Redução de ICMS de querosene de avião pelo RN não trouxe benefício nenhum para o turismo

Airton Bulhões,

 Conhecem aquela história de que “conversa fechou a cova da Onça”, um boteco desses de reunir os que gostam da “branquinha” no Centro de Natal ? Acudam-me  os nossos historiadores, pois é assim  esse “migué” que as companhias aéreas deram no Governo do Estado com a conversa da redução do ICMS para querosene de aviação trazer mais voos para o Rio Grande do Norte que nunca deslanchou..

  O governador do Estado na época Robinson Farias deu um cheque em branco para as companhias aéreas,  mas nunca exigiu papel assinado  para trazer os voos para o Rio Grande do Norte e virou conversa de” cova da onça”: piorou, além da falta de voos os preços dos bilhetes são proibitivos para quem deseja viajar de Natal para outros pontos do País.

   Passageiros preferem viajar até João Pessoa porque sai mais barato comprar uma passagem de avião ´para o Rio de Janeiro, São Paulo do que arriscar fazê-lo por Natal. Para passear  em  Fernando de Noronha o jeito é embarcar por Recife, economia grande no caso de um casal chega até R$ 1000,00.

  Como disse o presidente da  Associação das Empresas  Aéreas (Abear), Eduardo Sanovicz ao dar entrevista à Tribuna do Norte: ‘temos um nó para resolver, nessa questão d a redução de ICMS sem contrapartida”. Sanovicz  culpa a crise que o setor nacional vive e espera uma reação favorável a partir deste ano.

  Sanovicz não soube explicar essa história da redução da alíquota do ICMS no Rio Grande do Norte do querosene: perda de R$ 36 milhões anual no caixa do governo estadual e nem um benefícios e o pobre do estado rico que somos.

SAIBA MAIS 

Segundo a Abear  no primeiro bimestre, o transporte aéreo de passageiros no país acumula aumento de 4,73% na demanda, com oferta em alta de 3,97%, nas comparações anuais. A ocupação dos aviões teve leve alta de 0,60 ponto percentual, chegando em 83,36%. O total de passageiros transportados no período foi de 16,3 milhões, alta de 4,77% em relação ao mesmo período de 2018 (acréscimo de pouco mais de 740 mil passageiros).

   


A+ A-