Empresários de turismo pedem pressa ao Senado para votar a Lei Geral do Turismo

Airton Bulhões,

  Lideranças empresariais do segmento turístico nacional conduzidas pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio foram recebidos pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre e pediram urgência na aprovação do Projeto de Lei que abre totalmente as companhias aéreas ao capital estrangeiro, atualiza a Lei Geral do Turismo  permitindo que empresas aéreas internacionais abram filiais no Brasil e passem a operar trechos domésticos.

Com mais de 200 milhões de habitantes, o Brasil tem, hoje, apenas quatro empresas operando no mercado de aviação.

  A título de comparação, Argentina e Colômbia, com menos de um quarto de habitantes e territórios que equivalem a um ou dois estados brasileiros, têm o dobro de companhias aéreas.

  A abertura ao capital estrangeiro já foi testada com sucesso em outros setores estratégicos como energia elétrica, telecomunicações, portos, aeroportos e saneamento básico.

As mudanças na Lei Geral do Turismo, por sua vez, atendem demandas históricas do setor produtivo. Elas agregam tendências do mercado e desburocratizam procedimentos para atuação dos prestadores de serviços turísticos.

  Fomento à pesquisa e à produção científica, incentivo às parcerias público-privadas, atenção aos serviços prestados a pessoas com deficiência e incorporação de segmentos de hospedagem fazem parte do projeto.

SAIBA MAIS

O projeto de lei 2724 (Lei do Turismo) foi aprovado por 329 votos contra 44 no último dia 20 na Câmara dos Deputados o momento com o marco para uma nova era do tiurismo brasileiro.

Participaram da audiência com o presidente do Senado  levados pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, o presidente da Braztoa, Magda Nassar, presidente da Braztoa, entidade que representa os agentes de viagem; Marco Ferraz, presidente da Clia Brasil, que representa dos cruzeiros; Murilo Pascoal, presidente do Sindepat, que representa os parques temáticos; Alexandre Sampaio, presidente do conselho de Turismo da Confederação Nacional do Comércio; Guilherme Paulus, fundador da CVC, e Manoel Linhares, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH Nacional).

up00nmm.jpg
A+ A-