Empresa holandesa garante realizar voos charters direto de Amsterdan para Natal

Airton Bulhões,

Após a escassez de turistas provenientes em voos charters da Europa o governo estadual e prefeitura de Natal e a Fecomercio  têm a confirmação de voos ligando a Holanda e Natal a partir de novembro e até abril de 2020.

O voo charter Natal – Amsterdam terá duas frequências semanais, trazendo 360 passageiros a cada sete dias, por mês serão cerca de 1,4 mil turistas e quase 8,5 mil ao longo dos seis meses de operação. Estima-se que os turistas devem movimentar cerca de R$ 56,6 milhões na economia potiguar ao longo dos seis meses de operação.

   Diretores da empresa holandesa Corendon estiveram em Natal nesta segunda-feira  em uma audiência com a governadora do Estado, Fátima Bezerra; o prefeito de Natal, Álvaro Dias; representantes do setor turístico potiguar; e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado (Fecomércio RN), representada pelo seu presidente Marcelo Queiroz.

  Mas não vai sair de graça a contrapartida para viabilizar o voo a Corendon pediu um aporte de 300 mil dólares, que serão utilizados para a divulgação do destino Natal nos mercados em que a companhia atua, nos mercados holandês, belga e do Oeste da Alemanha. O montante será repartido, 100 mil dólares da Prefeitura de Natal e 200 mil dólares do Governo do Estado, através do projeto Governo Cidadão.

  Os diretores da Corendon, Win Woelders e Sjoerd de Kot anunciaram que a empresa vai arcar com 70% dos custos da campanha publicitária que será lançada na Europa no dia 6 de abril, cabendo os 30% restantes aos parceiros potiguares.

   Para o presidente da Fecomércio, Marcelo Queiroz a participação financeira tanto da Prefeitura como do Governo do Estado para investimento em publicidade é o pontapé para essa operação, de atrair turistas europeus ao estado. Os visitantes, estando aqui, irão injetar recursos na nossa economia, com a arrecadação de tributos, gerando empregos diretos e indiretos, movimentando pelo menos os 52 segmentos da cadeia econômica do turismo.

xYrlTCl.png
A+ A-