Livre da Lava Jato, Henrique vai usar "nada consta" para assumir ministério

Diógenes Dantas,
FD/Brasília
A exclusão da "Lista de Janot" dará a Henrique um "nada consta" valioso para futuros embates eleitorais.

Falta pouco, só um pouquinho, para o ex-deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB) respirar aliviado. O ministro Teori Zavascki (STF) deverá derrubar o sigilo das investigações da Lava Jato até amanhã (6).

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu para investigar 54 políticos, entre senadores e deputados, em 28 inquéritos, e solicitou sete arquivamentos.

Entre os pedidos de arquivamento deve estar o nome do político potiguar. É o que relata a Folha de São Paulo na capa de sua edição desta quinta-feira (5).

Diz a Folha: "Janot sugeriu que o ex-presidente da Câmara Henrique Alves não seja investigado".

Se a informação for confirmada na derrubada do sigilo dos casos, Henrique deverá ao lado da presidente Dilma Rousseff (PT) e do senador Aécio Neves (PSDB), citados nas delações da Lava Jato mas sem indícios fortes de crime para que possam responder a inquérito.

A exclusão da "Lista de Janot" dará a Henrique um "nada consta" valioso para futuros embates eleitorais.

Afinal, ele foi alvo de vários questionamentos éticos durante a campanha da última eleição para o governo, em que perdeu para Robinson Faria (PSD).

Entre as acusações contra o ex-deputado, ocorreram menções ao esquema de corrupção na Petrobras, e ao uso indevido de uma secretaria especial de governo em 2002, inquérito que corria no STJ.

Nesse início de 2015, Henrique se livra de todas as duas: foi inocentado no processo da secretaria, e deverá ter seu nome confirmado para arquivamento nas investigações da Lava Jato.

O desgaste político sofrido na campanha eleitoral, que lhe tirou votos na eleição, é como leite derramado: não dá para recuperar.

No longo prazo, Henrique deverá usar as duas decisões judiciais para rebater eventuais ataques dos adversários em futuros embates pelo poder.

No curto prazo, ele deverá usar o "nada consta" para assumir o Ministério do Turismo. 

Mas antes é preciso esperar o desanuviar das nuvens carregadas no céu de Brasília.


Ouça o podcast:

Manchetes da quinta-feira

Diógenes Dantas,

Locais:

folha_5_3_15Tribuna do Norte: Atraso em repasse ameaça projetos do "Minha Casa"

Novo Jornal: MP isenta Robinson de envolvimento em ação

Jornal de Fato: RN: Cesta básica é mais cara que em 18 capitais

Gazeta do Oeste: Tarde sangrenta em Baraúna resulta em mais duas mortes

O Mossoroense: Aumenta número de agências bancárias sem atendimento por falta de vigilantes


Nacionais:

O Globo: Derrota tira poder de Dilma para indicações no STF

Folha de São Paulo: Janot rejeita inquéritos sobre Dilma e Aécio

O Estado de São Paulo: Crise se agrava no Congresso e Dilma tenta conter aliados

Correio Braziliense: Lista de Janot faz Renan abrir guerra contra Dilma

Estado de Minas: Janot quer MP unido contra retaliações

Zero Hora: Lista e guerra

O Povo: PM cria batalhão para combater tráfico

A Tarde: Cotação do dólar atinge o maior valor em 10 anos

Diário de Pernambuco: Renan e Cunha confirmados na lista

Jornal da Paraíba: Vida mais cara na PB


Observatório: Benito Gama, ex-secretário de Rosalba, defende fusão do PTB com o DEM

Diógenes Dantas,
FD/Brasília
Deputado federal Benito Gama, ex-secretário de desenvolvimento econômico no RN, defende a fusão do PTB com o DEM.

A lei que impede a fusão de partidos recém-criados, aprovada a toque de caixa na Câmara dos Deputados e no Senado, deve facilitar a retomada do diálogo entre os líderes do PTB e do Democratas para eventual associação das duas legendas.

“O PTB hoje tem 25 deputados federais e 3 senadores, enquanto o Democratas possui 21 deputados federais e 5 senadores.  A fusão daria ou dará o 4º Partido dentro do Congresso Nacional. O que não é pouca coisa, mas, para que esta união aconteça, é preciso conversar e discutir. Isso está acontecendo de forma natural", declarou o deputado federal Benito Gama (PTB/BA), ex-secretário de Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Norte, na gestão de Rosalba Ciarlini (sem partido).

Por enquanto, o senador José Agripino Maia, presidente do DEM, não comenta as negociações com o PTB. 

Na visão de Benito, a nova lei - que estabelece o tempo mínimo de cinco anos de existência para que partidos políticos possam se fundir - poderá contribuir para reduzir a criação exagerada de partidos no Brasil.


Meninos, eu vi!

O vereador natalense Sandro Pimentel (PSOL) constatou in loco: a Unidade de Saúde do Conjunto Santarém, na Zona Norte de Natal, tem apenas um médico para atender seis mil pessoas.

Do jeito que a unidade funciona, não dá. O vereador pede providências urgentes do prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT).

Já os moradores da Nordelândia, no bairro de Lagoa Azul, na mesma Zona Norte visitada por Sandro Pimentel, reclamam de uma placa da Prefeitura anunciando a implantação de uma unidade básica de saúde. 

Até agora, nada.


Estado de choque

cosern_sede_370A Cosern está na berlinda. Pelo menos dois deputados estão de olho nos serviços prestados pela companhia de energia.

Tomba Faria (PTB) convocou o diretor-presidente da Cosern, Dário Soares Vale, para falar sobre a queda na qualidade dos serviços. 

Segundo Tomba, o cliente da Cosern tem reclamado dos valores crescentes nas contas de energia e na demora do atendimento de demandas geradas no interior do Estado.

A Cosern chega a cobrar R$ 19 mil para relocação de postes instalados no meio das ruas, afirma o deputado.

Já o deputado Gustavo Carvalho (PROS) quer acabar com a taxa de religação de energia elétrica.

Carvalho propõe que o fornecimento já seja restabelecido no pagamento do débito que originou o corte, dentro do prazo máximo de 24 horas e sem qualquer ônus para o consumidor.

Gustavo Carvalho disse que a cobrança da taxa pelas concessionárias transformou-se em uma receita adicional para as companhias e um verdadeiro suplício para os contribuintes. 

De acordo com o projeto, na hipótese de descumprimento da lei a empresa concessionária será submetida a multa.

A Cosern deve ter ficado em "estado de choque".


Sala de aula

sala_aula_370A auditoria operacional do TCE sobre o ensino médio no Rio Grande do Norte listou  11 pontos, que transcrevo a seguir:

1) A estrutura organizacional e de cargos da SEEC (Secretaria de Estadual de Educação e da Cultura) apresenta disfunções que comprometem a gestão da rede estadual de ensino.

2) Deficiência no processo de elaboração/revisão e implementação do PPP (Projeto Político Pedagógico). 

3) Deficiência no processo de elaboração e implementação do planejamento anual das escolas (Plano de Metas Educacionais – PME). 

4) Deficiência no apoio, monitoramento e avaliação do desempenho da escola e da gestão por parte da SEEC.

5) Escolas do Ensino Médio da Rede da SEEC com deficiências de infraestrutura. 

6) Escolas do Ensino Médio da Rede da SEEC com inobservância das normas de acessibilidade e segurança. 

7) A SEEC não está devidamente estruturada para garantir o alcance da universalização do acesso ao ensino médio.

8) O planejamento dos recursos do Ensino Médio não permite o acompanhamento e a avaliação das ações necessárias a essa etapa de ensino. 

9) Dificuldade de execução dos projetos educacionais.

10) O gasto por aluno do Ensino Médio indicado no Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação – SIOPE não reflete a realidade e, portanto, não serve para subsidiar a estratégia educacional para essa área.

11) Existe déficit, na maioria das regionais de educação, de professores em sala de aula nos componentes curriculares obrigatórios do ensino médio.

Ao término do relatório, os auditores do TCE apresentaram 66 recomendações ao governo estadual.


O líder

O deputado estadual Dison Lisboa é o líder do Partido Social Democrata (PSD) e Galeno Torquato, o vice. O anúncio foi feito na sessão plenária desta quarta-feira (4) e protocolado na Mesa Diretora.

O vice-líder afirmou que, apesar da pequena bancada, o PSD vai realizar um bom trabalho na ALRN. “O nome de Dison é excelente para liderar nosso partido”, disse Galeno.


Estradas e rodagens

fraxe_general_370O general Jorge Fraxe, ex-diretor-geral do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), assumiu o DER no Rio Grande do Norte.

Trata-se de uma aquisição de peso para a equipe do governador Robinson Faria.

O general é do ramo. Na área de Estradas e Rodagens, ele foi gestor de manutenção de 736 km de Rodovias nos Estados do Maranhão e Pará (BR 226, BR 010 E BR 230) e, em seguida, de 1.100 km NA BR 174 (de Manaus até a fronteira com a Venezuela). 

Fraxe gerenciou obras na Amazônia, Nordeste e Sudeste.

Entre 2004 e 2011, no RN, foi o responsável pela construção de 47 KM de adutora, a partir do Rio Piranhas, para suprir água nas cidades de Timbaúba dos Batistas, São Fernando e Caicó.


Se for receber, não contrate

O vereador de Mossoró, Lairinho Rosado (PSB), resolveu radicalizar. Ele apresentou um projeto de lei para proibir a Prefeitura e a Câmara Municipal de contratar serviços ou produtos com doadores de campanha.

Diz a regra: "os Poderes Executivo e o Legislativo Municipais ficam proibidos de celebrar ou prorrogar contrato com pessoa jurídica, bem como com consórcio de pessoas jurídicas, que tenha efetuado doação em dinheiro, ou bem estimável em dinheiro, para partido político ou campanha eleitoral de candidato a cargo eletivo, por quatro anos, contados da data de doação".

É o fim da doação para campanha eleitoral.


Bancada federal

felipe_maia_rn_370O deputado nota 10 de Veja, Felipe Maia (DEM), é o novo coordenador da bancada do Rio Grande do Norte. Exercerá a função nos próximos dois anos.

“Temos uma bancada muito qualificada e fico muito honrado pela confiança. É uma função apartidária que envolve parceria e cooperação, pois a prioridade é defender os interesses do Rio Grande do Norte. Agora é trabalhar a muitas mãos para levar benefícios ao estado”, disse Felipe ao ser confirmado na função.

O filho de Agripino vai coordenar as ações de oito deputados federais e de três senadores que formam a bancada potiguar. As demandas e emendas ao Orçamento Geral da União são as principais tarefas do coordenador.


No rádio

O produtor musical, José Dias, idealizar do projeto Os Caminhos do Elefante na MPB, em sua 1º temporada neste ano de 2015, será entrevistado amanhã (5) no Jornal 96. O programa começa às 7h30, na 96 FM.

O primeiro show do projeto é do Quarteto Linha, às 20h30, no Teatro de Cultura Popular (FJA). José Dias faz a convocação no vídeo a seguir:

DD.


Francisco José espera que Kassab traga respostas para prefeitos potiguares

Diógenes Dantas,
Nominuto.com
Prefeito Francisco José confirmou presença do ministro Gilberto Kassab (Cidades) no encontro de prefeitos no dia 20 de março.

O prefeito de Mossoró e presidente da Femurn (Federação dos Municípios), Francisco Silveira Júnior (PSD), confirmou hoje (4) a presença do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, no encontro dos prefeitos que será realizado no dia 20 de março, na Escola de Governo.

Silveirinha acredita que o ministro trará novidades para os prefeitos. Uma pauta preliminar de pleitos foi entregue ao ministro na semana passada, em audiência com o governador Robinson Faria (PSD).

O prefeito resumiu assim o cipoal de problemas enfrentado por 90% dos municípios potiguares: “As despesas vêm aumentando; combustível, energia, insumos, e com o aumento dos professores de 13%, onde o IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) só aumentou 7%, nos tivemos que arcar com 6% dessa contrapartida. O Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que geralmente cresce de acordo com a inflação, houve um decréscimo de 8%. E os royalties, que com essa queda no barril do petróleo, caiu entre 30 e 40%”, disse.

Francisco Silveira relatou os avanços na área de saúde em Mossoró, com três UPAs funcionando 24 horas.

Ele falou ainda que está reestruturando o programa de combate à dengue na cidade, com a aquisição e locação de motos para os agentes de saúde.

Acompanhe minha entrevista com o prefeito de Mossoró, Francisco Silveira Júnior, no Jornal 96.


Ouça o podcast:

Partidos já começam a se assanhar para sucessão de Carlos Eduardo

Diógenes Dantas,

carlos_eduardo_vlad_370Uma pesquisa e uma resolução partidária dão o pontapé inicial na campanha eleitoral em Natal. 

O pleito ainda está longe, caro eleitor. Faltando quase um ano e meio para a eleição, os políticos só pensam "naquilo". Só pensam em conquistar o poder.

A pesquisa é da Consult, amplamente divulgada ontem (3) pelos veículos de comunicação e sites de notícias.

Segundo os números, o prefeito Carlos Eduardo (PDT) larga com ampla vantagem para conseguir a reeleição: 45,38% das intenções de voto.

Bem distante surge o bloco dos possíveis adversários do prefeito: Mineiro (PT) com 5,75%; Amanda Gurgel (PSTU) com 5,13%; Luiz Almir (PV) com 4,63%; Rogério com 2%; e outros nomes na faixa de um ponto percentual.

Outros 14,5% dos entrevistados disseram não votar em nenhum nome apresentado na pesquisa estimulada. 12,5% não souberam responder.

O que me chamou a atenção foi a ampla aprovação do prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT). Sua gestão é aprovada por 74,38% dos natalense. Parece Micarla, né? Para não dizer o contrário. A borboleta, de tenebrosa memória, tinha índice de mais de 70% de desaprovação, de rejeição. Um desastre!

Pois é. O Partido dos Trabalhadores decidiu colocar o bloco na rua faltando um ano e meio para a eleição de Natal, e já aprovou uma resolução indicando o nome de Fernando Mineiro para prefeito, em oposição a Carlos Eduardo Alves.

O mesmo Carlos Eduardo Alves que o PT deu apoio em eleições passadas. O mesmo Carlos Eduardo que bancou a candidatura de Fátima Bezerra no desastre eleitoral de 2008, quando o PT perdeu para a Borboleta e o DEM de José Agripino.

Quem for petista tem de sair da gestão de Carlos Eduardo. Quem escolher o cargo vai sair da legenda, avisa o comando do PT.

O PT de Mineiro aposta todas as fichas no apoio do governador Robinson Faria (PSD), que já deu seu aval no discurso da vitória no instante seguinte da apuração de votos para o governo.

Portanto, já temos dois nomes para o pleito de Natal em 2016. Carlos Eduardo versus Fernando Mineiro. Outros nomes virão, claro, mas o embate principal se desenha entre eles.


Ouça o podcast:

Manchetes da quarta-feira

Diógenes Dantas,

Locais:

oglobo_4_3_15Tribuna do Norte: Magistrados são contra cortes de pessoal no TJRN

Novo Jornal: PT lança Mineiro como oposição a Carlos Eduardo

Jornal de Fato: Diretores do HM entregam os cargos

Gazeta do Oeste: Investigação do MP inocenta delegado

O Mossoroense: Aumenta número de agências bancárias sem atendimento por falta de vigilantes


Nacionais:

O Globo: Investigação agrava crise

Folha de São Paulo: Alvo da Lava Jato, Renan retalia e derrota governo no ajuste fiscal

O Estado de São Paulo: Lista de Janot chega ao STF; 54 são citados, entre eles Renan e Cunha

Correio Braziliense: Cidade refém de protestos

Zero Hora: Renan e Cunha na lista de Janot

O Povo: Irritado com Dilma, Renan atrapalha aumento de imposto

Diário de Pernambuco: Renan desafia Dilma

A Tarde: Mercado imobiliário tem retração de 13,2% na capital

Jornal da Paraíba: Políticos e empresários presos por pistolagem


Observatório: Tribunais de contas cobram planos de governos para melhoria do ensino médio

Diógenes Dantas,
FD/Nominuto
Tribunais de contas realizaram auditoria operacional para avaliar ensino médios nos Estados, e cobram plano dos governos.

Os 24 tribunais de contas dos Estados realizaram uma auditoria operacional no ensino médio oferecido em cada unidade federativa.

O trabalho considerou dados entre os anos de 2012 e 2014. Trata-se de um documento abrangente.

As principais conclusões são comuns a todos os Estados: contratação recorrente de professores temporários, insatisfação crescente no magistério, escolas precárias e falta de zelo dos alunos.

Como era de esperar, as distorções afetam a qualidade do serviço prestado.

Na Paraíba, o governador Ricardo Coutinho (PSB) está sendo cobrado pelo TCE-PB para apresentar um plano de ação visando superar as dificuldades no ensino médio do Estado. Exigência semelhante ocorre em outros Estados.

No Rio Grande do Norte, a auditoria foi realizada, mas ainda segue o trâmite burocrático. O relatório está sob análise do Ministério Público junto ao TCE, aguardando parecer.

Só depois da análise do MP, o documento será encaminhado para apreciação do plenário da corte de contas.

Estou curioso para saber se o TCE vai cobrar um plano de ação do governador Robinson Faria.

Na Paraíba, o TCE estabeleceu um prazo de 60 dias para apresentação do plano do governador Coutinho. Se houver descumprimento, ele está sujeito a multa e inconformidade na prestação de contas anual. A conferir.


Eleição municipal

carlos_eduardo_pdt_370O prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), lidera as intenções de voto para reeleição a prefeito de Natal em 2016. É o que aponta a pesquisa de intenção de voto e avaliação administrativa realizada pela Consult em parceria com a 94 FM

Na pesquisa estimulada, o prefeito lidera a corrida pela reeleição com 45,38% das intenções de voto.

O deputado Fernando Mineiro, do PT, aparece com 5,75%, seguido pela vereadora Amanda Gurgel, do PSTU, com 5,13% e o vereador Luiz Almir, com 4,63% das citações. 

Os deputados estaduais Hermano Morais (PMDB), Walter Alves (PMDB) e Kelps Lima (SDD) também apareceram na pesquisa. Os deputados federais Rogério Marinho (PSDB) aparece com 2% e Antônio Jácome, com 1%.

Outros 14,5 por cento dos entrevistados disseram não pretendem votar em nenhum candidato e 12,5% não quiseram ou não souberam responder.

No quesito rejeição, quando o tema é a eleição para prefeito de Natal, a pesquisa mostrou que a liderança é do vereador Luiz Almir, citado por 11% dos 800 eleitores natalenses entrevistados, seguido pelo deputado Fernando Mineiro, com 10,1%. O prefeito Carlos Eduardo Alves aparece com 5%.

A vereadora Amanda Gurgel (PSTU) figura com 4,8%, os deputados federais Rogério Marinho com 4,6%, Antônio Jácome (PMN) tem 3,4% e Walter Alves (PMDB), 2,9%. O candidato do PSOL é rejeitado por 2,5% e os deputados estaduais Hermano Morais e Kelps Lima aparecem com 2,3% e 2%, respectivamente.

Entre os consultados, 14,9% disseram rejeitar todos os nomes apresentados e nada menos que 37,4% não quiseram ou não souberam responder.

A pesquisa ouviu 800 eleitores natalenses no período de 21 a 24 de fevereiro.


Avaliação positiva

A gestão do prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT) é amplamente aprovada pelos natalenses, revela a pesquisa da Consult/94 FM

O índice de aprovação do prefeito de Natal é de 74,38%. O índice de desaprovação é de apenas 14,63% e 11% disseram não ter opinião formada.

Na distribuição por regiões, os índices de aprovação e desaprovação da gestão do prefeito da capital potiguar são muito próximos, sem grandes alterações. 

Por ordem decrescente, os índices de aprovação vão da zona Leste (77,3%) para a zona sul (70,8%), passando pela Oeste (76,5%) e Norte, com 74,6%. Os índices de desaprovação são de 12,7% na zona Leste, 12,1% na zona Sul, 11,2% na Oeste e de 8,8% na zona Norte.


Meia-volta, volver!

cunha_cota_370O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciou hoje (3) que a Mesa Diretora revogou a autorização de compra de passagens aéreas para cônjuges de deputados.

A permissão para compra de passagens tinha sido aprovada na semana passada.

A benesse de Cunha causou indignação e mobilizou as redes sociais. O presidente também foi alertado pelo MPF sobre a possibilidade de responder a ação de improbidade administrativa. Como não é doido e não rasga dinheiro, o nobre deputado deu "meia-volta, volver". 


Política externa

A balança comercial brasileira fechou o mês de fevereiro com déficit de US$ 2,84 bilhões. É o pior resultado para o mês desde o início da série histórica, implantada a partir de 1980 pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). 

O deputado federal Rogério Marinho (PSDB) disse que a situação é resultado da incapacidade gerencial e das escolhas equivocadas para a política externa praticadas pelo governo do PT.

 “A economia brasileira vive uma inércia há muito tempo. Não aproveitamos a janela de oportunidades que se abriu com o crescimento da China e de outros países. O governo deveria ter diversificado a economia e aumentado a produtividade, com investimentos em infraestrutura, mas nada disso aconteceu”, disse o parlamentar.

O tucano destacou que as gestões petistas, tanto a de Dilma quanto a de seu antecessor Lula, foram marcadas por relações internacionais mais pautadas por questões ideológicas do que em interesses comerciais – e isso é também um dos motivos que levou ao mau resultado da balança comercial.


Contra-ataque

fatima_petistas_370A senadora Fátima Bezerra e o deputado Fernando Mineiro, ambos do PT, têm tido dias de muito trabalho na mobilização de militantes para combater o movimento pró-impeachment de Dilma.

Enquanto Mineiro corre as cidades do interior do Estado, Fátima mobiliza petistas em Natal e em João Pessoa.

"O PT está se organizando, reunindo a militância, os partidos do campo da esquerda e os movimentos sociais para botar o bloco na rua em defesa das reformas que o país tanto precisa, bem como para lutar contra qualquer tipo de ameaça a democracia brasileira", afirmou Fátima.


Capturado

O americano Victor Arden Barnard, de 52 anos, preso na praia de Pipa, em Tibau do Sul, na última sexta-feira (27), deve demorar para ser extraditado. É o que afirma o agente Wagner Cavalcante, da Polícia Federal (PF).

“Ele será extraditado, mas isso ainda deve demorar para acontecer, o processo de extradição geralmente leva muito tempo. Para se ter uma ideia, nós já tivemos casos que o detento só foi transferido para seu país de origem após um ano”, comentou o policial em entrevista ao portal nominuto.com.

A Polícia Federal solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que o estrangeiro possa aguardar o processo de extradição numa unidade prisional. 

Victor Barnard está na lista dos 15 criminosos mais procurados pela United States Marshal, organização policial americana responsável pela busca e captura de foragidos internacionais.


De bicicletinha

kelps_ciclovia_370O deputado estadual Kelps Lima (SDD) cobrou hoje (3) do governo estadual e prefeitura de Natal a retomada do Plano Cicloviário de Natal, documento elaborado em 2011 com base no Plano de Mobilidade Urbana da cidade.

“O plano pouco avançou desde o seu lançamento. De lá para cá foram instaladas apenas uma ciclovia e três ciclofaixas”, observou o parlamentar.

Para o deputado, é necessário que a cidade esteja alinhada com os novos rumos do transporte público, citando o uso da bicicleta como alternativa para desafogar o trânsito da capital, além de se configurar como um meio de transporte limpo.


Apertem os cintos, o piloto sumiu!

renan_fotos_370Do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) ao comentar decisão de não comparecer ao jantar oferecido por Dilma aos líderes do PMDB: 

“Para que tirar foto em um jantar de confraternização? Para dizer que tudo está bem quando não está?”. 

“O PMDB deveria ser copiloto deste avião. Estamos funcionando como comissários de bordo, pedindo para os passageiros apertarem os cintos enquanto atravessamos a turbulência”, teria comentado Renan a um interlocutor.

Para completar, Renan devolveu ao Executivo a medida provisória que reduz o benefício fiscal de desoneração da folha de pagamento de 56 segmentos da economia. O benefício existe desde 2011.


No rádio

O prefeito de Mossoró e presidente da Federação dos Municípios, Francisco Silveira Júnior (PSD), será entrevistado nesta quarta-feira (4) no Jornal 96. O programa começa às 7h30, na 96 FM.


Multas dos novos radares começam a valer no dia 15 de março, alerta STTU

Diógenes Dantas,
Nominuto.com
Walter Pedro, adjunto na STTU, explica o funcionamento dos novos radares em Natal, cujas multas valem a partir do dia 15 de março.

Num total de 200, nove cruzamentos estão sendo fiscalizados na capital de potiguar. A justificativa da Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU) de Natal para a implantação dos radares é o grande número de acidentes que ocorrem nessas vias.  

“Sempre estamos analisando e fazendo alguns levantamentos, e 36% de todos os acidentes que ocorrem sem vitimas em Natal, acontece nessas vias. 16% são acidentes com vitimas e 22% com vítimas fatais. São números significativos, e a gente tomou por bem fazer o controle das vias com a fiscalização eletrônica”, explica secretário adjunto de Trânsito de Natal, Walter Pedro.

Além dos radares, a novidade é o limite de velocidade em Natal, que passou de 50 para 60km. O grande diferencial dos novos equipamentos é que vão multar quem ultrapassar a velocidade estabelecida, independente se for ao sinal vermelho ou verde.

Durante a noite, das 22h às 5 da manhã, os motoristas que trafegam pelas ruas continuarão com a possibilidade de ultrapassar o sinal vermelho ou parar na faixa de pedestre, desde que não ultrapasse o limite de velocidade.

Acompanhe minha entrevista com Walter Pedro, da STTU, em entrevista ao Jornal 96.


Ouça o podcast:


Movimentação de Renan Calheiros pode prejudicar Henrique Alves

Diógenes Dantas,
FD/Brasília
Henrique Alves pode ser prejudicado pelas manobras de Renan Calheiros para manter espaços no governo federal, entre os quais o Ministério do Turismo.

Uma movimentação política do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), pode atrapalhar os planos do ex-deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB) para assumir o Ministério do Turismo, caso o nome do potiguar esteja fora da lista de Rodrigo Janot sobre o petrolão.

Ontem (2), Renan Calheiros faltou deliberadamente ao jantar que a presidente Dilma Rousseff ofereceu aos políticos do PMDB, no Palácio Alvorada.

Alegando estar colocando o Congresso Nacional acima dos interesses partidários, Renan faltou ao convescote e mandou avisar a presidente.

O gesto de Renan não tem nada de institucional - afinal, ele já colocou o Congresso a serviço do governo em várias ocasiões. Sob o risco de estar na lista de Janot, Renan pressiona o governo para manter seu quinhão no poder central: o Ministério do Turismo e o comando da Transpetro.

O turismo é ocupado hoje por Vinícius Lage, ligado a Renan. E Dilma parece ter acertado entregar a pasta a Henrique Eduardo Alves, nome ligado a Eduardo Cunha, presidente da Câmara.

É aí que Henrique corre risco de perder o agora sonhado Ministério do Turismo.


Outra notícia é o recuo de Eduardo Cunha sobre as passagens aéreas de mulheres e homens dos parlamentares.

Diante da péssima repercussão na opinião pública, o presidente da Câmara decidiu voltar atrás na cota dos cônjuges.

O recuo deveu menos à repercussão negativa do distinto público - Eduardo Cunha gosta de remar contra a maré.

A reforma da decisão se deve a dois fatores mais imediatos. O primeiro é que um procurador federal ameaçou Cunha com uma ação de improbidade administrativa caso ele mantivesse a cota dos cônjuges, segundo o MPF, um desvio de finalidade de recursos públicos - a Câmara dos Deputados não pode estender o bebefício para quem não tem vínculo com a Administração.

O outro é que Eduardo Cunha foi avisado que seria alvo dos protestos no próximo dia 15 de março, ofuscando a figura da presidente Dilma. Ele ficou com medo de virar Geni.


Ouça o podcast:

Manchetes da terça-feira

Diógenes Dantas,

Locais:

Oglobo_3_2_15Tribuna do Norte: Americano vivia recluso com o apoio financeiro de amiga

Novo Jornal: Tribunal trclama dívida de R$ 70 mi para precatórios

Jornal de Fato: Nove leitos de UTI neo são reabertos na CSDR

Gazeta do Oeste: Estudante teria sido confundido e morto

O Mossoroense: Americano acusado de estuprar 59 pessoas é capturado no RN


Nacionais:

O Globo: É preciso rastrear o dinheiro para chegar ao chefe, diz juiz

Folha de São Paulo: 'Quem tiver que pagar vai pagar', afirma procurador

O Estado de São Paulo: Petrobrás planeja vender US$ 13,7 bilhões em ativos

Zero Hora: A batalha de Camaquã

O Povo: Número de homicídios cai no Ceará

Jornal do Commercio: Terminais intermináveis

A Tarde: Wagner diz que lista de políticos vai causar 'turbulências'

Jornal da Paraíba: TCE dá prazo ao governo para melhorar educação


Observatório: COB quer jogos da juventude em Natal, mas governo terá de bancar a festa

Diógenes Dantas,
Rayanne Mainara/Assecom
Governador Robinson Faria recebeu Edgar Hubner, gerente-geral da Juventude e Infraestrutura do COB, para tratar dos jogos escolares em Natal.

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) quer que o Rio Grande do Norte seja a sede dos Jogos Escolares da Juventude, em sua etapa nacional, na faixa etária entre 12 e 14 anos, em setembro. 

A proposta foi apresentada ao governador Robinson Faria, na manhã de hoje (2), pelo gerente-geral da Juventude e Infraestrutura do COB, Edgar Hubner.

Durante a apresentação, Hubner lembrou que os jogos já foram sediados no Estado em 2013. 

Segundo informou, em todo o Brasil, são algo em torno de 23 milhões de alunos envolvidos. 

Para o Estado, virão uma média de quatro mil alunos, que disputarão em 13 modalidades esportivas; os quais, pela idade entre 12 e 14 anos, geralmente, vêm acompanhados dos pais, o que geraria uma ocupação da rede hoteleira de mais de 25 mil pessoas, já contando com a equipe de mais de mil pessoas do COB.

Os Jogos Escolares da Juventude do COB envolvem os 27 Estados da federação. Primeiro são feitos os jogos em cada Estado e a etapa nacional ocorrerá em setembro, entre os dias 4 e 15. 

Para realizar o evento, o Estado terá que arcar com vários gastos. As negociações com o COB só estão começando.


Programa legal

A Fecomércio terá um programa de economia semanal na grade da TV Assembleia. O conteúdo foi combinado hoje (2) pelo presidente da federação, Marcelo Queiroz, em visita ao presidente da AL, deputado Ezequiel Ferreira.

Os dois também combinaram a realização do projeto cultural "Domingo Melhor" no último domingo do mês na praça Sete de Setembro, em frente ao Palácio José Augusto, sede do Poder Legislativo.


Berlin

berlin_feira_370Após participar das feiras de turismo de Madri e Lisboa, o secretário Ruy Gaspar (Turismo) promove o destino RN no maior mercado-fonte de turismo europeu, a Alemanha.

Sobre a ITB Berlin: “É o lugar para conhecer as novas tendências, conceitos e possibilidades de colaboração. O mundo turístico estará presente e o Rio Grande do Norte precisa se mostrar a esse mercado”, comentou Gaspar.

Números de 2014 atestam a importância do evento. Foram 10.147 expositores de 189 países exibiram seus produtos e serviços a 174.000 visitantes, aproximadamente, dos quais 114.000 eram visitantes profissionais.

A feira acontece entre os dias 4 e 8 de março.


De serras e serrotes

george_soares_obras_370O deputado George Soares (PR) quer reservar 5% das vagas de trabalho no setor da construção civil para as mulheres.

Nada de limpeza, faxina ou afins. O projeto de Soares quer vagas na área operacional.

Segundo ele, a mulher ainda enfrenta tabu nos canteiros de obra, onde predominam operários do sexo masculino.

“Atualmente, a mulher brasileira ocupa grande parcela do mercado de trabalho, sendo muitas vezes a provedora da família. Por conta disso é necessário que se aumentem as oportunidades de empregos onde as pessoas do sexo feminino possam atuar. Daí a necessidade de se reservar vagas para mulheres, aumentando a possibilidade de ocupação das mesmas, principalmente em áreas onde o emprego feminino é meramente residual”, argumenta o deputado.


Monitor de Secas

O Banco Mundial apresentará amanhã (3) o "Monitor de Secas", estudo de convivência com o semiárido.

Trata-se de uma rede integrada que vai produzir, semanalmente ou mensalmente, um único mapa com informações de instituições federais e estaduais, do cenário das condições meteorológicas, hidrológicas e sociais da região. 

Aqui no RN, a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos vai trabalhar com o Instituto de Gestão de Águas (Igarn), Defesa Civil, Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn) e Secretaria da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape), além dos órgãos federais.

O "Monitor de Secas" será apresentado em seminário na Escola de Governo, às 15h desta terça-feira.


Título de eleitor

Começa hoje (2) e segue até o dia 4 de maio o prazo de regularização do título de eleitor. De acordo com a legislação eleitoral, 1.782.035 eleitores que não votaram e não justificaram a ausência nas três últimas eleições podem ter o seu título de eleitor cancelado caso não regularizem a situação. Desse total, 34.050 são brasileiros que votam no exterior.

Para regularizar o título, os brasileiros devem comparecer ao cartório eleitoral portando documento oficial com foto, título eleitoral e comprovantes de votação, de justificativa eleitoral e de recolhimento ou dispensa de recolhimento de multa.

O não comparecimento ao cartório eleitoral para comprovação do exercício do voto, da justificativa de ausência ou do pagamento das multas correspondentes implicará o cancelamento automático do título de eleitor, que será efetivado de 19 a 21 de maio.

O cancelamento não vale para eleitores menores de 18 anos, maiores de 70 anos e os analfabetos, que possuem voto facultativo.


Progás

beto_santos-potigas_370O Progás (Programa de Apoio ao Desenvolvimento Industrial pelo Incentivo do Gás Natural) tem data para acabar: 30 de abril. Mas a Companhia Potiguar de Gás (Potigás) já está se articulando para que não acabe e a expectativa é positiva.

O Rio Grande do Norte é o único estado do Brasil com esse tipo de incentivo.

“Dependendo da quantidade de empregos, do tamanho da indústria, do faturamento e de outros critérios existentes, a empresa recebe um incentivo que vai de 60% a 90% do volume em cima do preço. Se essa indústria consome 100m de gás/mês, ela tem 60% de incentivo concedido pelo estado em cima do volume desses 100m de gás, então 60m desse gás terão o desconto proveniente do Progás”, explica Beto Santos, diretor-presidente da Potigás.

O programa conta hoje com 16 empresas beneficiadas, e nove atuantes.


Nos trilhos

A CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos) comemora o aumento na demanda de usuários em Natal e região metropolitana após os primeiros testes com o VLT - Veículo Leve sobre Trilho.

Desde dezembro até o início deste mês, o número de passageiros saltou de 6 mil para 8,4 mil, um incremento de 40%.


O califa

califa_300Em sua coluna Rosa dos Ventos, em Carta Capital, Maurício Dias escreve a seguinte nota, intitulada Califado Potiguar: 

"Até a presente data, o ex-presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, derrotado na eleição para o governo do Rio Grande do Norte, onde manda e desmanda, não se dignou a parabenizar Robinson Faria, o eleito.

Amargurado, anda fazendo maldades. Demitiu o jornalista J. Oliveira, colunista social há 35 anos da Tribuna do Norte, jornal da família Alves. 

Oliveira fez foto ao lado do governador eleito".


No rádio

Walter Pedro, secretário adjunto da STTU (Secretaria de Mobilidade de Natal) será entrevistado nesta terça-feira (3) no Jornal 96. O programa começas às 7h30, na 96 FM.


Henrique Eduardo Alves vive a expectativa do anúncio da lista de Janot

Diógenes Dantas,

henrique_alves_obras_370Não há dúvida que o fato político mais importante da semana terá consequências jurídicas: a lista de Janot.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deverá entregar amanhã (3) ao Supremo Tribunal Federal a lista dos políticos implicados na Operação Lava Jato, que investiga as fraudes bilionárias na Petrobras.

Segundo a imprensa nacional, cerca de 40 políticos serão arrolados nos inquéritos que podem ser abertos no Supremo.

Pelo menos um político do Estado vive a expectativa de ver ou não seu nome listado por Rodrigo Janot: o ex-deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB).

Ainda no ano passado, a revista Veja citou o nome de Henrique nas delações do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa.

Outras publicações, como a Folha de São Paulo, já publicaram notas informando que Henrique deve ficar fora da lista de processados no STF. Os indícios contra Henrique seriam frágeis, e ele pode estar livre do inquérito.

Esta é a torcida do parlamentar peemedebista. Se ficar fora da lista de Janot, Henrique poderá pavimentar o caminho para assumir um ministério em Brasília, provavelmente o do turismo. O momento é de extrema ansiedade.

Aos poucos, Henrique vai se livrando de pendências no âmbito da Justiça. 

O Superior Tribunal de Justiça estabeleceu o trânsito em julgado no processo que inocentou o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB) e o ex-deputado da acusação de terem usado uma secretaria especial de governo para promover a candidatura de Henrique ao governo estadual, em 2002.

O assunto foi bastante lembrado pelos adversários de Henrique na última campanha eleitoral. Outro tema foi a Operação Lava Jato.

Vamos aguardar agora a lista de Janot.


Ouça o podcast:

Manchetes da segunda-feira

Diógenes Dantas,

Nacionais:

veja_2_3_15O Globo: Petistas no Congresso rejeitam ajuste fiscal

Folha de São Paulo: CPI da Petrobras deverá investigar só era petista

O Estado de São Paulo: Empresas da Lava Jato pedem R$ 31 bi ao BNDES

O Povo: "Não precisa ter mais dinheiro para Saúde", diz secretário

Jornal do Commercio: Minitornado em Piedade

A Tarde: Fiscais flagram média de um táxi irregular por dia

Zero Hora: Sim, é possível


Revistas:

Veja: A crise é de confiança

Época: O Brasil em transe

Istoé: O caldeirão social está fervendo

Carta Capital: O Brasil sem empreiteiras


A República voltou após 24 anos sem circular

Diógenes Dantas,
Demis Roussos
A República, jornal fundado em 1890, entra numa nova fase na gestão do governador Robinson Faria e dos jornalistas Geórgia Nery e Paulo Araújo.

O jornal A República voltou a circular após 24 anos de paralisação. A retomada foi uma iniciativa da equipe do governador Robinson Faria na área de comunicação, os jornalistas Paulo Araújo (diretor do DEI) e Geórgia Nery (secretária de comunicação).

Ao participar do ato de lançamento da nova fase da publicação fundada há 125 anos, Robinson afirmou na última sexta-feira (27): “O nosso Governo tem um compromisso com o povo. Hoje resgatamos esse jornal que faz parte da história do Rio Grande do Norte”.

Robinson Faria considerou também que a reativação do jornal, que circulará encartado no Diário Oficial e veiculará notícias produzidas pela Assessoria de Comunicação do Governo, “é um resgate histórico da cultura e da memória do Estado. Aqui trabalharam nomes influentes como Luís da Câmara Cascudo e o jornalista Eloy de Souza”, registrou.

Secretária de Comunicação do Governo, a jornalista Geórgia Nery disse que a comunicação “é um dos mais importantes pilares da democracia, ela conta a história e dá transparência. Reescrevemos agora um novo momento de A República que tem passado, presente, futuro e compromisso com o cidadão”, afirmou.

arepublica_jornal_770

O Diretor Geral do Departamento Estadual de Imprensa – DEI, que edita o Diário Oficial e A República, jornalista Paulo Araújo, explica que o jornal é um suplemento informativo que circulará com informações sobre os atos do Governo e integra o plano de revitalização do DEI. “Fazemos o resgate histórico de A República e estamos também lançando a nova Home Page do Diário Oficial. E ainda vamos revitalizar o Museu da Imprensa Oficial Eloy de Souza”, informou, acrescentando que o jornal também está disponível no endereço eletrônico www.arepublica.rn.gov.br

A República foi fundada em 1890.


Manchetes do domingo

Diógenes Dantas,

Locais:

correio_1_3_15Tribuna do Norte: Petrobras demite e vende ativos da Bacia Potiguar

Novo Jornal: Pesquisa traz mercado de imóveis como emergente

Jornal de Fato: Petrobras terceirizados já perderam 4 mil empregos

Gazeta do Oeste: Saneamento e mobilidade na pauta do ministro Kassab

O Mossoroense: PRF flagra carreta com 10 toneladas de maconha a caminho de Mossoró


Nacionais:

O Globo: Empreiteiras recebiam a mais até por chuva

Folha de São Paulo: Dilma chama de infeliz fala de Levy sobre desoneração

O Estado de São Paulo: Dilma diz que Levy foi 'infeliz' ao falar sobre desoneração

Correio Braziliense: Listão de Janot tira o sono de políticos

O Povo: Jogo da crise: O que ameaça o governo Dilma

A Tarde: Obras paradas travam economia de Maragogipe

Zero Hora: Um país que fica pelo caminho

Diário de Pernambuco: R$ 650 milhões: O custo do trânsito mais violento do país

Jornal da Paraíba: Paraibano está longe do teto para aposentadoria


Revistas:

Veja: A crise é de confiança

Época: O Brasil em transe

Istoé: O caldeirão social está fervendo

Carta Capital: O Brasil sem empreiteiras


Robinson pretende devolver o dinheiro dos aposentados em quatro anos

Diógenes Dantas,

Rob_F_370O governador Robinson Faria (PSD) já tem uma proposta para devolver o dinheiro do Fundo de Previdência do Estado, sacado de novembro do ano passado até fevereiro deste ano.

Em audiência com o ministro da Previdência, Carlos Gabbas, ele disse que pretende devolver o dinheiro dos aposentados ao longo dos próximos quatro anos, ainda dentro do mandato dele.

Segundo o governador, já foram usados R$ 362 milhões, e sua intenção é acabar com os saques a partir de março ou abril.

Em fevereiro, o saque ao fundo previdenciário somou R$ 35 milhões. Em janeiro havia sido de R$ 93 milhões.

Agora, o governador precisa esclarecer como vai colocar em dia os aportes obrigatórios do governo todos os meses. O valor retirado até agora é apenas uma parte da dívida com a previdência estadual. 

Falta contabilizar o dinheiro mensal, cerca de R$ 90 milhões, que é obrigação do Estado na formação do fundo. Os repasses estão suspensos desde o ano passado.

O encaminhamento desta questão financeira será fundamental para o governo estadual reaver a Certificação de Regularização Previdenciária junto ao Ministério da Previdência Social. O documento perdeu validade no dia 18 deste mês. O governo atual culpou a gestão de Rosalba Ciarlini.

A ideia de Robinson de devolver o dinheiro dos aposentados em quatro anos ainda está no campo das boas intenções. Ainda é uma incerteza e depende de uma série de fatores econômicos. Mas pode ser um bom começo para tapar o buraco financeiro que põe em risco a aposentadoria do servidor estadual.


Ouça o podcast:

Manchetes do sábado

Diógenes Dantas,

Locais:

em_28_2_15Tribuna do Norte: Governo eleva imposto sobre folha de pessoal

Novo Jornal: Presidência do TJ avalia exonerar mais comissionados

Jornal de Fato: Caminhoneiro de Mossoró seria líder de bloqueios

O Mossoroense: PRF flagra carreta com 10 toneladas de maconha a caminho de Mossoró


Nacionais:

O Globo: Imposto sobe até 150% e indústria teme desemprego

Folha de São Paulo: Dilma sobe tributo em 150% e empresas preveem demissões

O Estado de São Paulo: Levy vê desoneração 'grosseira' e eleva imposto sobre folha

Correio Braziliense: Ação ameaça reajuste de 100 mil servidores do DF

Estado de Minas: Choque no bolso

O Povo: Justiça suspende pagamento para obra do Acquario

Diário de Pernambuco: Luz fica 20% mais cara

A Tarde: Governo eleva tributo sobre faturamento

Jornal da Paraíba: Conta de luz na PB tem novo reajuste de 3,8%


Observatório: Agripino recebeu conselhos de Aécio e de Serra para evitar pronunciamento

Diógenes Dantas,
FD/Brasília
Senador José Agripino Maia cancelou pronunciamento sobre denúncia da Sinal Fechado após conselhos de José Serra e de Aécio Neves.

Diante da repercussão negativa da nova fase da Operação Sinal Fechado, o senador José Agripino Maia (DEM) programou um longo discurso de defesa na terça-feira passada (24), mas foi aconselhado a cancelar o pronunciamento pelos senadores tucanos Aécio Neves (MG) e José Serra (SP).

Os dois políticos do PSDB orientaram Agripino a evitar dar amplidão ao episódio.

Após a reportagem do Fantástico, programa da TV Globo, mais de 30 jornalistas pediram entrevistas ao senador na segunda-feira (23). Alguns eram correspondentes estrangeiros.

José Agripino ficou assustado com tamanha sede dos repórteres.


On the record

O que mais preocupa o senador José Agripino é a gravação de uma conversa promovida pelo delator, George Olímpio.

Segundo uma fonte, o registro do diálogo consta nos autos.


Na berlinda

Desabafo do procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis, a um interlocutor:

"É duro ouvir críticas de que o MP fez show midiático neste caso (Sinal Fechado). Mas eu não convocaria uma coletiva para apresentar uma denúncia se não houvesse prova robusta", disse.


House of Cards

A Netflix liberou hoje (27) a nova temporada de "House of Cards", seriado das tramoias por trás do governo norte-americano engendradas pelo ardiloso político Frank Underwood.

Underwood (Kevin Spacey) começou sua trajetória como deputado e chegou a presidente dos Estados Unidos após causar a renúncia de seu antecessor.

Eduardo Cunha, atual presidente da Câmara dos Deputados, vem sendo comparado a Frank Underwood, mas muitos políticos podem caber no figurino.

A seguir o trailler da terceira temporada de "House of Cards". Imperdível. Já comecei a assistir.



Certificado

francisco_wilkie_3701A equipe de Robinson Faria responsabiliza a gestão anterior pela perda da Certificação de Regularização Previdenciária junto ao Ministério da Previdência Social.

O documento perdeu validade no dia 18 deste mês, conforme noticiamos na última quarta-feira (25).

Sem o certificado, o governo estadual fica sem acesso a repasses de convênios entre o Estado e a União em todas as áreas.

O procurador-geral do Estado, Francisco Wilkie, informou ontem (26) que o problema não foi causado pela unificação dos fundos previdenciários, ocorrida no final do ano passado.

Ele disse que a perda do certificado foi herdada da gestão de Rosalba Ciarlini, e apontou falhas administrativas na aplicação dos recursos e irregularidades no demonstrativo das informações previdenciárias.

Wilkie informou que o governo vai tentar resolver o problema na esfera administrativa. O governador Robinson Faria (PSD) esteve com o ministro da Previdência, Carlos Gabbas, na última quarta-feira, para tratar do assunto.

De acordo com técnicos do ministério, o governo estadual precisa explicar as seguintes distorções:

1º) Os demonstrativos contábeis referentes ao último bimestre de 2014 não foram remetidos pelo IPERN ao Ministério da Previdência Social.

2º) Faltam informações sobre a regularidade dos investimentos.

3º) Não há registro dos devidos repasses das contribuições relativas à folha de dezembro de 2014 e quanto ao 13º salário.

4º) A unificação dos Fundos Previdenciário e Financeiro ainda não foi esclarecida.

A lei 9.717/98 que dispõe sobre regras gerais para a organização e o funcionamento dos regimes próprios de previdência social dos servidores públicos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, dos militares dos Estados e do Distrito Federal, diz o seguinte sobre o assunto em questão:

Art. 7º O descumprimento do disposto nesta Lei pelos Estados, Distrito Federal e Municípios e pelos respectivos fundos, implicará, a partir de 1º de julho de 1999:

I - suspensão das transferências voluntárias de recursos pela União;

II - impedimento para celebrar acordos, contratos, convênios ou ajustes, bem como receber empréstimos, financiamentos, avais e subvenções em geral de órgãos ou entidades da Administração direta e indireta da União;

III - suspensão de empréstimos e financiamentos por instituições financeiras federais.

IV - suspensão do pagamento dos valores devidos pelo Regime Geral de Previdência Social em razão da Lei no 9.796, de 5 de maio de 1999. (Redação dada pela Medida Provisória nº 2.187-13, de 2001).

O governo estadual corre atrás do prejuízo. E não adianta culpar Rosalba. O governador Robinson Faria prometeu olhar para frente. Nada de retrovisor.


O fantasma do impeachment

O Financial Times listou 10 motivos para alimentar o debate sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O texto, publicado no blog Beyond Brics, lembra que durante anos opositores têm acusado o governo de incompetência nas áreas econômica e política. 

"Muita coisa errada está acontecendo no Brasil", diz o artigo.

faixa_dilma_770

Eis os motivos pelos quais o FT acredita que Dilma corre sérios riscos. O registro foi feito pela revista Exame:

1 - Política

Um presidente brasileiro só sofre um impeachment se fizer algo flagrantemente errado, diz o FT. "Mas o que conta é a perda de apoio no Congresso". A maioria governista foi cortada na eleição, o que deixou a base aliada fragmentada e mais difícil de controlar, afirma o artigo. "Alguns membros a consideram uma intrusa oportunista".

2 - Petrobras

Após o rebaixamento de ratings da Petrobras pela agência Moody's, e diante das investigações de corrupção na estatal, a empresa seria, segundo o FT, o "pecado flagrante" no caso do Congresso se mobilizar por um impeachment: Dilma Rousseff foi presidente do Conselho de Administração da Petrobras quando parte da suposta corrupção ocorreu.

3 - Confiança do consumidor

"Os consumidores estão extremamente saturados", diz o FT, citando levantamento da FGV que mostra queda no índice de confiança do consumidor para o menor nível desde 2005.

4 - Inflação

O FT lembra que a inflação no Brasil já foi de cerca de 3000% ao ano, 20 anos atrás. "Muitos são jovens demais para lembrar, mas outros não", diz o texto, complementando que "alguns temem que o governo abandone a meta de inflação", que está em 4,5% ao ano.

5 - Desemprego

A estimada perda de 26 mil empregos em janeiro, além da recente greve de caminhoneiros pelo país, mostram que "o desemprego é um grande desafio de popularidade para Dilma", segundo o texto do FT.

6 - Confiança do investidor

De acordo com o artigo, o governo está sendo forçado a vender cada vez mais títulos de contratos de dívida de curta duração, diante da preocupação dos investidores com a capacidade do governo em cumprir suas metas orçamentárias.

7 -  Orçamento

O FT cita o primeiro déficit orçamentário primário em mais de uma década em 2014, "efetivamente levando o país de volta aos dias sombrios antes de começar a implementar pelo menos uma aparência de disciplina fiscal".

8 - Economia

Os investidores esperavam que a nomeação de Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda iria mudar as coisas, diz o FT. "Mas a tarefa parece cada vez mais difícil". "Levy tem aparecido como uma figura solitária", afirma o texto.

9 - Água

A seca na região Sudeste também é apontada pelo FT como um motivo para o impeachment de Dilma: "a sensação de aproximação do apocalipse no Brasil é sublinhada por uma escassez de água que atinge a cidade de São Paulo", diz o texto.

10 - Eletricidade

O FT cita a derrota do PSDB para o PT em 2002, dizendo que, "na última vez em que um governo foi derrubado (embora nas urnas, e não por impeachment), a principal causa foi o racionamento de energia elétrica". Esse poderia ser mais um motivo para a saída de Dilma Rousseff da presidência.


15 de março

Um político da bancada federal dizia esta semana: "As manifestações do próximo dia 15 de março vão entrar para a história do país. Estarão nas ruas defensores do impeachment da presidente Dilma, e partidários do governo. Será um domingo imprevisível".

Deus seja louvado!


No rádio

Beto Santos, diretor-presidente da Potigás, será entrevistado segunda-feira (2) no Jornal 96. O programa começa às 7h30, na 96 FM.


Se for beber, não poste

Diógenes Dantas,
Nominuto
Bruno Oliveira, consultor de mídias digitais, diz que 75% das empresas buscam informações sobre os candidatos a emprego por meio das redes sociais.

Bruno Oliveira, consultor de mídias digitais, costuma dizer: "Se for beber, não poste". Como se comportar num mundo cada vez mais conectado? Esse é grande desafio.

Como controlar o desejo de se mostrar para Deus e o mundo? Outro desafio.

Como largar o pau de selfie? Como enconstar o celular para ter um conversa presencial num restaurante?

Todo cuido é pouco na hora de mostrar onde mora, onde trabalha, com quem anda, quem são seus filhos, mulher e quais são seus hábitos.

Na internet, você está exposto para o bem e para o mal. 

Em entrevista ao Jornal 96, Bruno Oliveira disse que 75% das empresas buscam informações sobre os candidatos a emprego por meio das redes sociais. 

A intenção das empresas, segundo ele, não é censurar o que os funcionários ou potenciais colaboradores escrevem ou postam, mas analisar informações do comportamento da pessoa de todas as formas possíveis e disponíveis para a organização. 

Diante deste cenário virtual, Bruno Oliveira fala que o melhor a fazer é ter cautela.

Acompanhe minha entrevista com Bruno Oliveira, especialista em mídias sociais, no Jornal 96.


Ouça o áudio:


Governo Robinson culpa Rosalba por perda do certificado de regularização previdenciária

Diógenes Dantas,

francisco_wilkie_370A equipe de Robinson Faria responsabiliza a gestão anterior pela perda da Certificação de Regularização Previdenciária junto ao Ministério da Previdência Social.

O documento perdeu validade no dia 18 deste mês, conforme noticiamos na última quarta-feira (25).

Sem o certificado, o governo estadual fica sem acesso a repasses de convênios entre o Estado e a União em todas as áreas.

O procurador-geral do Estado, Francisco Wilkie, informou ontem (26) que o problema não foi causado pela unificação dos fundos previdenciários, ocorrida no final do ano passado.

Ele disse que a perda do certificado foi herdada da gestão de Rosalba Ciarlini, e apontou falhas administrativas na aplicação dos recursos e irregularidades no demonstrativo das informações previdenciárias.

Wilkie informou que o governo vai tentar resolver o problema na esfera administrativa. O governador Robinson Faria (PSD) esteve com o ministro da Previdência, Carlos Gabbas, na última quarta-feira, para tratar do assunto.

De acordo com técnicos do ministério, o governo estadual precisa explicar as seguintes distorções:

1º) Os demonstrativos contábeis referentes ao último bimestre de 2014 não foram remetidos pelo IPERN ao Ministério da Previdência Social.

2º) Faltam informações sobre a regularidade dos investimentos.

3º) Não há registro dos devidos repasses das contribuições relativas à folha de dezembro de 2014 e quanto ao 13º salário.

4º) A unificação dos Fundos Previdenciário e Financeiro ainda não foi esclarecida.

A lei 9.717/98 que dispõe sobre regras gerais para a organização e o funcionamento dos regimes próprios de previdência social dos servidores públicos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, dos militares dos Estados e do Distrito Federal, diz o seguinte sobre o assunto em questão:

Art. 7º O descumprimento do disposto nesta Lei pelos Estados, Distrito Federal e Municípios e pelos respectivos fundos, implicará, a partir de 1º de julho de 1999:

I - suspensão das transferências voluntárias de recursos pela União;

II - impedimento para celebrar acordos, contratos, convênios ou ajustes, bem como receber empréstimos, financiamentos, avais e subvenções em geral de órgãos ou entidades da Administração direta e indireta da União;

III - suspensão de empréstimos e financiamentos por instituições financeiras federais.

IV - suspensão do pagamento dos valores devidos pelo Regime Geral de Previdência Social em razão da Lei no 9.796, de 5 de maio de 1999. (Redação dada pela Medida Provisória nº 2.187-13, de 2001).

O governo estadual corre atrás do prejuízo. E não adianta culpar Rosalba. O governador Robinson Faria prometeu olhar para frente. Nada de retrovisor.

1-20 de 2527