardo Alves, fez questão de aparecer na foto.


Deputados aprovam crédito especial de R$ 6,4 milhões para Fundac

Diógenes Dantas,

Por unanimidade, 13 deputados aprovaram hoje (17) os projetos de interesse da Fundação Estadual da Criança e do Adolescente (FUNDAC).

O primeiro altera a lei que dispõe sobre o Plano Plurianual do quadriênio 2012-2015. O segundo autoriza o poder Executivo a abrir crédito especial no valor de R$ 6 milhões e 400 mil, e o terceiro modifica as metas e prioridades da Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) para construção de unidades de atendimento à criança e ao adolescente.

Os deputados realizaram hoje a última sessão antes do recesso do meio do ano. Agora, a prioridade é a campanha eleitoral.


Tempo estimado para Henrique no horário eleitoral pode chegar a 12 minutos

Diógenes Dantas,

horario_eleitoral_370O tempo oficial dos candidatos ao governo só será divulgado pelo Tribunal Regional Eleitoral no dia 12 de agosto, mas o meio político já faz suas contas.

As estimativas são as seguintes: Henrique Alves (PMDB) terá aproximadamente 12 minutos. 

Robinson Faria (PSD) virá logo em seguida com 8 minutos e os demais candidatos - Robério Paulino (PSOL), Araken Farias (PSL) e Simone Dutra (PSTU) - vão partilhar cerca de 5 minutos.

No total, a propaganda no rádio e na TV terá 25 minutos. O palanque eletrônico começará no dia 19 de agosto.

A divisão na campanha presidencial deverá ficar assim: Dilma Rousseff (PT) com 11min48s, Aécio Neves (PSDB) 4min31s, Eduardo Campos (PSB) com 1min49s, Pastor Everaldo (PSC) com 1min8s, Eduardo Jorge (PV) deve ficar com 1min1s, Luciana Genro (PSOL) com 51s, José Maria Eymael (PSDC) 47s e os demais - Mauro Iase (PCB), Rui Costa Pimenta (PCO), José Maria de Almeida (PSTU e Levy Fidelix (PRTB) - com 45s cada.

1-20 de 2106