Produtores de camarão de São Bento do Norte são estimulados a criarem sistema de condomínio

Airton Bulhões,

    A equipe do Idema, juntamente com representantes do Banco do Nordeste (BNB), Associação Brasileira de Criadores de Camarão (ABCC), Associação Norte-Riograndense dos Criadores de Camarão (ANCC) e produtores, esteve nesta quinta-feira (12), no município de São Bento do Norte para discutir uma nova modalidade de projetos para carcinicultura local, adotando sistema de condomínio.

  Os produtores de camarão do município de São Bento do Norte tem agora a chance de montar um consórcio para gerir seus negócios, de forma sustentável.

  O Idema (Intituto de Desenvolvimento Sustentável de Meio-Ambiente)  apresentou aos produtores São Bento do Norte a necessidade de licenciar a atividade e adequarem a produção aos moldes exigidos. 

  A equipe do Idema, juntamente com representantes do Banco do Nordeste (BNB), Associação Brasileira de Criadores de Camarão (ABCC), Associação Norte-Riograndense dos Criadores de Camarão (ANCC) e produtores, esteve nesta quinta-feira em São Bento do Norte para discutir uma nova modalidade de projetos para carcinicultura local, adotando sistema de condomínio.


  O presidente da ABCC, Itamar Rocha e representantes Associação de Criadores de Camarão do RN  apresentaram aos produtores locais o sistema de condomínio, que é uma das alternativas para o cultivo sustentável e competitivo economicamente.

  O formato de condomínio se trata de uma opção de negócio integrado entre pequenos e médios produtores, permitindo o ganho em volume e remuneração equiparada a de grande produtores.

  Um investidor busca outro investidor que possua áreas para produção, em seguida firma-se a cessão do espaço para quem planeja criar camarões e com isso se oferta ao cedente da área toda a infraestrutura técnica e operacional para iniciar o cultivo. 


  Segundo o assessor técnico  do Idema, Jozivan Nascimento, o carcinicultor só tem a ganhar com o licenciamento.

  “A gestão atual do órgão tem se antecipado e ido em in-loco para orientar os empreendedores sobre importância de se buscar o licenciamento ambiental. Nestes encontros mostramos de forma prática quais são trâmites e documentos necessários para iniciar o processo. E com a atividade econômica licenciada, o investidor só tem a ganhar com a segurança jurídica, com a possibilidade de contrair linhas de créditos, já que é uma das condicionantes das instituições financeiras que se tenha licença ambiental”, destaca.

  Além dos investidores fortalecerem seus negócios, a atividade da carcinicultura  estando licenciada é também uma forma de aprimorar a gestão e o controle ambiental das áreas utilizadas para o cultivo. 

SAIBA MAIS


  O Banco do Nordeste participou da reunião para mostrar as linhas de financiamentos do BNB para a atividade da carcinicultura.

  O BNB financia a atividade da carcinicultura por meio de diferentes programas de crédito a fim de promover o fortalecimento e a modernização da infraestrutura produtiva do setor, estimulando a competitividade.

kZqyiqe.jpg
A+ A-