Codern confirma que em 90 dias apresenta plano de segurança para o Porto em audiência pública

Airton Bulhões,

A fiscalização de mercadorias que saem pelo Porto de Natal para evitar envio de drogas para o exterior depende e muito da compra de um scaner pela Companhia Docas do RN (Codern)  que custa R$ 11 milhões ou aluguel por um aparelho por R$ 400 mil mensais.

Em audiência pública realizada nesta terça-feira na Assembleia Legislativa o novo presidente da Codern, Almirante Elis Treidler Öberg explicou outras providências necessárias para que o Porto volte a operar a plena capacidade. A audiência teve a presença de deputados, representantes da Receita Federal, classe produtiva e líderes sindicais.DGOlheS.jpg

   O presidente da Codern garantiu que vai apresentar em 90 dias um Plano de Ação com medidas a serem tomadas visando recuperar a certificação do Código Internacional para Proteção de Navios e Instalações Portuárias (ISPS CODE).

“Estamos reavaliando todos os nossos processos de segurança, entrada de pessoas e viaturas; readaptação da sala de controle de vídeo, com ampliação das 40 câmeras conectadas à sala para 80; e estabelecimento de novo quantitativo de pessoal necessário, com a convocação de concursados”, afirmou o Almirante Öberg.

 “Quero afirmar aqui, de público, o compromisso inalienável da Codern com o desenvolvimento do Rio Grande do Norte” garante o Almirante, Elis Treidler Öberg.

SAIBA MAIS

  A descoberta pela Polícia Federal em sintonia com autoridades portuárias da Holanda que descobriu 7 toneladas de pasta de cocaína embarcada por containeres pelo Porto de Natal desencandeou uma investigação que culminou aqui no Porto de Natal quase 3 toneladas de cocaína apreendida.

  Com a descoberta o Porto de Natal agora precisa se readaptar com medidas de segurança para poder vir a operar.

foto: Elias Medeiros
A+ A-