Ministério do Desenvolvimento faz road show com investidores estrangeiros

Airton Bulhões,

     O Ministério de Desenvolvimento Regional tem como prioridade para o segundo semestre  a captação de recursos externos e trabalha na formatação de projetos com potencial de atrair recursos privados e vai promover uma série de encontros com investidores estrangeiros. 

  No final de julho, o ministro Gustavo Canuto apresentou ao Conselho Empresarial Brasil-China, no Rio de Janeiro, uma carteira de projetos nas áreas de saneamento, iluminação pública, mobilidade urbana, irrigação e segurança hídrica.

  A próxima rodada de conversas com investidores terá início em setembro, com um road show que passará incialmente pelos Estados Unidos e seguirá em outubro para a Europa e em novembro para a Ásia.

  Uma das novidades deste road show será a oferta de geração de energia solar às margens dos dois eixos da transposição do rio São Francisco. Os canais têm uma faixa de domínio onde podem ser instaladas placas fotovoltaicas. A ideia é aproveitar a existência de 270 quilômetros de linhas de transmissão construídas junto com o projeto.

 Também serão apresentadas propostas de parcerias público-privadas (PPPs) na área de iluminação pública municipal, iniciativas para implantar VLTs em cidades médias e grandes, além de projetos-piloto de esgotamento sanitário.

SAIBA MAIS

   O Ministério do Desenvolvimento Regional investiu R$ 4,62 bilhões durante os seis primeiros meses do ano em obras de habitação popular, segurança hídrica e mobilidade urbana, bem como em ações de desenvolvimento regional e de defesa civil.

  Cerca de 49% dos recursos foram aplicados em iniciativas na região Nordeste.

A habitação popular, com destaque para o Programa Minha Casa Minha Vida, recebeu R$ 2,54 bilhões. Já na área de segurança hídrica, que contempla obras como o Projeto de Integração do Rio São Francisco e o Ramal do Agreste, o desembolso foi de R$ 652 milhões.

  Ações de desenvolvimento regional que envolvem repasses a estados e municípios para pavimentação, calçamento, drenagem urbana e outras iniciativas tiveram investimento de R$ 588 milhões.

  Investimentos em mobilidade urbana, como obras de corredores de ônibus, Veículo Leve sobre Trilhos (VLTs) e Transporte Rápido por Ônibus (BRTs), somaram R$ 287 milhões. A Defesa Civil recebeu R$ 404 milhões.


A+ A-